sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Eleições: Quem vota no PT vota contra a educação, contra o Brasil e contra o e-reader.

Aumentar Letra Diminuir Letra



* Este texto é longo, para ler com conforto pode usar o Calibre ou o GrabMyBooks para transferir o texto para o e-reader.

O e-reader é apenas um aparelho, um detalhe, em outros países é uma revolução apenas no mercado editorial, no Brasil onde o livro nunca foi barato ele é mais, poderá ser uma revolução educacional, e para nossa desgraça o PT sabe disto, e tenta a todo custo evitar que o aparelho ganhe o devido tratamento legal que já prevê a constituição: a imunidade tributária que gozam livros, jornais e revistas e o papel destinado a sua impressão. Com este tratamento justo o aparelho pode tornar-se barato a ponto de ser acessível à população mais pobre, de posse do e-reader o cidadão carente terá acesso a livros muito mais baratos e até gratuitos no caso dos em domínio público, que não são desprezíveis, pois o melhor da literatura já caiu nesta categoria, mas mesmo assim, um livro de papel de um texto em domínio público ainda é muito caro para o brasileiro carente, mesmo o livro sendo isento de impostos. Pelo motivo do livro no Brasil sempre ter sido caro, é que o e-reader pode ser uma revolução educacional, ele é a primeira possibilidade real de baratear e popularizar a leitura entre os brasileiros.

A constituição brasileira visando garantir a liberdade de expressão, a educação e a difusão cultural a todos os brasileiros, impede que o governo cobre impostos sobre livros, jornais e revistas, isso é para evitar que o imposto vire um mecanismo de censura, desta maneira uma taxação destes veículos diminuiria sua circulação, funcionando como censura, e um tipo especial de censura, pois quem fica censurado é o cidadão pobre, que por não ter dinheiro para pagar um livro fica excluído de cultura e educação. A constituição vai mais longe, impede que o governo taxe o papel usado para livros, pois taxando o papel o governo pode taxar o livro indiretamente, ou seja, livro sem imposto é um direito garantido na constituição brasileira! Uma constituição é um documento perene, ou seja, não deve ser alterado com freqüência e assim comporta princípios, no caso, a não taxação de livros para facilitar o acesso do brasileiro a educação e cultura, mas também evitar que o governo use o imposto para caçar o direito de livre expressão, imprescindível em qualquer democracia. Assim, há uma “coisa” chamada de hermenêutica, que a grosso modo significa que o princípio essencial será aplicado a coisas vindouras, explico: veja o caso do roubo ou furto, ele tem um objeto, mas se o ladrão usa o computador para alterar dados em um banco, não há objeto, mas ele roubou dinheiro, assim, sem este princípio roubar dinheiro “virtual” não seria roubo, mas é, justamente pelas leis serem feitas de princípios e não de literalidades. É pelo mesmo motivo que o ebook e o e-reader deveriam sem maiores problemas ter o tratamento constitucional que é dado ao livro, pois o livro hoje é o ebook e o papel o e-reader. Se ebooks e e-readers são taxados o governo está tirando um direito do povo. É isso que faz a Dilma ao taxar o ebook e o e-reader, tira um direito do cidadão que está garantido na constituição.

É preciso saber o motivo de Dilma e o PT necessitarem acabar com os direitos dos brasileiros, e isso é feito por ideologia, ou seja, um plano para tomar o poder de forma autoritária e assim assumir poderes ditatoriais. O PT é um partido de esquerda comprometido com o socialismo, não com a democracia que é um empecilho para que tomem o poder de forma ditatorial, desta maneira solapar os mecanismos sociais que garantam a representação do povo é uma das prioridades do partido e de todos os que congregam-se sob esta bandeira de esquerda. O comunismo ou socialismo sempre foi uma desculpa, uma mentira para enganar o povo para que entreguem seus direitos na mão de demagogos sanguinários; com a desculpa de acabar com as ditaduras absolutistas, enganaram o povo para que lutasse por eles, mas na hora de exercer o poder o povo é excluído e tudo que se tem é uma nova ditadura. A história está cheia de exemplos, dos jacobinos assassinos à genocida revolução russa e até os delírios nacionais socialistas (nazistas) da Alemanha. Se a história não é suficiente, hoje há os crimes contra a humanidade perpetrados por Coréia do Norte e Cuba, além da recente implantação do “bolivarianismo” na Venezuela. Lógico que a primeira pergunta que vem à cabeça do cidadão é: com tantos exemplos históricos e contemporâneos da mais grotesca inumanidade levando povos a sofrimento inenarrável, como tem gente que ainda dá crédito a estes embusteiros? E a resposta é uma só: ignorância. Há dois tipos de socialistas, os vigaristas que querem ter ganhos pessoais e os ignorantes que são roubados. Qual desculpa os vigaristas usam para quem os confronta com o resultado desastroso de todos os regimes socialistas que trazem miséria e sofrimento para o povo? Dizem que tais socialismos não são a implantação correta do regime pois o socialismo em si teórico é virtuoso, o que é uma grande mentira que novamente precisa que o interlocutor seja ignorante. Mesmo o socialismo teórico, que nunca foi posto em prática não funciona pois é risível, seus princípios básicos desafiam a própria natureza da humanidade; a diferença é uma característica básica do ser humano, há gente mais alta e mais baixa; feios, bonitos e mais ou menos, como todos podem ser iguais? São diferenças inscritas nos genes e na trajetória individual de cada ser humano, querer que todos sejam iguais só pode levar à mais terrível inumanidade, simples assim, e quem não percebe isso são os ignorantes, pessoas facilmente enganadas para serem roubadas nos seus direitos básicos de seres humanos. O comunismo e o socialismo são feitos para roubar do cidadão seu direito individual em nome de direitos coletivos inexistentes, é uma pilantragem básica que só tem sucesso sobre ignorantes.

Um fato importante nessa história em relação ao Brasil e toda a América Latina é uma coisa chamada “Foro de São Paulo” pois é lá que congregam-se partidos como o PT e PSB, e vários outros de esquerda, mas lá estão guerrilheiros narcotraficantes como os das FARC e o MIR e governos ditatoriais como Venezuela e Cuba, além de ongs terroristas. A esquerda ao longo da história tem articulado sob diretrizes internacionais, na maioria dos casos partidos são sempre organizações intra-nacionais que só tem legitimidade dentro de seus países, eles existem em teoria para dar voz às correntes de pensamento existentes em uma sociedade, infelizmente a organização política do cidadão no Brasil encontra-se restrita a partidos e sua criação não é livre, depende de toda uma burocracia que visa dificultar ao cidadão esta representação; para os que criam as chamadas legendas de aluguel é fácil criar um partido, pois já tem a máquina controlada, para o cidadão não. Esta articulação internacional da esquerda não é nova, é uma tática antiga pois os esquerdistas antes aliavam-se nas “internacionais comunistas”, a primeira liderada pelo próprio Karl Marx. Esses congressos são os disseminadores da ideologia, como podem ver, partidos que não representam seus povos em favor a uma ideologia são essencialmente ilegítimos e desonestos e é justamente a cartilha ideológica que os membros do Foro de São Paulo tentam implantar a ferro e fogo nos países que estão presentes.

A atual sabotagem do PT à educação de verdade que liberta é uma pauta importantíssima desta ideologia transnacional, uma vez que pessoas inteligentes e instruídas não são fáceis de enganar, desta maneira, observem que em plena campanha eleitoral o PT não parou com a tentativa de sabotagem à educação, Dilma ainda cobra imposto em e-readers independente da constituição dizer que não pode, e visando fazer com que a constituição seja entendida como deve ser entendida, o Senador Acir Gurgacz redigiu um projeto para dizer ao governo que e-reader é livro e goza da imunidade de imposto que é direito do cidadão brasileiro, o projeto foi aprovado no Senado apesar do governo PT ser contra, e já está há dois anos sendo protelado na câmara na tentativa do PT que o projeto não vá em frente, uma das responsáveis por essa ignomínia é a deputada Fátima Bezerra do PT, ela é a redatora do projeto na comissão de cultura, protelou até o limite, tanto que o deputado Darcísio Perondi do PMDB pediu que o mesmo fosse votado em plenário devido à lentidão, esta história é uma verdadeira palhaçada que mostra todos os recursos vigaristas que a esquerda usa. Mas a realidade é que o PT não tem apoio para chumbar o projeto, pois se tivesse apoio ele já teria sido posto em votação e perderia, sendo enterrado, mas vejam que mesmo às vésperas de uma eleição a questão de manter o brasileiro ignorante é tão importante que eles ainda insistem em derrubar o projeto. Como podem ver, é a ideologia que é mais forte que o interesse do povo brasileiro, afinal, a quem interessa um povo ignorante? Quer melhor exemplo que as duas Coréias? A do sul investiu em educação, a do norte no comunismo, nunca poderia existir melhor comparação, a Coréia do Sul é um dos países mais desenvolvidos do mundo, a Coréia do Norte o mais atrasado, lá pessoas ainda morrem de fome! E as duas saíram do mesmo ponto ao mesmo tempo. Quem não vê isso? Os ignorantes e os esquerdistas vigaristas. Querem um exemplo mais próximo? Vejam hoje a Venezuela, um membro orgulhoso do Foro de São Paulo, falta até papel higiênico, a violência abunda e a educação como no Brasil está sendo sabotada pelo governo.

O negócio dos esquerdistas não é representar o cidadão, por isso eles odeiam a democracia, nem querem melhorar a vida do povo, mas sim as próprias tomando o governo e usando-o para fins pessoais, basta ver o luxo em que vivem os ditadores comunistas em comparação à miséria de seus povos, e o Brasil não está longe disto, dos lençóis de algodão egípcio exigidos por Lula e pagos com o dinheiro do governo, às escalas em restaurantes de luxo com avião oficial de Dilma, à simples bermuda de José Dirceu da Vilebrequin que custa uns seiscentos reais ou mais, está aí explícito seu gosto pelo “luxo burguês” mais que pelo povo. É por este motivo que estes “governantes do povo”, desde que entram no governo recusam-se a responder perguntas e a dar entrevistas livres onde podem ser contraditados, não é de espantar que juntos Lula e Dilma dessem muito menos entrevistas que o elitista FHC? Mas ninguém fala isso nem mostra, alguns assuntos somem convenientemente dos jornais.

Aqui vou desmascarar uma das táticas mais comuns dos esquerdistas, ela chama-se “falar com a própria mão”, vimos um exemplo vergonhoso disto no debate presidencial quando Dilma falou que no seu governo não tem “engavetador geral da república”, apelido dado pelo próprio PT ao Procurador Geral da República Geraldo Brindeiro, mas ela da maneira mais cínica diz que foi o povo que deu este apelido, ou seja, a mão da Dilma ou do PT que ela chama de povo é que deu o tal apelido, Dilma está conversando com a própria mão! Não faltam exemplos no governo do PT de investigações que foram engavetadas, só para dar alguns exemplos, tem o caso dos aloprados que tentavam comprar um dossiê falso com uma mala de dinheiro, nada aconteceu, e os sobrinhos da Dilma no caso Erenice Guerra? Apesar de provas levadas à púbico pela mídia nada aconteceu, quer melhor, o atual escândalo da Petrobras onde representantes do governo e da empresa se reuniam para combinar os depoimentos, foi tudo gravado, fingem que nada aconteceu, mas cadê o apelido de engavetador geral da república? Com certeza o PT merece mais este título, mas não tem gente vigarista o suficiente para apelidar e dizer que foi o povo como faz o PT. No caso do e-reader a deputada Fátima Bezerra do PT criou uma audiência pública só com os amigos para validar sua tentativa de boicotar o e-reader, mais um exemplo da tática de falar com a própria mão. E o exemplo mais cabal desta tática nojenta está no decreto 8243 que institui as panelinhas do PT em todas as instâncias do governo, a tal participação social vêm de organizações montadas pelo próprio PT para fazerem-se de povo e tirar o lugar legítimo do povo, ao dialogar com os movimentos sociais que o próprio PT criou e oficializou com este decreto, o PT novamente usa a tática de “falar com a própria mão”. Você já viu como é patético alguém falando com a mão? É isso que faz o PT em todos estes casos, e isso só não é evidente para toda população pois ela é mantida na ignorância, por isso evitar que os brasileiros tenham livros livres é uma parte tão importante do Foro de São Paulo e da ideologia do PT, afinal, quem quer de livre consciência ser como a Coréia do Norte ou a Venezuela quando pode seguir o exemplo da Coréia do Sul? Somente os ignorantes ou os vigaristas.

Quando alguém quer enganar os outros não pode submeter-se ao livre debate, quanto mais falar, mais sua posição e suas mentiras ficam evidentes, e debate livre é o cerne da democracia, por isso o PT odeia a democracia e a livre expressão e quer controlar a mídia, a isso chamam controle social da mídia, e entendemos social como a própria mão do PT, Não é o controle da sociedade sobre a mídia, é o controle do PT sobre a mídia.

Um ideólogo de esquerda chamado Antonio Gramsci percebeu que os discursos da esquerda eram muito fracos para serem sustentados em um debate honesto, e por este motivo criou a tática da hegemonia cultural, que consiste basicamente em calar todas as vozes contrárias a ti para que não se manifestem, e assim, sem poder expressar-se não há oposição, é por isso que a oposição necessária em todas as democracias é demonizada pelo PT, eles querem e precisam da hegemonia para que sua vigarice não seja percebida, veja como é o controle da mídia na antiga URSS, na atual Venezuela e na Coréia do Norte que mata sem piedade aos que ousam divergir, aos que ousam violar o controle hegemônico do Estado. O PT chegou até a divulgar uma lista negra de jornalistas, e Dilma fugiu da maneira mais covarde a uma entrevista no Jornal Nacional, pois as perguntas, mesmo suaves, iriam deixar sua vigarice evidente. Gostaria de perguntar o motivo de Dilma ainda boicotar o e-reader em um país onde o número de analfabetos só faz crescer, não tem resposta, é inumano, mas está de acordo com a ideologia que precisa da ignorância, podemos achar que um país mais ignorante com mais analfabetos é ruim, mas isso é bom para o PT pois basta sobrepor os mapas eleitorais e as regiões com maior índice de analfabetismo que verá que o PT tem mais votos onde há mais analfabetos, a coincidência é impressionante.

Nos últimos anos o número de analfabetos totais só aumentou no Brasil, mas como já disse antes, o fracasso educacional de nosso país revela o triunfo do PT, são passos decisivos na idiotização completa da maioria do povo. Quando falo de analfabeto completo refiro-me à aqueles que não sabem das letras nem o suficiente para ler uma placa de rua, mas existe um número que parou de ser contabilizado, que é muito pior, o número de analfabetos funcionais, pessoas que saíram com diplomas das escolas mas não são capazes de ler e entender um texto, e muito menos qualquer política necessária para o povo exercer cidadania. Mas concentrando-se apenas nos analfabetos totais o número só aumenta, na PNAD divulgada em 2013 constava-se que o Brasil possuía em 2012 15.128.000 analfabetos totais, e na pesquisa divulgada agora em 2014 o número cresceu para 16.030.000 em 2013, mas notem que estranho, na reportagem de 2013 consta que o Brasil tinha 15.128.00 analfabetos totais acima de dez anos em 2012, mas na reportagem da pesquisa que saiu agora é mostrado que o número de analfabetos em 2012 era 15.340.000, alguém sumiu com 212.000 analfabetos, que ou não foram contabilizados na pesquisa divulgada em 2013 ou na de agora. Estranho não? Vejam os links e confiram por si. Aumentar em 6% o número de analfabetos de 2012 para 2013 seria inaceitável, mas você está vendo aí alguém fazer um escarcéu por conta desta ignomínia? Parece pouco? Vamos imaginar que o número de analfabeto no Brasil vai crescer sempre nesta taxa de 6% ao ano, começando com 16.030.000 agora em 2014, em 2024 teremos 28.707.288 analfabetos, em 2034 51.410.381 analfabetos e em 2044 92.068.163 analfabetos! Para vocês verem como este tipo de estatística é insidiosa, e só estamos falando de analfabetos totais, imagina dos funcionais! Estamos no caminho para o país dos jumentos!

Como já mostrei, toda ideologia de esquerda é construída sobre o engano, mentira, leia Marx e verá que suas propostas são ridículas, ele teima em colocar o trabalho do homem como todo igual, e sabemos como isso é profundamente falso, seu texto está gratuito na internet, baixe no seu e-reader e prepare-se para rir muito com o absurdo de suas idéias, não se engane com a escrita convoluta, analise as proposições e verá que o cara não fala coisa com coisa, esta equiparação do trabalho de pessoas diferentes é só uma das mais gritantes.

Se toda ideologia de esquerda é uma mentira para enganar os otários ignorantes com o objetivo de tomar o poder, qual seu maior inimigo? O capitalismo? Não. Os banqueiros burgueses? Não. A igreja e os padres? Não! A resposta é simples: a verdade! O pior inimigo da ideologia de esquerda é a verdade, é por este motivo que desde sua criação os inintelectuais de esquerda pregam o relativismo, o mesmo dos sofistas gregos, a não existência da verdade. É só falar em verdade que o esquerdinha começa a bufar, e tenta relativisar tudo, chega a ser patético, veja o caso do “outroladismo” muito em moda nos jornais, se há verdade e mentira, qual o outro lado da verdade? A mentira! E aí vamos dizer que verdade e mentira tem o mesmo peso, pois cada um tem o seu lado? Parece ridículo, e é! O “outroladismo” é a tentativa moderna de destruição da verdade, mas o relativismo tomou contornos mais grotescos a partir de Hegel, Marx e Engels viram sua oportunidade de atacar a verdade ou a busca dela e os inintelectuais subseqüentes dominaram a filosofia com o relativismo, Adorno, Horkheimer, Foucault, Deleuze e Derrida são os exemplos mais cabais de um exercício de pensamento que por não tentar perseguir a verdade, transformou o exercício da filosofia na moradia das veleidades, vigarices, ou simples palavrório vazio. Não foi só a filosofia que sofreu com o relativismo, a arte ao abraçar o relativismo deixou de ser arte, foi completamente destruída, hoje um espertalhão vigarista põe meio tubarão em formol e vende como peça de arte aos otários, e vem um monte de críticos ignorantes louvar o lixo. E assim a verdade da arte, que seria a busca do sublime foi destituída da cultura popular, para o povo ignorante o lixo é chamado arte.

Falo muito em ignorantes e ignorância, mas preciso melhor caracterizar para que não pensem que este é um xingamento vazio como é a tática comum dos esquerdinhas ao deparar-se com alguém que sabe mais que eles e tem melhores argumentos, eles simplesmente vão te mandar estudar, tentando afetar um conhecimento que não tem, pura mentira, fingimento, e fazem isto tentando aí terminar o debate, pois se prosseguir as pessoas percebem que eles nada sabem. Ignorância é justamente a falta de conhecimento, ignora-se pois não se sabe nada do assunto ou se tem um conhecimento superficial, incorreto, ou usa-se a simples mentira, e isso tem muitas conseqüências, vamos a alguns exemplos: quem não leu ou não entendeu Marx pode achar que há lá grande sabedoria e um método de tornar as pessoas mais livres, mas sem a ignorância, ao ler Marx a pessoa vê com os próprios olhos que seus argumentos não tem capacidade de levar à liberdade mas à mais cruel ditadura pois contradiz o melhor da essência humana, sua diversidade. Para alguém que ignora a música é comum achar que um Heavy Metal é uma música muito mais revolucionária que Wagner, mas para quem sabe ouvir os instrumentos, sua linha melódica, funções de acordes e dissonâncias, Tristão e Isolda é muito mais revolucionária e desafiadora. Quem só viu um Tintoretto não consegue saber o que é a excelência de Goya, é só ao conhecer ambos que se pode sair da ignorância, e só quem não viu ambos pode achar o trabalho do Romero Brito digno de qualquer nota. O homem nasce ignorante, e para sair dela é necessário o conhecimento, manter-se na ignorância é uma atitude passiva, mas não foi a escolha do homem, não vive mais como macaco, ser homem é sair da ignorância. Como a ideologia de esquerda não precisa e não gosta de homens que pensem, eles investem na ignorância, pois tudo que necessitam é de jumentos que lhes puxem as carroças.

Vivemos em uma época ímpar, o acesso ao conhecimento nunca foi tão simples e barato, sair da ignorância hoje é fácil para qualquer um que queira e saiba ler com proficiência, mas se antes o acesso à informação é que era o limitante, hoje é mais difícil fazer uso desta informação, é preciso saber organizar conhecimento e idéias para não perder-se neste universo de informação que existe, a dificuldade não é mais ter acesso à informação, é saber o que se quer procurar, e entender bem como ler um texto é muito mais importante que a maioria das decorebas que eram consideradas a educação dos professores e educadores medíocres. Hoje com um celular qualquer informação está fácil, mas nada adianta a quem não sabe procurar, filtrar, categorizar e ler. E basta ver a medíocre superficialidade de todos os debates públicos que verá quão antagônico é o fato de termos hoje mais acesso à informação que a humanidade jamais teve. Quantas pessoas vocês acham hoje que tem capacidade de ler, entender e argumentar sobre este texto que escrevo? Estaria satisfeito que fossem ao menos 0,1% dos brasileiros, mas temo que sejam muito menos, alguns bobalhões vão tentar chamar-me “elitista”, e isso é ridículo, pois este texto, como todo outro conhecimento necessário a entender o que aqui digo está disponível gratuito na internet, qualquer um pode tentar ler este texto, é só querer.

Tenho vários amigos que me criticam por escrever textos “tão difíceis”, e assim não conseguiria atingir as pessoas que quero “educar”. Mas notem como há aqui um paradoxo fundamental, eu quero que todos os brasileiros sejam proficientes em leitura para que consigam ler um texto complexo, e o meu nem é dos mais complicados, mas para isso eu teria que escrever de forma simples e medíocre, o que iria tirar todo objetivo. Sem a pessoa desafiar-se ela não cresce, é errado pensar que alguém pode educar quem não quer ser educado pois há um esforço por parte do aluno. O conhecimento novo exige uma atitude ativa de quem aprende, o processo de desequilíbrio e volta ao equilíbrio teorizado por Piaget e muito pouco entendido, pois pior que este texto, é muitíssimo mais complexo. Desta maneira, se escrevo um texto mais leviano não serei capaz de desafiar o leitor, estarei sendo complacente com a ignorância, não adianta educar quem não quer ser educado, quem quer aprender educa a si, mas somente ao desafiar-se, assim preciso que este texto fuja da mediocridade geral para desafiar o leitor. E essa é nossa infeliz realidade, há menos gente no Brasil capaz de ler este texto do que existem milionários.

Outra crítica que recebo com freqüência é dos que acham que advogo pelo e-reader como um aparelho mágico capaz de melhorar a leitura e tirar os brasileiros da ignorância, infelizmente não há nada de mágico no e-reader, ele não é uma bandeira, é apenas um primeiro passo, há muito que fazer para melhorar a cultura do brasileiro, mas tudo depende do livro, não há cultura que o valha sem o livro, ele é o começo de tudo, há no Brasil um tal estado de coisas que é impossível para alguém sem muito capital imprimir livros a um preço aceitável, e mesmo assim, hoje com o e-reader não há o que comparar; pense no Novo Órganon do Bacon, gratuito no e-reader e em papel custa mais de cinqüenta reais. E insisto no e-reader pois eu que já sou leitor experiente, no tablet ou no computador tenho dificuldade com textos complexos, imagine quem ainda está aprendendo. Maior parte da minha vida li em papel, com o e-reader tenho o mesmo conforto, mas não no tablet. Precisamos de leitores proficientes, capazes de ler e entender um texto complexo pois assuntos vastos não podem ser reduzidos em textos simples sem serem tornados levianos, assim o leitor e-ink é fundamental, além disso precisamos combater a ditadura da mediocridade a que obrigam os textos de redação e ( falta de) estilo para jornais, é a língua mutilada e impotente, que junto com o construtivismo vigarista são a raiz do aleijão literário que é o brasileiro. Se o e-reader parece uma bandeira é pela ferrenha oposição que a ideologia do PT faz contra o aparelho, por facilitar a cultura e por escapar da sua censura financeira sobre o mercado editorial, afinal, mais de 40% do dinheiro que circula no mercado do papel vem do governo. Sou bastante prático, o e-reader não é bandeira é condição necessária, e vemos bem como o analfabetismo aumenta enquanto a Dilma não quer e-reader na mão do brasileiro, eles não tem vergonha, nós é que devemos enfatizar o quão vergonhosa é esta posição de sabotagem explícita à educação.

Cada vez que ouço um candidato dizer que a solução para a educação no Brasil é o ensino em tempo integral quase subo às paredes, no entanto é esse tipo de debate ignorante e superficial que encontramos nas campanhas eleitorais. E aí existem dados factuais, do meu tempo de escola para agora o número de dias letivos só fez subir, e a qualidade da educação só desceu, assim, se fizermos um gráfico veremos que o aumento do tempo na escola não só não melhorou a educação como piorou, aí vem estes imbecis com a bandeira vazia do ensino em tempo integral, que considera todo brasileiro, principalmente o mais pobre como um protobandido, nem o aluno tem consciência como a família não tem autoridade ou capacidade para ensinar o que é certo ou errado para que os garotos não virem bandidos, assim a garotada teria que ser confinada nas escolas para não poder ter o direito de escolha de rejeitar ser bandido, pois se ficar fora vira um, nunca vi tamanha manifestação de preconceito contra o pobre, para os esquerdinhas todo pobre é bandido, e sabemos que a realidade é o contrário, a maioria dos pobres é gente muito decente e com valores sólidos para educar seus filhos, bandidos ainda são minoria entre os pobres.

Outra ladainha que se ouve sobre educação é que é necessário gastar mais, não duvido que mais dinheiro possa ser necessário, mas há muita coisa antes, e se não pensarmos o nosso sistema de ensino, todo o dinheiro vai ser perdido ou desviado por quadrilhas que assolam o governo. Se vocês prestaram atenção já mostrei como e por que a ignorância é imprescindível para toda ideologia de esquerda, verão que o fracasso da educação no governo do PT não é mero acaso, é intenção, e mais interessante é ver que o PT só dá continuidade a um plano implantado na ditadura de 64, óbvio que o PT como gosta de ditadura tem as mesmas ou piores intenções que as anteriores no Brasil, não ouvi Dilma dizer que o Getúlio foi um dos grandes democratas do Brasil? Justo um ditador! O cerne da destruição do sistema educacional brasileiro está na desvalorização não só do professor mas do conhecimento e mérito como valor social, o tal relativismo que falei antes, que os esquerdinhas usam contra a verdade. Com o tempo os professores foram perdendo não só o salário, mas o prestígio e reconhecimento que gozavam na sociedade brasileira, o professor que era muito respeitado até 64, no final da década de oitenta já era um profissional abjeto, o salário era tão irrisório que só iam para o magistério os heróis idealistas, muito poucos, ou os incompetentes vagabundos que não ousavam auferir maiores ganhos em qualquer lugar.

A realidade hoje é que o magistério está tomado por uma escumalha de incompetentes e não adianta aumentar o salário desta escória, pois não vai melhorar o ensino. Mas como livrar-se do lixo se nem lixo há suficiente? Com os baixíssimos salários, as más condições de trabalho não encontra-se nem incompetentes com diploma para encostar-se em um emprego público mal remunerado, afinal, qual criança idiota ou adolescente sem noção sonha em ser professor? “Olha pai, quero ser professor, meu sonho é passar a vida enfurnado em uma escola pública esbagaçada, ameaçado por traficantes, com os alunos rindo de mim pois sou um fracassado, vivendo cheio de dívidas com um salário miserável.” E aí? Quem se habilita a ser professor? Melhor ser lixeiro pois há mais futuro. Há aqui duas perguntas, como chegamos a este estado lastimável e como antes de 64 o Brasil conseguiu excelência na escola?

A educação pública de altíssima qualidade que uma vez o Brasil já teve não surgiu do nada, ela começou com a criação de universidades de excelência, e foi daí que surgiram os professores que tinham na rede pública de ensino uma carreira atrativa, respeitada e bem remunerada. Temos aqui todo um sistema baseado no mérito, os melhores estudantes eram selecionados para as universidades, e os melhores professores eram selecionados para a rede pública. Foi na década de trinta que as universidades de alguns grandes centros começaram a trabalhar para formar uma elite de pensamento e já na década de quarenta estavam suprindo professores para as redes públicas de ensino. O professor bem formado não só mantinha a qualidade da educação altíssima, como ganhava o respeito dos alunos, que viam em seu professor um modelo a ser seguido. Em poucas décadas construiu-se nos grandes centros todo um sistema educacional de altíssima qualidade, com alunos e professores de escolas e universidades empenhados em buscar excelência. As escolas tinham um currículo obrigatório? Não, com professores muito bons não é necessário, aliás, até os ruins deveriam no mínimo saber o que um aluno deve ou não saber. Existia um método pedagógico? Não, e como eles davam aulas? Primeiro tinham os cursos “Normais” que funcionavam no secundário e eram destinados aos professores das primeiras séries, o importante neste caso era que os normalistas “estagiavam” com professores experientes em aula, aprendiam na prática, sem contar o auxílio das cartilhas, que são tão boas que até professores leigos podem ensinar alunos a escrever. Muitos normalistas já entravam na Universidade sabendo ensinar, mas a verdade é que não existe um método para o bom professor, já tive centenas, a realidade é que dentre os bons cada um tem seu método pessoal, e funciona, acreditem, dar aula é uma espécie de arte. Mas o que acontece com os universitários que nunca entraram em sala para dar aula? Por óbvio que seja, se ele participa de um curso bom, que o faz dominar totalmente os assuntos abordados, ele adquire um conhecimento tão sólido do assunto que torna fácil transmitir, quem realmente sabe um assunto em profundidade sabe ensinar, pois é capaz de ver de todos os ângulos, dialogar com o estudante e formular explicações variadas que ajudarão o aluno a entender um conceito complexo. Agora, pensem comigo, se 35% dos formandos atuais da educação superior do Brasil são analfabetos funcionais, como eles se sairão como professores? Podem ver que domínio dos assuntos está há anos luz dos nossos atuais formandos, e sabe do pior, os alunos percebem quando um professor não domina seu assunto e perdem o respeito, se isso já era verdade antes, imagina agora com a internet.

Excelência, esta é a palavra que norteia o ensino de qualidade, quando prospera o relativismo e a mediocracia, não há ensino ou produção de conhecimento que resista. Ouvimos muito falar em cursos de formação continuada, e parece uma piada, pois o professor de verdade não precisa de um curso para manter-se atualizado, faz parte essencial de ser um bom professor o contínuo interesse pelo seu objeto de estudo, o necessário é ficar informado e ativo nos debates, quem para no tempo perde até sua habilidade de ensinar, vira um mero repetidor de conteúdo cuja tecnologia tornou obsoleto, o professor necessário é aquele capaz de dialogar com o aluno, desafia-lo e instigar não o aprendizado bovino, mas a independência intelectual, e aí está a excelência, sua busca constante alimenta o apetite insaciável dos que prezam o conhecimento. É por procurar excelência que o professor almeja o melhor do aluno, os que contentam-se apenas com uma meta menor correm o risco de nada ensinar e definitivamente perdem o papel transformador que há na educação.

Este profissional que busca a excelência não só é necessário na educação, mas em todas as áreas, é pessoa valorizada, e assim, com os salários baixíssimos do magistério, tal pessoa acha acolhida fácil em atividades muito mais rentáveis e valorizadas, ficando na educação em vácuo deste profissional tão necessário. A coisa é tão grave que cria-se uma cultura de mediocridade a ponto de hostilizar o  profissional que sobressai por buscar excelência, aquele que mesmo nas condições adversas impostas pelos gestores do ensino consegue destacar-se e ter até o respeito dos próprios alunos, como é odiado, e assim, pelo veneno da serpente da inveja o ensino afunda cada vez mais.

Excelência é uma palavra bonita, um título de distinção que torna-se honraria vazia em premiações vagabundas direcionadas pela política em vez da verdadeira excelência, é sua característica intangível que humilha os que querem suas honras mas não conseguem ter a verdadeira excelência. É impressionante como hoje, com a vastidão de informações da internet, o que encontra-se sobre educação vá do simplesmente medíocre, ao intelectualmente desonesto ou até ao crime. Se souberem de algum texto virtuoso na área da educação, que discuta fatos com honestidade, por favor, me avisem, pois de muito pesquisar nada encontrei, o trabalho científico do próprio Piaget é muito mal representado e na maioria das vezes deturpado. Peço para que os que quiserem aprofundar um pouco no assunto que leiam o trabalho intitulado “Excelência com Equidade” disponibilizado pela Fundação Lemann, a coisa começa vilipendiando a própria palavra excelência, no trabalho o alvo são os melhores dos piores, longe de qualquer excelência, fixa-se em avaliar apenas os que atingiram a mediocridade, com um olho distante que não estuda o fenômeno educação em si, mas do mesmo ponto de vista do etólogo que estuda um grupo de Jacus; desconsidera-se no trabalho que o Brasil já teve educação de excelência e que os protagonistas não são animais vistos em bando, mas que educação é um processo individual; este é o problema dos chamados educadores, eles não sabem a realidade da relação professor aluno e sua característica singular, que faz hoje, na era da tecnologia, a única diferença de um professor de verdade e um computador. O tal relatório é risível e trágico uma vez que estabelece como meta um ponto de rebaixo da educação, equidade vem da busca de todos pela excelência não da mediocridade, e o trabalho em si é um libelo em nome da mediocridade.

Outro trabalho que encontrei é chamado “Mapa do Buraco”, não é tão vagabundo como o da Fundação Lemann, mas é genérico, identifica os problemas da educação, mas não consegue fixar-se em ações concretas e frequentemente cai em consensos populistas e impensados, se forem abertos ao debate pode ser um bom ponto de início, mas apenas isso, há muita estupidez que precisa ser submetida ao contraditório pois traz embutido em seu texto muitos consensos ignorantes, destaco um trecho que confirma o que digo acima:

“Surge, por fim, uma questão decisiva: qual o primeiro passo? A história demonstra que as grandes transformações sociais exigem não apenas saber o que é certo, mas também saber o que vem primeiro. Quaisquer e todas as políticas públicas que nosso país pode colocar em marcha desde já, devem ser acompanhadas por uma mensagem forte sobre o papel central da educação para o futuro de nossas crianças e para o futuro do Brasil. Precisamos ser capazes de lutar pela educação daqueles que hoje estão na escola, mas que ameaçam trocar o estudo pelo emprego precoce. Precisamos lutar pelo futuro das crianças que ainda não ingressaram na escola, para que enxerguem na sala de aula a melhor forma de crescer na vida. Mas, sobretudo, precisamos disputar o futuro das crianças que já estão na criminalidade, no tráfico e na prostituição.”

Como disse antes, acredito que acesso a livros é o primeiro e necessário passo da educação, não é uma panacéia, não é mágica, é o primeiro passo que identifico em termos claros e objetivos, se advogo pelo e-reader, é por ele ser o primeiro veículo capaz de baratear a literatura fugindo do mercado viciado do papel. Livro no Brasil nunca foi barato e já tivemos educação de altíssima qualidade que foi oferecida a poucos, pois poucos tinham acesso aos livros. Com a universalização da educação o acesso aos livros torna-se mais crítico, não há universalização de ensino sem acesso facilitado dos estudantes aos livros, e o lixo da nossa educação universalizada prova isso, nada adianta universalizar o ensino se nada há para ensinar. E enfatizo o uso do e-reader na educação e não dos tablets, pois é a leitura complexa necessária à educação, e os tablets não se prestam a tais textos. É preciso notar e denunciar as dificuldades que o PT e a maioria dos partidos de esquerda colocam no e-reader, um passo fundamental da educação, pois isso demonstra da maneira mais clara suas reais intenções em manterem o brasileiro ignorante, dependente e subserviente.

É época de eleição, tudo que não querem é o debate livre, essencial para qualquer democracia, é preciso identificar os que querem deliberadamente que o brasileiro mantenha-se na ignorância, o relatório da deputada do PT Fátima Bezerra mostra bem isso, sem bons argumentos quer manter o imposto do e-reader que já seria proibido pela nossa constituição, Dilma mantém o imposto. Quem votar no PT estará invariavelmente comprometendo-se com a destruição do brasileiro, afinal, se depois de doze anos no poder tudo que temos é a piora do sistema de ensino e o aumento do analfabetismo, já ficou mais que claro suas intenções.

Estão aí meus argumentos: quem vota no PT vota contra a educação! Impossível discordar, o PT não tem argumentos que não sejam tergiversações ou o puro vigarismo que já denunciamos aqui de forma clara. É ideologia, nenhum partido de esquerda gosta de educação pois ela os desmascara em seus intuitos nefastos, quer fazer seu voto valer? Quer democracia? É preciso não só votar mas execrar publicamente as ideologias genocidas da esquerda.

Alex

4 comentários:

  1. Vivi Anne (da caixa do facebook),

    Faz tempo que MAVs não vem chatear por aqui, e o motivo é simples, não tem argumento, como você, e assim não só fazem um papel ridículo como são prontamente desmascarados depois que passamos a monitorar os IPs, você não teve a decência de colocar um único contra argumento ao que falei, aqui seu comentário:

    “Boca de urna no Blog é foda, hein? Eu admirava o trabalho de vcs até ler essa matéria aqui. Usar um blog que era bom pra mandar um "fora pt" sem antes ter pesquisado sobre o tema coloca vocês num patamar nojento. Leiam e se informem. Até um site "pequeno e de merda" contém algo em relação a isso que contradiz seu discurso fraco de boca de urna. Boa leitura. Parei de seguir vcs hoje. Abs.
    http://portal.aprendiz.uol.com.br/arquivo/2013/02/28/mec-quer-dar-acesso-ao-livro-digital-a-alunos-de-escolas-publicas/ “


    Primeiro golpe, tentar cassar meu direito de expressão, qualquer pessoa que não fale bem do PT ou ouse falar a verdade em qualquer área é taxado de fazer propaganda eleitoral, mas se for a favor do PT tudo bem. Esta não é manifestação de um agente pago pelo partido, por nenhum partido, é uma manifestação de livre consciência de cidadão, e pior, com bons argumentos que você sequer é capaz de contra-argumentar, essa história que não se deve falar de política é um truque para tirar o cidadão de verdade do debate, você não tem vergonha? Este é um tipo de censura só existente nas mais nojentas ditaduras, hoje Cuba, Venezuela e Argentina no caminho.

    Segundo golpe, fingir-se de leitora do blog, o que ficou ridículo, pois o que aqui apresenta-se é uma reivindicação que ocorre por anos no blog, e qualquer leitor pode ver o número de vezes ao longo de todos estes anos que lutamos por e-reader livre, essa historinha de: “Eu admirava o trabalho de vcs até ler essa matéria aqui.” é uma mentira tão descarada que se você fosse uma pessoa de verdade ficaria com vergonha.

    Terceiro golpe, já neste mesmo texto denuncio a tática, e prova que você não leu nada: ” Usar um blog que era bom pra mandar um "fora pt" sem antes ter pesquisado sobre o tema coloca vocês num patamar nojento.” esse negócio de mandar estudar ou tentar fingir que eu não tenho propriedade sobre o tema com um “sem antes ter pesquisado” foi denunciado neste mesmo texto acima! Conheço bem o tema, tanto que a “senhora” teve que recorrer a um truque em vez de colocar um contra argumento que não tem, ao colocar um link que em nada contradiz o que disse, e se pensar, só confirma, tal o nível de asneira do texto, ele é de fevereiro de 2013 e diz que o governo distribuiu 382.317 tablets, o que ninguém viu, e pior, esses tablets já estariam obsoletos, enquanto o e-reader ainda estaria funcionando do mesmo jeito, e só queremos que Dilma pare com o imposto da vergonha que é inconstitucional e rouba um direito do povo, você quer justificar que milhares de crianças, ano sobre ano, sejam despejadas nas estatísticas de analfabetos funcionais por uma atitude hedionda de Dilma e o PT que agem por ideologia para tornar todos os brasileiros pobres e dependentes, vergonha!

    E se os leitores notarem aqui os padrões, encontrarão na internet milhares de posts com essencialmente os mesmos golpes, para vocês verem como esse pessoal é desprezível, eles não tem argumentos e precisam usar de truques, isso é uma vergonha!

    Alex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alex,
      sua paciência é unica.

      Excluir
    2. The Crow,

      Não é só paciência, é obrigação, pois se deixamos, estes vagabundos tomam o país e não teremos mais um lugar decente para morar, desmascarar este tipo de discurso é didático, eles não aprendem nada, não querem, são conscientes da própria mentira, mas é educativo para os que lêem, esses caras são burros e agem em bandos, usam o mesmo discurso, assim quanto eu destruo seus argumentos qualquer outro que leu pode fazer o mesmo, é uma forma de educação.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    3. Bem, como sou mais pessimista, acho que o tempo de parar o socialismo se foi a 12 anos atrás. Estou muito desanimado, pois vejo o que será aplicado aqui com o passar do tempo. Não tenho mais esperança que esse trem saia do trilho que está antes de chegar na estação.

      Excluir