terça-feira, 19 de março de 2013

Atrasada, Amazon lança o Kindle Paperwhite no Brasil.

Aumentar Letra Diminuir Letra




Hoje o leitor brasileiro que quiser pode comprar o último aparelho leitor lançado pela Amazon, o Kindle Paperwhite está à venda no Brasil. Com tela 6” sensível ao toque, luz para leitura noturna, definição de 212ppi, levemente maior que o modelo básico, 2Gb de memória divididos com o sistema e sem possibilidade de expansão, tem versão só com wi-fi ou também com 3G. Pesa 213 gramas wi-fi e 222 gramas 3G, a bateria dura cerca de dois meses.

O kindle paperwhite wi-fi custa nos EUA R$280, aqui no Brasil R$480 dos quais cerca de R$200 são imposto da vergonha cobrado pelo governo para manter o brasileiro como ignorante que não sabe ler ou escrever e tira 1000 no Enem com erros primários. Já a versão 3G custa nos EUA R$400, R$700 no Brasil com o imposto aproximado de R$300.

É bom lembrar que o kindle não aceita adobe DRM e o possuidor do aparelho fica restrito a realizar suas compras na Amazon, e no caso do aparelho adquirido no Brasil você está restrito à loja Amazon Br que é uma espécie de caricatura da famosa Amazon USA, o Kindle não lê o formato comum de ebook das outras livrarias, o epub, e também não aceita qualquer tipo de DRM que não seja o da própria Amazon.

Seu competidor direto é o Kobo Glo que custa mais barato, tem possibilidade de aumentar a memória, lê epub e aceita o sistema de DRM mais comum nas livrarias à exceção da Amazon, o da Adobe. Ainda, segundo os reviews que andam por aí a qualidade da iluminação do paperwhite varia de aparelho para aparelho, portanto se for comprar um, certifique-se de não ficar com o mico. Outra desvantagem do paperwhite em relação ao Kobo Glo é que ele não permite desligar por completo a luz, ela fica sempre acesa para dar a ilusão da tela mais branca. Outra desvantagem do cliente Amazon Brasil é que a editora exige de autores auto-publicados permanência no sistema KDP select para que o autor receba 70% de royalties, exigindo exclusividade de venda, caso contrário só recebe 35% e é obrigado a vender ao mesmo preço que outras livrarias que oferecem 70%; visto que sua penetração no Brasil ainda é baixa, um autor auto-publicado para disponibilizar seu livro na Amazon deve ou dar exclusividade ou arcar com o prejuízo, o que não justifica publicar na Amazon. Sinceramente, fiquei muito desapontado pela Amazon Brasil não oferecer o mesmo serviço a autores e leitores brasileiros, faz-nos pensar que somos cidadãos de segunda classe, é uma vergonha, preteridos. A escolha é sua em ser discriminado por sua pátria.

Alex


11 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Esse preço é imcompatível para um e-reader cuja função primordial é a leitura.
    Vendo nesse projeto da lei dos ebooks: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=556891
    Aqui fala que a Comissão de Educação e Cultura foi dividida em dois: a de Educação e a de Cultura.Eu estou pensando em mandar um e-mail mas eu não sei para quem mando.Mas assim que sair um atualização eu envio sem me esquecer.
    E ainda tem aquela emenda que fala que apenas e-readers de plataforma aberta vão ser beneficiados.Isso dá bastante o que pensar e pode atrasar um pouco mais a aprovação final do projeto.

    ResponderExcluir
  3. Apesar dos pesares e de toda a choradeira. Foi legal ver mais esse produto lançado. A concorrência é algo que esperamos para regular esse setor ainda inflado, pelos impostos, pelo preço alto das livrarias e mais.

    Hoje o Kobo Glo já caiu de 450 para 400. Viva a concorrência,

    Agora falando do produto, eu tinha um koobo touch e fui recentemente a terra do macdonalds e conheci o paperwhite. Nem pensei duas vezes em comprar. O problema dos formatos aceitos no Kindle é contornado pelo calibre, que além disso é um ótimo gerenciador desses filhotes.

    Mas o que me fez decidir entre o kindle foi a fluidez. Parece besteira mas para tudo no kobo dá uma travadinha, seja mudar a fonte, precisar escrever uma nota vem o maldito do "carregando". Além do touch do kindle ser bem mais preciso.

    O engraçado já começa quando vc liga o aparelho, no kindle precisei de 4 passos rápidos no Kobo é preciso baixar software no pc, atualizar, ele reiniciar umas trocentas vezes, as vezes dá uma engasgada e etc.

    ResponderExcluir
  4. Compare o Paperwhite com o Glo, e não com o Touch, o Glo tem outro processador e a comparação se equilibra

    ResponderExcluir
  5. Fábio, Já mexi. Acontece a mesma coisa. Não apenas comigo. Acho que no pontogeek tem uma comparação entres os ereaders e ele critica os "carregando" chatinhos. Além da falta de precisão do touchscreen.

    A única coisa que sinto falta dos kobos é a tela inicial e as medalhas e estatísticas de leitura ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamento informar, mas não consegui ver esta diferença, o que vejo é a demora do livro passar de um arquivo xhtml para outro, e o kindle ainda não suporta arquivos um pouco maiores, trava! Quem pegar um paperwhite e um Kobo glo na mão pode ver a diferença, mas é preciso notar que os livros devem estar na memória interna para fazer a comparação.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  6. Da época que a gente NÃO TINHA SEQUER UM E-READER e agora temos e reclamamos. :-)

    ResponderExcluir
  7. Eu, particularmente, não gostei do Kobo Glo. Estou vendendo o meu por 269 reais. Quem tiver afim, procura no Mercado Livre, é o único por esse preço.

    Abs.
    Marcos

    ResponderExcluir
  8. Estou bastante confusa pra escolher qual e-reader comprar, não sei se vcs poderiam me ajudar.
    Inicialmente havia decidido comprar o mais barato (Kobo Mini ou Kindle 4), estava quase pegando o Mini, mas vi gente falando que o Kobo tem problemas ao atualizar a firmware, tendo que resetar o aparelho e perdendo todos livros da memória interna, e isso faz perder todo o sentido em comprar um aparelho que não pode expandir a memória.
    Tenho em torno de 1GB de ePubs sem DRM, então fica a dúvida: compensa comprar o Kindle 4 mesmo tendo de converter tudo ou compensaria gastar um pouco mais para adquirir um Kobo Glo?

    ResponderExcluir
  9. Marcela,

    No seu caso, se não quer a luz do Glow pode pegar o Kobo Touch mais barato, que tem tudo menos a luz, você pode colocar os seus epubs em um cartão SD, espetar no e-reader, religar e todos os seus livros já estarão lá. Converter tudo para Mobi vai demorar um tempo insano.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir