sexta-feira, 23 de agosto de 2013

E-readers mais ou menos independentes.

Aumentar Letra Diminuir Letra



Graças aos deuses do mercado temos por aqui duas linhas de e-readers, que por incrível coincidência entraram juntos no Brasil, Kobos e Kindles, cada um deles ligado à sua livraria, o Kindle mais restrito e Kobo mais livre, mas ambos a serviço do sistema de venda de ebooks a que são vinculados. Existem muitos outros aparelhos e-readers no mundo, mas estes vinculados às suas livrarias destacam-se, mais populares, mais baratos pois servem para ter lucro não na venda exclusiva do hardware, mas nos livros adquiridos pelos usuários. O mundo é grande e existem muitos outros e-readers por aí, no momento para o brasileiro é muito mais fácil, cômodo e barato comprar um dos dois, mas tem gente que quer algo diferente, isso é bom pois aumenta a competição e traz mais diversidade no mercado, no sistema capitalista monopólios são sempre prejudiciais ao consumidor.

Quando você compra um livro importado você paga livro e frete, espera chegar à sua casa e mais nada, sem imposto, isto porque na constituição tem um artigo que impede a cobrança de imposto sobre livros, pelo sentido da hermenêutica mais básico o mesmo valeria para o livro eletrônico e seu suporte, mas não é o que ocorre, se importar um e-reader ele não chega como um livro, apesar de ser sua acepção moderna, mas paga 60% de imposto sobre o preço do aparelho e também sobre o preço do frete e seguro que por ventura foi contratado, tudo isto para inviabilizar a leitura barata para o cidadão, um plano aberto do PT nos foros de São Paulo para idiotizar a população e não lhe dar acesso à educação de verdade, a tal que liberta. Quem lê inglês ou outra língua estrangeira sabe que mesmo pagando frete o livro importado sai muito mais barato, mas isso só serve aos privilegiados que conseguiram aprender uma segunda língua, a maioria dos brasileiros que mal falam português fica fora, tendo que pagar os preços extorsivos cobrados pelas editoras brasileiras, mas não pagam, não tem para pagar e assim garantem uma população ignorante com todos os inúmeros males que causa. Sem imposto os e-readers poderiam oferecer livros mais baratos em português aos mais pobres, mas não, livro torna o cidadão inteligente, um privilegiado, um cidadão de verdade, o que o governo dos vagabundos não quer.

Se o governo PT não cobrasse o imposto da vergonha, além dos e-readers já vendidos no Brasil custarem a metade do preço, o brasileiro poderia importar outros e-readers sem pagar verdadeira fortuna de imposto usado para imbecilizar o cidadão. Dentre os e-readers fora do domínio Kobo/Amazon existem aparelhos com características interessantes: telas maiores, menores e a possibilidade de escrever sobre as páginas, além de outras.

A primeira que cito é a Sony, pioneira do e-reader, não é exatamente independente pois tem sua livraria que não vende para brasileiros. A nova encarnação do Reader já vazada, o T3, traz as características comuns dos últimos lançamentos e a habilidade exclusiva do software da Sony de escrever nas páginas, que aliás, está testando um caderno eletrônico de grande formato que pode ser usado como leitor.

Uma das independentes mais interessantes é a Onyx Boox, o seu M92 tem tela de 9,7 polegadas, excelente para o pessoal que tem muito PDF para ler ou estudar, além disso tem o i62 e o i62Hd que além de ler tocam áudio, característica que desapareceu dos e-readers de livrarias.

A PocketBook também tem seu modelo de tela grande, o Pro 912 com tela de 9,7 polegadas e som, mas com menos memória e processador mais lento que o M92, tem também e-reader com tela 6” com e sem luz e um mini com tela de 5”.

A Bookeen tem vários modelos com 6” e um com tela de 5”; o Cybook odyssey hd frontlight tem um sistema exclusivo de ler PDF que transforma o texto em colunas em um fluxo vertical contínuo.

A Trekstor tem e-readers com telas de 8”, 6” e 4,3”, o menor de todos.

Já as livrarias alemãs estão com o Tolino Shine, um e-reader de 6” com todos os padrões dos atuais.

Só para mostrar que o mundo dos e-readers é mais diversificado que você imagina, há uma batalha para privatizar os ebooks, os e-readers que quiserem abrir o sistema de Adobe DRM devem pagar para a Adobe por este privilégio, ao contrário, todo e-reader pode ler epub e outros formatos abertos; a Amazon não paga Adobe DRM, tem seu próprio sistema que em teoria só permite ler seus livros nos sistemas Kindle. Há por aí uma argumentação estúpida das editoras querendo que os ebooks de livrarias durem um presumido tempo de durabilidade do livro de papel, parece querer colocar arreio em carro e encher o tanque com capim, mas como vemos no Brasil o preço do ebook ainda tem como referência o livro de papel, tornando-os caros e injustos e empurrando o leitor para a pirataria justificada pelos preços extorsivos. Quem gosta de livros tem que ter o compromisso em diminuir os preços e aumentar os leitores, estamos no caminho inverso que privilegia o lucro burro e o servilismo, aumentando preços e diminuindo leitores.

Alex

10 comentários:

  1. Oi Marta,

    Pagar a taxa ao governo não é só ridículo, é indecente e imoral em um país que tem em sua constituição que livros são imunes de impostos e uma população plenamente ignorante que não consegue ler e entender um texto simples; quem já gosta de ler sabe ler, tem um compromisso com a leitura, tira prazer da leitura e vai comprar um e-reader pois ele dá acesso mais simples e pleno ao seu prazer, simples assim. Mas não é a estes que me refiro, preocupo-me com aqueles que nunca vão ter o prazer da leitura pois nunca terão a possibilidade de experimentar e aprender a ler. Educação é obrigatória, um pai que não coloca o filho na escola vai responder processo por abandono intelectual, e ler é a atividade mais básica que vai-se aprender na escola, sem livros não há treino de leitura, não há leitura, não há educação, as crianças não ficam plenamente alfabetizadas e carregarão esta chaga ao longo de toda vida. O e-reader não é uma ferramenta mágica que fará todos lerem em um piscar de olhos, mas no Brasil, desde o descobrimento, será a primeira vez na história que a literatura terá preço minimamente acessível e com liberdade. Não dá para comparar EUA e Brasil, são questões diferentes, aqui apenas 25% da população tem domínio da leitura, lá são 75% pois os livros sempre foram acessíveis, desta maneira, lá o e-reader não é uma questão de acessibilidade, aqui é.

    Parar com o imposto da vergonha é uma atitude ínfima em custo e que muda uma maré desfavorável à literatura desde o descobrimento, e não é preciso ser gênio para ver as marcas desta chaga na pele do povo brasileiro, é simbólico e prático pois desnuda de forma frontal o absoluto descaso com que o governo trata a educação; no caso do PT tem até um corolário ideológico que quer o povo ignorante para não ser um cidadão pleno e assim não saber operacionalizar uma democracia. O imposto é uma sabotagem explícita e pensada à educação de verdade que se processa com liberdade.

    Sem o acesso livre e lúdico à literatura e o conhecimento que ela carreia o cidadão nunca será capaz de apropriar-se do prazer de ler e aprender, o acesso ao livro é o degrau mais simples e básico nesta jornada, e assim, sem tirar este imposto ínfimo nas contas do governo, vemos de forma crua a monstruosidade da mesquinhez do governo petista.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  2. Iara Cristo Zanivan,

    O e-reader não é coisa de “modernidade”, aliás, muito ao contrário, com ele textos há muito fora do prelo estão renascendo, estão em domínio público, podem ser lidos e distribuídos gratuitos. O e-reader apenas confere a mobilidade da internet aos livros, assim como um dia a prensa de Gutenberg deu mobilidade aos textos clássicos antigos. Quem sabe teremos um novo renascimento?

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  3. Ja fico feliz em saber que já é acessivel ebooks coloridos e ebooks de 9.7 polegads. Vai ser perfeito para estudar PDFs

    ResponderExcluir
  4. Alex, você acha mesmo que uma parte do povo que não lê e é ignorante assim o é porque não têm acesso à e-readers? E isso tudo é uma conspiração do PT? Fala sério né?

    Um Kindle sem impostos, US$ 89,00 ou R$ 203,00 cabe no bolso de todo brasileiro né? O leitor é um equipamento eletrônico, como um computador ou um celular. Não incide impostos nos livros comprados para eles. Ao invés de e-readers, faltam bibliotecas públicas.

    Você escreve que "a maioria dos brasileiros que mal falam português fica fora": então com e-reader sem impostos ou não, a questão está mais embaixo, não?

    Me divirto com alguns que gostam de culpar o PT para tudo e qualquer coisa. Parece até que todos líamos muito e éramos intelectuais até a chegada do PT à Presidência, quando instantaneamente tornamo-nos ignorantes, os impostos explodiram, a educação pública virou ruim... Aham, senta lá Claudia!

    Enquanto isso, o Lula criou em 2 mandatos 15 novas universidades federais, algo em torno de 120 novos campi. Além disso, o orçamento do MinC (Ministério da Cultura) aumentou 4 vezes, de R$ 540 milhões em 2003 para R$ 2,2 bilhões em 2010. Pouco para quem quer ver o povo ignorante como você escreve, né?

    Vá ler um bom livro e relaxar um pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo,

      Sempre é mais trabalhoso dizer a verdade em vez de proferir mentiras, pois a mentira por sua natureza é sempre leviana, mas seu texto pede resposta por questões didáticas, para mostrar ao leitor os principais truques retóricos usados pelo PT para esconder a verdade, vou destruir uma a uma cada mentira de forma clara e diligente.

      “Alex, você acha mesmo que uma parte do povo que não lê e é ignorante assim o é porque não têm acesso à e-readers? E isso tudo é uma conspiração do PT? Fala sério né?”

      Ignorância, não por não ter acesso a e-readers, mas por não ter acesso a livros, o e-reader facilita e barateia o acesso, desta maneira permite a difusão de livros com custo ínfimo em relação ao papel por conta de meio e infra-estrutura, isso não é uma “conspiração” do PT mas ação, uma vez que a manutenção do imposto pela Dilma é clara, não há desculpa, é uma sabotagem monumental, principalmente quando sob o governo PT aumentou-se o número de analfabetos, em termos de conspiração podemos falar no Foro de São Paulo.

      ”Um Kindle sem impostos, US$ 89,00 ou R$ 203,00 cabe no bolso de todo brasileiro né? O leitor é um equipamento eletrônico, como um computador ou um celular. Não incide impostos nos livros comprados para eles. Ao invés de e-readers, faltam bibliotecas públicas.”

      No Brasil existe mais celulares do que pessoas, e este é o preço dos celulares mais baratos, ou seja: cabe no bolso de todo brasileiro! Infelizmente incide imposto sobre ebooks caso não já não saiba, portanto, mais uma mentira. E o preço do Kindle seria R$150,00, hoje vendido a R$300,00 por conta do imposto inconstitucional e imoral que é cobrado pelo governo Dilma PT!

      ”Você escreve que "a maioria dos brasileiros que mal falam português fica fora": então com e-reader sem impostos ou não, a questão está mais embaixo, não?

      Não, aqui mais uma mentira ou falácia, retirar um trecho fora do contexto e reduzir a questão criando a “straw man fallacy”, os brasileiros ficam fora da absurda diversidade de textos em domínio público da língua inglesa, como ficam fora da internet, em sua maioria em inglês, mas tem muito para ler na nossa língua nativa, e mais do que isso, o que custa para um governo uma tradução? O governo pode pagar tradutores para colocar em domínio público o que já existe, só com os dois últimos desvios anunciados da Petrobras seria possível pagar muito bem a tradutores e ter mais de 150.000 livros traduzidos... está bom para você? Só com o dinheiro roubado de dois projetos da Petrobras é possível traduzir e disponibilizar gratuito para os brasileiros esta montanha de livros dentre o melhor do mundo! Visto assim, a bandidagem do mensalão e os desvios da Petrobras não ficam ainda mais monstruosos e inumanos?

      Continua:

      Excluir
    2. Continuando:

      ”Me divirto com alguns que gostam de culpar o PT para tudo e qualquer coisa. Parece até que todos líamos muito e éramos intelectuais até a chegada do PT à Presidência, quando instantaneamente tornamo-nos ignorantes, os impostos explodiram, a educação pública virou ruim... Aham, senta lá Claudia!”

      Mais uma falácia, e das grandes, o PT não é culpado de tudo, mas como pratica muitos “mal feitos” (corrupção na linguagem popular), fica parecendo que são os únicos bandidos da nação, não são os únicos mas são os maiores, e mais do que isso, querem o direito de roubarem sozinhos, veja que os corruptos de outros partidos foram expulsos antes mesmo do fim do processo judicial, enquanto o PT mantém em seus quadros os bandidos, os protege e mantém com influência, veja o caso do emprego da namorada do Zé Dirceu, cargo de confiança no senado ganhando R$12.800,00, mesmo depois de condenado e comprovado! Quais bandidos brasileiros tem estes privilégios? Que outro bandido condenado que tem essa influência? O fato é que sob o governo PT aumentou o analfabetismo, e a grande falácia aqui é achar que estar no governo não implica em responsabilidade, implica! E no caso de fracasso é culpa mesmo! E mais ainda no caso dos impostos, eles estouraram no governo PT e os serviços de saúde, educação e segurança nunca foram piores, ou seja: cobram mais para oferecer menos ao cidadão, mas como pode ver são muito generosos com os seus, basta ver o salário da namorada do Dirceu! Sob o governo PT a educação pública piorou? Pirou! E muito! Dados do próprio governo, por isso vimos o vergonhoso aumento do analfabetismo este ano!

      ”Enquanto isso, o Lula criou em 2 mandatos 15 novas universidades federais, algo em torno de 120 novos campi. Além disso, o orçamento do MinC (Ministério da Cultura) aumentou 4 vezes, de R$ 540 milhões em 2003 para R$ 2,2 bilhões em 2010. Pouco para quem quer ver o povo ignorante como você escreve, né?”

      Universidade Federal de papel é fácil quando não se vê que as salas estão precárias e os alunos tem aulas ruins em um grupo escolar. Ou seja, propaganda tem, muita e cara, mas nenhuma desta ações teve sucesso, vê a mentira? Como tendo mais universidades a taxa de analfabetismo funcional dos universitários aumentou? Pois os tais cursos são um fracasso! E pior ainda, se a verba do ministério da cultura aumentou, como o analfabetismo total e funcional aumentou, ou seja, ficou mais caro ter mais analfabetos e isso mostra mais que claramente o que é incompetência gerencial, para dizer o mínimo, pode ser algo muito pior, irmão do que aconteceu no mensalão. Assim, gastar mais só se justifica se temos melhores resultados, no caso contrário, só mostra que os petistas foram muito mais incompetentes, e administrar bem significa fazer mais com menos dinheiro, o contrário do PT que faz menos com mais dinheiro, ficou claro!

      Acho que fui bem claro elucidando mentiras, apontando a falácia e evidenciando o tipo de discurso leviano que precisa da ignorância para prosperar, pois como viu, com um mínimo de conhecimento as mentiras viram pó. Um partido como o PT que precisa da mentira deve ser execrado por todo cidadão que preza a verdade!

      Alex

      Excluir
  5. Legal, vamos trazer e-book readers importados à vonts e ferrar mais ainda com a balança comercial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E-reader afetar a balança comercial… se um dia isso acontecer seremos um país feliz, pois acabamos com a ignorância, afinal é a própria ignorância que nos faz exportar produtos de valor agregado ínfimo o que acaba com a própria balança comercial! São os jumentos ignorantes do PT que querem um país de burros e estamos pagando a conseqüência, burros no governo balança comercial e economia no buraco!

      E quer o pior: a imunidade do livro é um instituto constitucional que está sendo violado, tudo para difundir a ignorância. Não lhe dá asco deste governo?

      Alex

      Excluir
  6. Não existe uma noção de "todo" o Brasil é uma coleção de picaretas cada um puxando pra um lado, querendo que suas taras pessoais sejam privilegiadas. Como assim pagamos muito imposto? A carga tributária aqui é 35% do PIB, empata com todo o mundo civilizado. Japão, França, Alemanha, Canadá, etc, etc, etc. Só que aqui é um país pobre, o pib percapita é um terço e a arrecadação per capita é um terço. Então para termos um estado que entrega 1/3 dos serviços que os supracitados, o custo dos impostos é o mesmo. Mas espere, a malandragem maior eu ainda não falei. Aqui o imposto dos ricos é um dos menores do mundo. O Brasil funciona como um paraíso fiscal dos ricos. As faixas de imposto de renda aqui são poucas e o teto é baixo http://mundoestranho.abril.com.br/materia/qual-e-o-imposto-de-renda-mais-caro-do-mundo. Como tapar o buraco? Taxando o consumo. Então é verdade que o consumo deve ser menos taxado, mas não é verdade que "os impostos são altos". Na verdade são baixos pra quem pode pagar e altos pra quem não pode.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, pagamos muito imposto, pois além de tudo ele incide em cascata, ou seja pagamos imposto sobre imposto, e isso faz com que a cobrança efetiva seja muito maior, e não recebemos o equivalente em serviços, por incompetência e por desvios, as empresas que pagam menos imposto também recebem bolsa empresário do BNDES, e assim, quem paga imposto é a classe média, que não ganha e guarda, mas ganha e consome, pois precisa, e ainda tem que pagar educação particular com imposto, saúde particular com imposto, e não ter segurança. Quanto mais rápido desalojarmos o PT do poder e rasparmos todos os vestígios destes tentáculos gosmentos da administração pública, podemos sair do buraco maior que entramos.
      Alex

      Excluir