segunda-feira, 21 de julho de 2014

O Brasil dos perdedores: a luta do PT para evitar que o e-reader seja acessível ao povo.

Aumentar Letra Diminuir Letra





Não há fogo sem combustível, não há água sem hidrogênio e nem cultura sem livros, uma realidade óbvia, mas os que querem um brasileiro ignorante, crédulo e fácil de ser enganado, teimam em afirmar que há fogo sem combustível, não há! Livro é essencial para cultura, mais ainda para educação, e sem livros não se aprende a ler, e isso explica o motivo de 75% da população brasileira ser de analfabetos funcionais, aleijões da leitura, deficientes fabricados a propósito. Dilma, o PT e em particular a deputada Fátima Bezerra querem a todo custo inviabilizar o e-reader para o brasileiro pobre, uma vez que nunca tivemos e não teremos livros de papel acessíveis, o e-reader é a melhor aposta para divulgar a literatura entre todos cidadãos e assim melhorar a leitura, educação e cultura. Por este motivo o PT direciona todos os esforços para manter o e-reader caro e inacessível ao pobre, eles precisam de ignorantes! E isso mostra um ponto fundamental: o PT não é o partido dos pobres mas sim da pobreza, pois dedica-se a manter os brasileiros miseráveis. Vocês tem dúvidas? Vejam a Venezuela, é o mesmo modelo ideológico que segue o PT, hoje lá papel higiênico é um luxo! Vocês querem viver naquela miséria? O PT lhes dá a receita!

Vemos no andamento do projeto PL4534/2012 uma analogia de tudo que tenta o PT para tomar o poder de forma autoritária e tornar os brasileiros cidadãos de segunda classe em seu próprio país. Mostro a vocês com extrema clareza: diz o texto constitucional que é vedado ao governo de qualquer esfera instituir imposto sobre “livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impressão”. A constituição é um texto perene, assim o ebook e o e-reader como sinônimo moderno do que é o livro, pela hermenêutica mais básica já contaria com a proteção deste dispositivo constitucional. Mas Dilma não quer! Ela não quer que o brasileiro seja educado e por isso taxa o e-reader, pois sem ele não há ebook, com a popularização no mundo o e-reader tornou-se relativamente acessível, sem os impostos do PT ele custa o preço do celular mais barato, e isso é um perigo para a ideologia petista, vai que o cidadão começa a ler e percebe seus truques básicos, tragédia! Não iam mais ser eleitos nem para faxineiros de banheiro público. Por isso o projeto do senador Acir Gurgacz que já foi aprovado no senado deve ser rejeitado, pois ele diz apenas que ebook e e-reader são livros e gozam da mesma imunidade de impostos.

O projeto foi aprovado no senado depois de dois longos anos, mesmo com o PT sendo contra, tempo demais para um país onde a educação é precária, foi para a câmara onde o presidente Marco Maia petista fez com que tomasse o caminho mais longo possível para evitar que fosse aprovado; na comissão de Cultura a relatora é a deputada também petista Fátima Bezerra, dois anos de lenga-lenga e a deputada divulga seu parecer onde inviabiliza a retirada dos impostos ao e-reader, chega a ser piada, mas o relatório é contraditório em si mesmo, não colou, o deputado Ônix Lorenzoni fez voto em separado concordando com a não tributação do e-reader e a deputada inventou uma espécie de audiência pública, que não tem nada de pública pois foi feita apenas com seus convidados, para justificar a sua decisão, a coisa foi uma vergonha, uma verdadeira palhaçada e nós demolimos os argumentos ruins com a maior facilidade. Mas a realidade que todos escondem é que justamente por falta de apoio que a deputada Fátima Bezerra não enterrou de vez o e-reader nos impostos, são os deputados, os representantes do povo que não permitem que a vontade ditatorial do PT tenha êxito. Por pior que seja nossa democracia representativa, ela é melhor que a ditadura do PT. Foi tanta demora que o projeto passou do tempo regimental para ser apreciado uma vez que é oriundo do senado, o deputado do PMDB do RS Darcísio Perondi exigiu que o processo fosse votado em plenário, e se for, aí veremos o que acontece, a realidade é que a mesa da comissão de cultura dominada por esquerdistas nunca colocou o projeto em votação com medo de perder, eles precisam da ignorância do povo, mas não tem maioria para rejeitar a proposição do Senador Gurgacz. Ou seja: a nossa democracia representativa, mesmo precária impõe-se contra os desejos totalitários do PT, mas o que é pior, quem acompanha o andamento do projeto na imprensa vai pensar que ele já naufragou pela vontade exclusiva da deputada Fátima Bezerra do PT, o que é a mais ignóbil mentira! Ela e sua proposição encontram-se em posição de fraqueza e não conseguem rejeitar o projeto, mas como dominam a presidência da comissão ficam protelando.

Há inúmeros exemplos práticos a se tirar do que acontece: a tal audiência pública que a deputada Fátima Bezerra convocou não tinha nada de pública uma vez que só participavam os convidados, ou seja, uma audiência pública que não é pública é uma mentira! E isso não é novo, é parte da ideologia, tanto que tem até um nome: “Nomenklatura”, na antiga URSS as pessoas não eram todas iguais, a nomenklatura representava a casta dominante, a que mandava, e eles ocupavam todos os postos formando o "Apparatchik" , e desta maneira os cidadãos ficavam fora do governo que mentia dizendo representar todos os cidadãos. Na tal audiência pública foram privilegiados os membros da nomenklatura, mas sem estes nomes burocráticos a coisa é a simples panelinha. A tal audiência que era para ser pública não era, pois tinha privilegiados os membros da panelinha do governo. É assim que age o PT, e se fosse por eles o projeto já teria chumbado, mas não, os deputados não petistas ainda não concordaram com a coisa e o PT não tem o poder sozinho, eles fazem estas palhaçadas para tentar solapar a representatividade dos outros deputados, mas ainda não funciona, ainda temos um resto de democracia, por pior que seja, é melhor que a ditadura do PT.

O tal decreto 8243 da Dilma é uma maneira de impor as panelinhas do PT em todas as instâncias do governo, assim como a audiência pública da Fátima Bezerra, que não é pública pois participam dela apenas seus convidados, os membros da panelinha ou nomenklatura. O tal decreto quer fazer com que os únicos cidadãos que contam sejam os que o PT considera, assim os membros da panelinha ganham voz e o resto dos brasileiros viram cidadãos de segunda classe tendo que se conformar com os desígnios ditatoriais do PT. Eles dão a desculpa que esta seria uma democracia direta, um pinóia! Democracia direta depende do sufrágio universal, todos sob a mesma lei, todos iguais perante a lei, esta palhaçada nada tem de democracia direta, é apenas uma mentira para encobrir um método de ditadura! Um jeito da panelinha do PT dizer para você o que fazer, controlar suas vidas. Democracia é muito mais que isso, e logo mais entro em detalhes, mas vamos a outros exemplos.

O decreto 8243 cria os tais conselhos populares, vulgo a panelinha do PT, o Ministro Gilberto Carvalho já tenta viabilizar grana pública para essa nomenklatura com o pagamento de passagens e diárias, a coisa tenta ser rápida. Dizem que não há problemas pois os tais conselhos já estão em funcionamento, e é verdade, veja o caso que mostramos aqui do enxovalhe de Machado de Assis, foi aprovado por uma tal de CNIC, Comissão Nacional de Incentivo à Cultura, apesar do absurdo de deturparem Machado de Assis com montes de dinheiro público, o que nós cidadãos podemos fazer? Nada! Nós não temos voz, eles fazem o que querem, e como a própria Patrícia Engel Secco declarou no programa Globo News Literatura, o projeto veio de dentro do governo, da panelinha, de uma conversa na coordenação de livro e leitura do Ministério da Cultura, o projeto foi para a tal CNIC e foi aprovado com a bagatela de mais de R$1.000.000,00 do dinheiro do brasileiro. Estou sendo bem claro? Se dependesse de tais comissões o projeto do e-reader já estaria condenado, mas depende dos outros deputados que representam partidos diferentes do PT, é a nossa precária democracia que nos protege da ditadura do PT que nos obrigará a sermos felizes com uma pobreza venezuelana.

É necessário entender o motivo da sabotagem da educação de verdade ser prioritário para toda ideologia de esquerda: ela é ruim, fraca e mentirosa e não sobrevive a um debate honesto com pessoas inteligentes e esclarecidas, ela é apenas uma desculpa para grupos vagabundos tomarem o poder e viverem de forma nababesca sustentados pela ditadura do estado, os maiores genocídios do século passado ocorreram em regimes ideológicos de esquerda, não há nada de humano, mas de genocida, e isso mostram os livros com a maior facilidade. Por isso Dilma quer a todo custo barrar o e-reader, pois ele representa a circulação livre de livros que podem educar o cidadão, vemos todo dia propagandas ufanistas da Petrobras na televisão, e todos sabemos da derrota da companhia tomada pelos petistas, os casos de corrupção avolumam-se nas páginas jornalísticas, e mesmo assim eles não tem vergonha na cara de fazer propagandas superlativas gastando mais ainda do dinheiro público, não estão promovendo um produto da companhia, mas sim a mentira do governo. O que custaria seguir a constituição no caso do e-reader? Quase nada perto dos montes desperdiçados pela Petrobras, mas o e-reader é perigoso, torna os livros mais livres e corre o risco de educar o cidadão, que não mais cairá nestas propagandas vagabundas e mentirosas. Não é apenas mesquinharia que impede o e-reader é somente a mais pura inumanidade, a mesma ideologia que proporcionou montanhas de cadáveres.

Muito falou-se sobre o livro do tal Piketty, e isso é patético, qualquer pessoa semi-esclarecida vê o quanto o livro traz uma argumentação patética para justificar o marxismo já ultrapassado e demolido em seus fracos dogmas. Ou seja, qualquer um que tente defender as ideologias da esquerda não é um pessoa muito inteligente e assim não pode enfrentar de maneira frontal e honesta uma argumentação, um livro como “O Capital” só sobrevive se a pessoa nunca leu outra coisa, qualquer um com um pouco mais de leitura vê como as idéias de Marx são fracas, e mais, injustas, o tal valor trabalho é absolutamente ridículo e nega uma realidade básica do ser humano, somos todos diferentes, impor este tipo de “igualdade” é massacrar o ser humano, o tal marxismo que diz revestir-se de um planejamento científico é apenas uma crendice que não resiste ao confronto com a própria realidade. O livro do Piketty fez sucesso não por ter bons argumentos, mas por tentar validar uma ideologia já morta que seus cultuadores não tem mais argumentos; a desigualdade no mundo aumentou? Os mais pobres vivem melhor hoje com maior desigualdade ou antigamente quando a desigualdade era menor? Qual era a desigualdade nos países socialistas onde os líderes vivem no mais alto luxo enquanto a povo vive na mas hedionda pobreza? Não é Cuba um bom exemplo para enterrar o Piketty? Ou seja, como disse antes, este tipo de estupidez só prospera pela ignorância, que os livros livres podem acabar, por isso livro e liberdade de expressão são tão combatidos por todas as ideologias de esquerda.


Toda ideologia de esquerda odeia a democracia pois ela enseja em si a idéia de educação e liberdade individual, mais que isso, democracia não se presta a ser ideologia ou dogma, é um conceito que evoluiu com o tempo e hoje é a nossa melhor prática de convívio social, é ignorância associar democracia só a voto, pois este não é o seu cerne, vota-se quando não se chega a um consenso na argumentação, pois é o debate livre, a argumentação esclarecida o cerne da democracia. Por isso para o cidadão exercer a democracia ele precisa aprender a argumentar, voto unicamente não representa democracia, se assim o fosse 51% poderiam decretar a morte dos outros 49%, isso não existe. Quem resume democracia ao voto não sabe o que é democracia, é a mediocrisação de um debate muito mais profundo que só prospera se aliado à ignorância. O voto pode ser aparelhado e usado para destruir a democracia, os demagogos já o faziam na Grécia antiga, mas a educação de verdade, esta só liberta, e ela hoje está aliada à livre circulação de idéias com livros livres, por isso a constituição brasileira impede que livros sejam taxados, por liberdade de expressão, divulgação da cultura e fomento da educação. Mas quando temos um supremo dominado por membros da nomenklatura, os defensores da constituição e dos direitos individuais salvaguardados na carta tornam-se seus algozes.

Nosso momento atual não deve ser visto com leviandade, estamos na encruzilhada entre a pobreza e a ditadura da Venezuela, ou ao desenvolvimento social que um povo tanto merece, ou tomamos a nós a responsabilidade ou os vagabundos vão nos escravizar na pobreza para manter seus privilégios ditatoriais. Se o mensalão não foi um aviso bom o suficiente onde os dirigentes petistas tentaram destruir a república, o decreto 8243 não podia ser mais claro para criar os “soviets” no Brasil e assim jogar o brasileiro de verdade ao escanteio para que a nomenklatura tome seu lugar. E digo e afirmo mais uma vez: só crescemos com educação, e educação de verdade precisa dos livros livres. Não é uma receita direta, mas é o passo mais fundamental para que possamos ter um país mais humano de verdade. Não vote nulo, vote contra o PT, não vote em branco, vote contra o PT, não deixe de votar, vote contra o PT, e não importa em quem vote desde que não seja o PT, pois como vocês viram, por pior que seja a nossa democracia, a ditadura do PT é ainda pior, por ela o e-reader já estaria proscrito. E vamos cobrar por um sistema eleitoral auditável pois não podemos conviver com a suspeita de fraude, ou o sistema é transparente ou não há confiança em seus resultados, ainda mais com os membros da nomenklatura controlando o processo.

Alex

2 comentários:

  1. Alex, bom dia a saraiva irá lançar um e-reader amanhã. http://www.publishnews.com.br/telas/noticias/detalhes.aspx?id=78107

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta,

      Estou acompanhando as notícias, acho o fato bom, aumenta a visibilidade do e-reader, ainda mais que eles tiveram coragem de entrar com uma ação contra o ato do governo, mas acho que não farei um post pois incomoda-me fazer propaganda gratuita para a Saraiva. Como eu evito seus serviços, não seria honesto indicar um serviço que não uso e nem irei usar.

      Abraço,
      Alex

      Excluir