sexta-feira, 24 de maio de 2013

Alerta vermelho: seu filho lê mais que uma página?

Aumentar Letra Diminuir Letra



Vários anos em um colégio caro, bom aluno, notas sempre acima de oito, mas o garoto começa a ter problemas na sétima série, não estuda sozinho, sempre precisa de um pai ou tutor, o que está acontecendo? Ok, ele não gosta muito de ler, até aí sem problemas, não há como obrigar; alias, é até pior. Mas em realidade não é este o problema, não só não gosta de ler, mas não consegue ler mais que uma página e sem compreender bem o que diz o texto! Pode pensar que este é um caso extremo, também pensei e resolvi fazer uma pesquisa informal, a maioria das crianças de quinta, sexta e sétima séries não conseguem concentrar-se mais que o tempo de uma página! Ficou assustado? Eu fiquei terrificado! Como isso pode acontecer, não estou me referindo aqui somente a colégios públicos, mas também escolas com mensalidades beirando três mil reais! Como uma criança chega com notas boas à sétima série sem ler mais que uma página?

A realidade é que a leitura deixou de ser uma preocupação escolar, a maioria das escolas não exige mais que dois livros em um ano, e apesar das montanhas de lição de casa, é tudo trabalho repetitivo e inútil, nunca é exigido do aluno uma leitura ou tarefa mais desafiadora, é tudo muito protocolar, mecânico, e os piores são os chamados sistemas de ensino, uma espécie de cursinho pré-vestibular precoce, que em vez de oferecer material para o aluno pensar e entender o fundamento do que estuda, dá respostas prontas para serem decoradas e repetidas em prova, como se a criança fosse um papagaio.

Há solta por aí uma ideologia extremamente perniciosa do que seja ensino, este descaso com a leitura beira o crime, e a criança só prospera na escola sem ler pois as tarefas não exigem leitura e muito menos compreensão do que se está fazendo. Mas o professor deveria notar que o aluno em questão não tem qualquer competência na escrita uma vez que não lê, mas deixa passar, como se isto não tivesse importância, desculpe, mas uma criança na sexta série, antiga quinta, deve ter um texto minimamente coerente, o que vi é de assustar. Sabe qual é a desculpa? Que estes textos horrorosos são bons, pois existem na classe alunos muito piores! Dá para acreditar! O que é pior, depois desta constatação vários pais foram falar com orientadores educacionais e diretores que não souberam explicar, depois de receberem uma bolada para educar seus filhos tudo que podem fazer é um dar de ombros sugerindo outra escola, como se não tivessem qualquer responsabilidade!

Leitura é fundamental, é com ela que treinamos nossa língua, mais que isso, a leitura é o único exercício de concentração que temos, é lendo que desenvolvemos a concentração; sem leitura, sem concentração, por isso que muitos pais acham que seus filhos tem síndrome de déficit de atenção e disparam a comprar ritalina, e a droga tem o efeito inverso em quem não tem a patologia! O garoto não tem problema, o ensino está com um grande problema! É normal que o estudante no início escolar tenha dificuldades em leitura e não consiga concentrar-se por mais que uma página, mas é lendo que a situação muda, é o treino da leitura que vai desenvolver o poder de concentração gradualmente, e em um desenvolvimento normal, um aluno de sétima série lerá umas trinta páginas sem perder a concentração. Sem ler por si o aluno será um eterno dependente, pois não tem autonomia para tomar um texto em mãos e estudar por conta própria.

Faça o teste, quantas páginas seu filho lê? Se ele já é um leitor não terá o menor problema, e passou por todas as etapas sem esforço, divertindo-se, mas se até agora ele não lê, não adianta jogar um texto enorme, vai ter que fazer o serviço aos poucos, aumentando gradativamente a carga de leitura e perguntando pontos chaves do texto para certificar-se que houve compreensão da escrita, mas esta não é a pior parte, o mais difícil é faze-lo ler sem criar traumas que o afastem ainda mais da leitura, só sendo atividade lúdica e divertida a criança prospera sozinha, não fique chateado por perceber que seu filho é um leitor deficiente, mas corrija o quanto antes, tudo que ele precisa é conseguir ler um capítulo de Harry Potter inteiro. No início pode ajudar faze-lo ler em voz alta e depois de cada parágrafo perguntar o que ele quer dizer, mas esta tática não pode passar de duas páginas, depois o estudante deve ler calado, criando as imagens na mente, desenvolver gradativamente maior concentração até atingir o objetivo.

Leitura tem para todos os gostos, é só procurar, as possibilidades do e-reader são infinitas, difusão e acesso ao livro nunca antes sonhados, mas isto só funciona para leitores, e infelizmente o treino de leitura das novas gerações está sendo deixado de lado, alguns dizem que vídeos vão substituir os livros; se isso ocorrer seremos seres humanos menos competentes que nossos antepassados, sabe o motivo? Deixe-me te contar um segredinho, não existem pessoas mais ou menos inteligentes, existem os que conseguem concentrar-se mais ou menos, pensar é concentrar, operacionalizar o conhecimento, e a principal ferramenta para treinar esta habilidade é a leitura. Um novo mundo, com novas possibilidades, mas só quem saberá aproveitar são os velhos, pois estamos desperdiçando as novas gerações.

E não pensem que esqueci, ainda estamos na luta para cobrar o direito do brasileiro humilde à leitura, e acabar com o imposto indecente cobrado por Dilma e o PT em ebooks e e-readers, eles devem explicar por qual motivo atuam contra o povo! Mas todo estômago tem limite, futuramente e bem atrasado volto ao encontro do livro digital na câmara, mas é preciso força para suportar este esgoto pútrido, e no momento não estou com a menor paciência, cada dia que passa me convenço da urgente urgentíssima necessidade do livro entre os brasileiros, hoje foi mais um destes motivos, confesso que não fazia idéia o quão fundo era o buraco da nossa leitura! Se vocês tem filhos comecem cuidando deles e cheque como anda a leitura, não adianta pagar caríssimo em um colégio se ele de lá sair sem ler.

Alex

3 comentários:

  1. A pertinência do tema é tão grande que, um grande indício é a quantidade e o valor que se dá às questões de língua portuguesa nos exames de concursos públicos país afora. Já existem cursinhos preparatórios para concurso público dando aulas de, pasmem, interpretação de texto. Para mim, esse é um sinal inquestionável da profundidade do buraco educacional em que nos encontramos. Estou cursando minha terceira graduação e convivo com alunos na faixa etária entre 18 e 25 anos em sua maioria. É perceptível o despreparo, a pobreza de vocabulário e a dificuldade de compreender idéias, escritas ou apresentadas de forma oral pelos professores. Como é um curso de humanas (Psicologia) a leitura não é importante, é ESSENCIAL. Não me preocupo apenas com o desânimo dos professores ou com a diminuição do ritmo de avanço da turma. Preocupa-me todo o universo de futuros profissionais, dos mais variados cursos, que com tamanha deficiência de ensino fundamental, estão sendo forjados para o ingresso no mercado de trabalho e no atendimento à população. Quem desdenha da importância da leitura não se dá conta das consequências que a baixa qualidade da mesma pode acarretar para toda a sociedade.
    Leitura é uma questão de educação, mas também de segurança, saúde, direitos, etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Franco,

      É circulo vicioso, a espiral do ralo, parte destes profissionais deficientes vai instruir novos ainda mais deficientes, já temos médicos medonhos, imagina quando os cotistas se formarem, se com todo o mérito já tem médicos muito ruins, imagina sem! Há uns dez anos uma amiga que entrou na ECA para fazer jornalismo revoltou-se com o fato de sua turma recusar-se a ler dois livros em um ano... Nós não estamos aumentando o acesso ao ensino estamos mediocrizando o ensino com conseqüências nefastas já sentidas em nossa sociedade.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  2. Felipe Andrade Alencar,

    A falta de leitura explica a "fotologuização" das redes sociais, incluindo esta aqui. Em um mundo distante, até as crianças conseguiam usar a imaginação diante de um parágrafo. Em um mundo tão distante...

    O monossílabo e a “ fotologuização” são disfarces para esconder a falta de proficiência escrita, como disse o Saramago, logo serão apenas grunhidos.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir