quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Kobo ou Kindle; PDF e EPUB; dúvidas dos iniciantes.

Aumentar Letra Diminuir Letra



Com o início das vendas do Kobo no Brasil, apesar do preço alto, entramos efetivamente na era do ebook. Fui outro dia na Cultura e é agradável ver o aparelho ali à venda para quem quiser comprar, muita gente experimentando e comprando, tentador também ver aquela festa de livros em papel, volumes cada vez maiores, superlativos, mas agora, toda aquela livraria cabe nas poucas gramas do aparelho, menor que todos os livros expostos; desperta até um sentimento de nostalgia de quem por muito tempo idolatrou o papel, mas estes tempos se foram, pelo menos para mim, e carregar aquele peso hoje está fora de questão, mas uma coisa é verdade, meu carro sempre ficou com o banco de trás forrado de livros, ninguém nunca pensou em roubar, mas o e-reader na rua ainda desperta muita atenção, não pelos livros mas por ser um eletrônico, só serve para livros, mas quem disse que a cobiça dos meliantes é racional?

Estamos há tanto tempo aqui divulgando a “novidade” e apostando em sua capacidade para sanar nossa deficiência mais básica: leitura, cultura e educação, que esquecemos, muita gente não tem nem idéia de como funciona o aparelho e suas reais competências, assim, vou falar do básico para quem inicia na leitura eletrônica.

Os dois aparelhos que vão competir no mercado nacional são o Kobo touch já disponível, e o Kindle 4 ainda uma promessa sem data marcada de venda, portanto, no momento a única opção no mercado nacional é o Kobo a R$400,00, cinqüenta mais barato do que importar o aparelho mais barato o K4. Além do Kobo Touch a Kobo tem dois outros e-readers em linha: o mini com tela de 5”, mais barato e priorizando a portabilidade e o Kobo Glo, com tela iluminada e maior resolução, custando mais caro que o modelo atual, e segundo o vendedor da Cultura com estréia em começo de fevereiro. O Kindle 4 que não se encontra à venda é o modelo básico da Amazon, sem touch, com apenas dois giga de memória sem possibilidade de expansão e custa, mesmo nos EUA, mais barato que o Kobo Touch que tem entrada SD para expandir a memória e tela sensível. A Amazon tem ainda dois modelos em linha: o antigo K3 e o novo paperwhite, semelhante ao Kobo Glo mas sem possibilidade de expandir a memória, sem venda prevista no Brasil.

O importante na decisão sobre os aparelhos não é o hardware em si, mas o ecossistema que vai junto, quem tem Kindle só compra na loja da Amazon, se quiser comprar em lojas com Adobe DRM tem que quebrar a proteção e converter o livro para carregá-lo no Kindle; quem tem um Kobo pode comprar em qualquer loja que use adobe DRM, ou seja, todas menos a Amazon. Este tal de DRM é uma exigência das editoras para evitar que você copie e tenha a posse física do livro, ficando a compra não como a aquisição de um bem, mas um aluguel, bom... isto funciona nos EUA, mas nosso código do consumidor é um pouquinho mais protetor, de qualquer maneira, para comprar um livro na Amazon e carregar no Kobo teria que arrumar um jeito de quebrar a proteção, e a da Amazon é a mais difícil.

Ambos os aparelhos são bons para ler, a grosso modo não há grandes diferenças, como o Kobo touch permite expansão SD, você pode ter o conceito de biblioteca ambulante, levando todos os seus livros, documentos e periódicos consigo, com eles sempre a mão para consulta, quem está no meio acadêmico vai achar esta funcionalidade inestimável, além de poder copiar o seu cartão, ou simplesmente trocar o cartão de leitor ao mudar de aparelho. O Kindle 4 tem apenas dois Giga de memória, sendo que parte é do sistema, não é exatamente restritivo, você vai poder carregar por aí talvez um milhar de livros, mas assim que a memória esgotar vai ser obrigado a deixar alguns fora do aparelho, não vai incomodar quem está começando, mas quem já tem uma biblioteca de milhares de volumes isso passa a ser restritivo. Lembrem-se que muito livro está disponível gratuito em domínio público e grande parte da cultura clássica estará disponível para ti de graça, assim, é fácil ter mais de mil livros, fora os modernos que você compra.

O Kobo touch como o nome diz tem tela sensível, todos os comandos são via tela, muda-se de página tocando a tela, se quiser fazer uma anotação no livro, abre-se um teclado virtual e você digita na tela. O Kindle 4 não tem tela sensível, você muda as páginas usando um botão lateral e se quiser anotar algo nas páginas do livro tem que sair caçando letra por letra com um teclado direcional, o mesmo para dicionário e marcação, que no Kobo touch é feito diretamente tocando a palavra na tela.

A bateria de ambos é equivalente, durando cerca de um mês, em ambos livros podem ser carreados via wi-fi ou diretamente do computador com um cabo USB. Vale lembrar que para carregar livros no aparelho que não tenham DRM a melhor opção é o programa chamado Calibre, é gratuito e funciona como gerenciador da sua biblioteca eletrônica, indispensável para qualquer leitor, ele converte os formatos e envia ao seu aparelho o livro no formato que ele tem capacidade de ler.

Tirando a complicação do DRM, ainda temos que lidar com os formatos de arquivo diferentes que cada aparelho lê, ambos os aparelhos lêem PDF, mas o formato nem é próprio nem é bem lido, acho que de maneira proposital para desencorajar os que já tem muitos documentos neste formato. O PDF é um formato que tem como objetivo final apresentar um documento em um formato fixo que será visualizado igual em todos os aparelhos e simulando uma folha de papel, pense em uma folha A4 e uma tela minúscula de 6” que tem a área útil pouco maior que um pocket, temos aí um problema, se o e-reader mostrar a folha inteira, as letras ficarão muito pequenas para ler, o mesmo ocorre nos tablets de tela pequena, aí você tem que dar um zoom e navegar na janela enquanto lê. No Kindel 4 é virtualmente impossível, no Kobo Touch desconfortável pois você tem que ficar indo e voltando no zoom da página. O aparelho de tela 6’que melhor lê PDFs é o Sony, nele você fixa um nível de zoom e simplesmente navega pela página, nada difícil de implantar nos outros aparelhos, mas como disse, acho que o desconforto é proposital, uma vez que existe muito documento em PDF que é concorrente. Para complicar um pouco, um PDF não é um padrão fixo podendo mostrar diferentes tipos de documento, se você digita um texto e o converte para PDF ele contém o texto digitado e como nas páginas web dependendo do dispositivo o texto pode acompanhar o tamanho da tela, sem contar que o código assim ocupa muito menos espaço, tais documentos podem inclusive ser convertidos de forma eficiente em outros formatos pelo Calibre; mas existem textos que não são textos, em realidade imagens código JPG de páginas impressas, ali não existe texto e as palavras não podem ser acomodadas em nova formatação dependendo do aparelho, estes são os mais difíceis, pois para ler é necessário navegar pela imagem e nem convertem bem, pois ficam as imagens sem possibilidade do texto acomodar-se em telas menores.

O formato principal do Kobo é o EPUB que é um padrão mundial, meio que derivado do HTML, é um texto que acomoda-se à tela com referências de formatação, ele também lê outros fomatos, dentre eles o CBZ muito popular para quadrinhos e até o Mobi sem DRM. O Kindle 4 fica principalmente no Mobi e KF8 e outros proprietários da Amazon para serem adquiridos na Amazon. Se você tiver um Kindle e só comprar na Amazon esta questão de formato nem aparece para ti, só se quiser colocar no seu aparelho textos fora do sistema Amazon. Apesar do EPUB ser um padrão, nem todo aparelho o implementa igual, assim o mesmo livro pode ter um visual diferente em cada aparelho, como no HTML e os vários browsers, desta maneira, antes de comprar um livro sempre baixe uma amostra, se não para ver o conteúdo, para ver se o mesmo aparece bem formatado no seu aparelho, não são raros os casos de formatações tão ruins que impedem a leitura, principalmente com livros brasileiros, portanto, tome cuidado e baixe a amostra.

Já falei muito aqui da diferença entre e-readers e tablets, e para encurtar: o e-reader é para ler e apenas para ler, ao contrário do tablet que faz muita coisa mas é ruim para ler por conta da tela, o e-reader desaparece na sua mão como um livro de papel, ao finalizar um livro você não se lembra do suporte apenas da estória. A tela e-ink é avançadíssima e feita para leitores, gasta pouca bateria e dá uma lavada em LCDs e LEDs quando a função principal é leitura, além disso, o aparelho dura mais, não obsolescendo no ano seguinte com o lançamento do novo sistema operacional.

Portanto, façam suas escolhas e sejam bem vindos ao mudo da leitura digital, igual à do papel, só esperamos mais barata e acessível, e se possível juntem-se a nós em nossa cruzada para exigir nossos direitos e acabar com o imposto indecente cobrado sobre e-readers e ebooks que subdesenvolve a educação no Brasil.

Alex

44 comentários:

  1. Oi Alex, também fico feliz quando vejo o e-reader kobo sendo vendido numa livraria, e pessoas terem acesso a esta maravilhosa tecnologia. Como vc eu também "viciada em livros" agora só e-book já faz 2 anos que nunca mais comprei livros físicos. O ruim agora nas festas eu ganhava livros de presente, fica difícil pedir e-books já que muitos desconhecem a possibilidade de darem e-books de presente. Espero que no futuro seja natural isso.
    Sobre a escolha certa do e-reader vai realmente do gosto pessoal, eu ainda prefiro o kindle pela facilidade de comprar e-books na Amazon e pelos preços ainda estou na Amazon americana não achei a Amazon brasileira convidativa. E acho o Kobo bom, melhor agora com a atualização e a possiblidade do dicionário inglês- português. Mas que pena que não temos a possibilidade de comprar o e-reader da Sony reader PRS-T1 ou T2 no Brasil, só quando algum amigo vai para os Estados Unidos ou pelo ebay porque acho o leitor Sony maravilhoso para leitura de Epub e PDF.
    Ótimo texto vou indicar para amigos que estão começando a entender sobre e-reader com a vinda da Kobo pela Cultura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Martinha, o melhor de todos ainda é o Sony PRS-T1, um senhor aparelho, inclusive fisicamente, o melhor suporte pra PDF e melhor implementação da resposta da tela ao toque, fora que me parece mostrar um meljor contraste (apesar da tecnologia das telas ser a mesma, acho que a diferença estaria no software).

      Comprei um Kobo e até agora adorando, ler no Tablet nunca me foi incômodo nenhum, mas agora patece que voltei a ler no papel, muuuuiiito melhor. Pra quem é leitor voraz, vale muito a pena.

      E parabéns pelo texto Alex, ficou jóia

      Excluir
    2. Marta,

      Eu já peço para não me presentearem com livros, é difícil acertar meu gosto, normalmente acabo trocando e muitas vezes ganho livros que já possuo, eu ainda uso a loja da Amazon e da Kobo internacionais, não há nada nas brasileiras que me atraia e os preços caríssimos me afastam. Apesar de ter um kindle touch, meu e-reader mais ativo ainda é o PRS-600 da Sony, apesar de velho o software é muitíssimo melhor que os outros. Na Cultura vi que o vendedor estava bem treinado, mas dá para ver que ele não usa e-reader, ele só sabe responder por protocolo, mas o canto onde estavam os Kobos tinha até fila para ver os aparelhos e muita gente comprando, é natal, a hora é agora, está disponível, ao alcance da mão e dos olhos e dos bolsos mais abastados, que é o público que já compra livros; a Amazon pode estar com a loja, mas sem kindle, vemos que é inútil, ainda sua única base somos nós consumidores internacionais que já compravam na Amazon, os novos vão todos para a Kobo.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    3. Silvio,

      Causa-me espécie que os outros e-readers não tenham implementado a mesma funcionalidade do Sony, afinal, já faz dois anos, é só traavar o nível de zoom e navegar arrastando a página, essa estória de zoom in o zoom out é péssima. Dá a entender que a dificuldade é proposital, para desestimular os PDFs.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    4. Alê, eu posso estar enganado se é igual(faz tempo que não mexo num sony, saudades ...), mas o Kobo "trava" o zoom sim, fui mexer e vi; qdo no PDF, você vai no menu de zoom, coloca o nível que você quer e vai lendo. quando você chega num dos cantos, há uma barra vertical preta na tela, ao clicar nela, você vai pra próxima página, mantendo o zoom! :-)

      Excluir
    5. Silvio,

      Se for possível travar o zoom, colocar em panorama e arrastar a página já dá para ler todos os PDFs, faça o teste no seu aparelho.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    6. Tudo é possível, só não entendi "panorama"? quer dizer landscape? Dá sim, é tranquilo!!

      No mesmo menu do nível do zoom, vc muda pra landscape e funciona igual: quando chega num dos cantos da tela, aparece uma barra negra com uma seta, apertando se vai à próxima página mantendo o zoom, ou seja, o PDF é tranquilo até

      :-D

      Excluir
  2. Olá Alex,
    parabéns pelo texto.

    Queria compartilhar minhas esperanças com vocês:

    1) Que os fabricantes terminem de implementar todas as especificações do EPUB3. (Quando derem suporte ao MathML serei muito feliz.)

    2) Que mesmo com a entrada da Amazon no mercado nacional a existência da concorrência não acabe.

    3) Quem implementem algo para dedicatória nos ebooks.

    Não sei quanto a vocês, mas das vantagens de ganhar um livro de presente é a dedicatória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. putz, pode crer, dedicatória é um diferencial ....

      Excluir
    2. Raniere,

      1-A Kobo disse que terá o EPUB3 em implementação full até terceiro trimestre de 2013, e o que é legal, eles atualizam o software dos leitores antigos, tenho o Kindle touch e sinto que fui abandonado pela Amazon.

      2-A falta de concorrência não é culpa ou conseqüência da Amazon, mas das editoras que determinam o preço dos livros, tentaram fazer isso nos EUA e levaram um processo do governo no lombo, mas aqui, sabe como é... é só contratar o serviço dos “despachantes” do governo para olharem para outro lado.

      3-Esta pode ser uma boa idéia para as lojas físicas, um equipamento tipo um waccon, onde você escreve a dedicatória e ela é “encartada” no interior do ebook e enviado ao usuário que fica com o livro personalizado. Apesar que eu, pessoalmente, não gosto de dedicatórias rabiscadas no livro, sempre faço em um cartão separado, é como se rabiscar o livro conspurcasse sua sacralidade, manias.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    3. Alê:
      1- Realmente, quando vi isso, fiquei feliz de ter comprado o Kobo Touch. Bola fora da Amazon

      2-Falou pouco e falou tudo.

      3-Tenho um companheiro de TOC! (rsrs) mas eu permito no frontispício ... em caneta porosa preta. (maluquice, eu sei.)

      Excluir
  3. Tenho o Sony PRS-T1 e o Kindle Touch e o que me faz usar o Kindle é a tela mais branca e principalmente o dicionário, o que me faz perguntar: e o dicionário do Kobo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dicionário da Kobo funciona legal, você tem a disposição pra baixar dicionários em várias línguas (umas 10)implementado num dicionário de definições e um de tradução, legal isso.

      O que ainda faz falta é você poder escolher qual dicionário utilizar primeiro, o Kobo usa por default o da sua língua, você precisa manualmente escolher outro dicionário, mas o software dá a impressão que isso vai acontecer, é como se o sistema já estivesse pronto pra isso, só falta implementar via software

      Excluir
  4. Ricardo Vieira,

    O meu Kobo Desktop funciona perfeitamente, tem todos os meus livros e não deu problema, uso para carregar os livros da kobo no meu Sony.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  5. Alguém está com problemas nas notas e destaques no Kobo Touch?

    Aqui as marcações e notas não aparecem de jeito nenhum.

    A leitura de PDF no Kobo é mil vezes melhor que no meu antigo Nook Simples Touch, só falta o refluxo de texto. Se colocar em paisagem fica melhor ainda.

    Outra coisa que acho que nem todos sabem é que o Kobo tem um browser escondido em Configurações > Extras.

    Pro Kobo ficar quase perfeito só falta voltar da tela de descanso pressionando a tecla home e permitir as notas e highlights, que aqui comigo não estão funcionando.

    Outra coisa seria ter uma extensão send to Kobo, para enviar artigos e outros textos para leitura posterior quando navegando na Internet e um PC ou smartphone.

    Sincronizar ebooks na nuvem mesmo que não tenham sido comprados na Kobo seria fantástico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, pra mim, notas e destaques tão funcionando beleza!

      O "send to kobo" seria jóia, tb sinto falta, Marcos, manda um mail pra eles pedindo, eu mesmo mandei um solicitando integração com o "Google Reader", o que dá quase no mesmo!

      A sincronia seria divino, mas aí é pedir demais, eu acho ...

      Excluir
  6. Olá Maurem. Mais um excelente post.

    - Tô passando apenas para lhe dizer que através das ideias que trocamos sobre publicar os eBooks, surgiu uma pessoa que está 'agilizando' a coisa. É a Adriane lá do e-Groups. "Sabe muito"! - Aliás, isso prova uma vez mais que o Grupo é importante e tem mil e uma utilidades. (abraço).

    ResponderExcluir
  7. POr favor, uma ultima duvida, tem como transformar um arquivo em epub para kindle ou vice versa para eu poder comprar por exemplo um epub e levar ele para ler no meu kindle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro,

      Se o arquivo não tiver DRM é só abrir no calibre e converter, se tiver DRM tem que quebrar a proteção, caso contrário não conseguirá converter, mas a conversão entre epub para mobi e vice versa é fácil, é só instalar o Calibre, programa fundamental para todo e-leitor.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  8. pelo oq entendi, em fevereiro terá uma nova versao do kobo a venda na cultura, com sua experiência, você chutaria um preço? e vale apena esperar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GBAroms,

      Baseado no preço do atual, o Kobo mini estaria a uns R$300 e o Glo a R$500, mas se você nos ajudar a pressionar seus deputados a aprovarem o projeto que equipara ebooks e e-readers a livros, pode ter um preço bem mais em conta, caso contrário vai pagar metade do preço para o governo desviar dinheiro em mais mensalões, bermudas vilebrequin e os confortos da amante do lula.

      Se vale esperar? Depende, se eu estivesse sem meus e-readers não esperava, mas já estou viciado na coisa, é você quem sabe se vale esperar, o mini é menor, mais portátil, o Glo tem iluminação noturna, de resto é tudo igual, dá para ler bem em todos

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  9. Eu já tentei converter vários ebooks PDF para epub (e até um do formato do Kindle para epub) usando o Calibre e vários outros programas do tipo, mas, mesmo alterando nas configurações avançadas de conversão, os ebooks são criados com vários problemas de formatação (falta de acentos, letras trocadas, palavras soltas, frases interrompidas, espaços indevidos, etc.).
    Acho estranho pq todo mundo recomenda o Calibre pra fazer essas conversões e pra mim elas estão saindo uma porcaria... Queria comprar ebooks na Amazon e converter para epub (pois todos meus ebooks são nesse formato - e, embora leia no tablet, penso em comprar o Kobo Mini qd chegar por aqui), mas desisti por causa desses problemas de formatação que surgem depois da conversão e deixam o ebook horrível...
    Alguém sabe como resolver isso?

    Abs. a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Déa,

      Deve ser algum problema com os programas leitores do seu tablet, pois com e-readers, no geral, se o arquivo original é bom a conversão fica bem decente, dependendo do PDF original a marcação de fim de página vira um parágrafo fora de lugar, mas de resto não há problema. Conversões entre mobi e epub ficam perfeitas. E nem entro nas configurações ou novas receitas de conversão, apenas as "default".

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  10. Preciso de uma ajuda.
    Ganhei um Kobo Touch de aniversário, muito feliz pois tenho inúmeros livros em meu pc e agora tenho um gadget especial pra isso, só que estou com um problema, já tentei de todas as formas colocar os livros nele, pelo programa próprio (Kobo Desktop, baixando os livros) ou pelo calibre, eles aparecem no programa como estando no aparelho, porém os mesmos não aparecem no aparelho, por favor, se alguém puder ajudar agradeceria muito, sou iniciante nessa área de leitura digital, no máximo leio meus pdf e livros no pc e no tablet mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo eu coloco os livros como num pen drive arrastando para a janela do e-reader assim vc consegue ler os livros.
      Quando vc sincroniza o computador e o e-reader abre uma janela, nesta janela esta duas pastas adobe e kobo vc coloca os livros não nas pastas e sim dentro desta janela avulso, aí depois de arrastar os seus livros não pode esquecer de ejetar o aparelho senão trava e tem que fazer o restart. Aí os livros aparecem naturalmente no desktop do aparelho.
      Boas leituras Gustavo

      Excluir
    2. Vou tentar dessa maneira Martinha, deu um hard reset nele, hehehe, pois havia configurado-o via wi-fi, mas durante a configuração a rede caiu, enfim, estou o reconfigurando e testarei agora, extremamente agradecido Martinha, obrigado.

      Excluir
    3. Gustavo,

      Quando você desconecta do computador aparece a mensagem “Processing content”? Seus livros estão bem formatados? Tente carregar o Fernando Pessoa que oferecemos aqui de graça para ver se carrega e aparece na lista. Você entrou em library e procurou todos os livros?

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  11. Muito esclarecedor. Queria muito comprar um kobo pra ler meus artigos em PDF, mas depois de ler o seu post eu meio que desisti :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly,

      O PDF é um padrão antigo que visa imitar o papel em telas grandes, se sua prioridade é PDF, peque um aparelho com tela grande. O meu Sony lê bem PDF, mas não é tão confortável como um epub bem formatado.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  12. Olá,

    Desculpe a pergunta idiota,mas acabei de comprar um Kindle e não tenho muita experiência nisso... Eu posso enviar ebooks que comprei na Amazon por email para minhas irmãs ou eles também têm DRM (e são limitados a determinado número de ativações, como nos arquivos EPUB)?
    Obrigada,
    Abraços,

    Nicole.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicole,

      Os livros da Amazon tem DRM, não existem ativações como no DRM da Adobe, na Amazon todos os livros estão na sua conta, você pode emprestar o livro para a conta de suas irmãs por 14 dias, os quais você fica sem acesso ao livro. Mas não sei se isto funciona na Amazon brasileira.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  13. Por todos os comentários e pelo que andei lendo, o kobo parece ser uma opção de compra mais viável. Como aqui no Brasil ainda não tem, e se tivesse seria bem mais caro, um amigo irá trazer dos EUA o kobo glo. Trazendo de fora o dicionário dele teria também em português? E o próprio software, seria em qual lingua?

    ResponderExcluir
  14. Tem possibilidade de converter um livro da Amazon para ler no Kobo?

    Pois estou pensando em comprar um Kobo por causa da sua interface, tela e preço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nikolas,

      Nos livros que a Amazon vende sem DRM, é só converter no calibre, mas se tiver DRM tem que quebrar antes.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  15. Parabéns para o Alex, autor deste ótimo e instrutivo artigo. Cumprimento também os comentaristas pelo alto nível de suas intervenções, todas servindo de luz para pessoas, como no meu caso, que estão iniciando-se nos leitores eletrônicos de livros.

    Em função do que li aqui comprei hoje dois leitores de livro Kobo Glo, um para mim e outro para a minha filha. Tanto eu como ela temos o hábito de ler à noite, antes de pegar no sono. Assim, a iluminação da tela é fundamental para a leitura e para não causar incômodo a outras pessoas que desejam dormir no mesmo ambiente.

    Finalmente, gostaria de saber qual a utilidade do Kobo Desktop, bem como do Kobo Instant Reader, mencionados no comentário acima feito pelo Ricardo Vieira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ftsampa,

      Bem vindo ao clube dos leitores digitais.

      O kobo desktop serve para transferir seus livros comprados na Kobo para o seu e-reader, também para comprar livros na kobo, ou para ler os livros que já possui no computador. Os mesmos livros que você comprou no e-reader pode ler com os apps da Kobo nos vários devices.

      Se o livro tem DRM você tem que usar o Kobo desktop ou o ADE para transferir para o aparelho, mas sem DRM prefira usar o Calibre, é o programa número um do leitor digital para gerir sua biblioteca.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  16. Carlos U. Pozzobon

    Tente utilizar o Calibre para carregar no Kobo os livros que já possui, é o melhor programa para a tarefa se os livros não tem DRM, se tiver DRM você tem que registrar o leitor na sua conta ADE e só depois será capaz de ler os livros.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  17. Passando aqui para agradecer às dicas de todos. Comprei o Kobo Glo e já estou satisfeitíssimo com ele. Muito agradável, leve, a "navegação" é simples e intuitiva. Baixei o Calibre, que é um dos softwares mais "mão na roda" que já vi na vida. Converti os arquivos .pdf em .epub para colocar no Kobo. Realmente, alguns .pdf não são lidos direito pelo Kobo, mas acho que isso vale para todos os e-readers.

    ResponderExcluir
  18. olá, estou pensando em comprar um reader só que estou em dúvida entre o Kobo glo e o Sony T1, Vi em sites que a performance do Koboglo é melhor, mas algumas funções não achei ( as quais existem no sony T1) como música e a escrita livre com a caneta ( o que é muito importante pra mim já que é mais fácil para estudar, grifar anotar, rabiscar. Não encontro onde comprar o reader da sony, e segundo alguns sites o kobo não tem essas funções. Alguém poderia me dar um tok sobre onde comprar o sony, ou se o kobo tem essas funções desejadas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Babi,

      Hoje o Sony T1 acho que só usado, o T2 tem escrita na tela, mas não tem mais função de som. O Kobo não tem escrita livre na tela nem som. Pelos boatos de autorizações no FCC já está próximo o lançamento de um Sony que sucederá o T2, mas nenhuma comunicação oficial nem os specs do próximo aparelho. A Sony lançou uma espécie de caderno digital como tecnologia de teste.

      Para comprar o Sony só em lojas americanas como a própria Amazon ou bestbuy.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  19. Ola.. Muito bom esse post. Tenho uma duvida enorme, os livros em epub convertidos para mobi. no calibre ficam com qualidade no kindle? Qualquer livro mobi. é compativel com o kindle ou tem que ser comprado na amazon (original)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrei,

      A maioria dos epubs bem criados convertem bem em mobi, mas dependendo do epub ou do mobi, se feitos com arquivos muito grandes ou muito pequenos causam travamentos, mas de modo geral se tiver um bom epub ele ficará bom ao converter para mobi com o Calibre. A mesma coisa para os livros em mobi, se mal feitos rodam mal no kindle, nem todo mobi roda bem.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  20. Parabéns pelo post Alex. Será que continua atual? Estou querendo republicá-lo em meu site: tatico190.com.br/panorama. Com.os créditos obviamente.

    ResponderExcluir
  21. Olá. Comprei um kobo touch e tenho uma dúvida. Tenho alguns livros jurídicos em epub no meu tablet da samsumg. Eu consigo passar esses livros para o Kobo somente via usb? E outra coisa que sinto falta. Sincronizacao. Através do aplicativo kobo books só é possível a sincronização entre o tablet e o kobo exclusivamente de livros comprados na livraria cultura? Porque o leitor de e-books da Samsung instalado no meu tablet e no meu celular galaxy s4 sincroniza a biblioteca e isso é muito util. E eu nao consegui isso com o kobo. Aguardo respostas. Obrigada.

    ResponderExcluir