quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Amazon anuncia novos Kindle

Aumentar Letra Diminuir Letra






Em uma conferência extremamente alardeada Jeff Bezos mostra o novo kindle, como já se esperava ele tem luz, em forma de uma suposta rede de fibras óticas, uma tela de maior definição 221dpi, chama-se Kindle paperwhite, 9,1mm de espessura, 7 tipos de fontes diferentes, vem na cor preta. Marca quanto tempo você fica em um capítulo ou livro, e vai custar U$119,00 com wi-fi e U$179 com 3G, vai estar disponível em primeiro de outubro. Parece que o antigo kindle 4 vai ser chamado “Kindle U$69”,imaginem o motivo. Estará disponível em 14 de setembro.

A novidade está em um novo serviço chamado Amazon Serials, que vai comercializar por U$1,99 novelas em formato serializado, o preço é para toda série.

Alex

10 comentários:

  1. Estava acompanhando pela CNET e a Amazon dá um show de novidades, se bem que para mim o Kindle Fire não me interessa mas mesmo assim, gosto de ver como a Amazon é inteligente e Jeff Bezos realmente sabe o que fala. O Kindle paperwhite parece ser bem interessante vamos ver se eles irão vender para o Brasil ou só para os moradores dos Estados Unidos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Marta,

    Acho que depois do lançamento dos novos Kobos o Kindle ficou menor, principalmente pelo novo de 5”, algo realmente novo, o kindle já era esperado, sem novidades. Inovação mesmo na linha fire com os novos tablets, desespero para a apple, com os preços super baixos. Para quem lê livros, irrelevante.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que a Amazon + Kobo deram um duro golpe na Barnes & Nobles. Eu concordo com você Alex, que o Kobo de 5" será bem atrativo, principalmente se chegar por aqui com um preço realmente bom, o que ainda duvido. Vai depender de quando Kobo e Cultura estarão dispostos a abrir mão para para fazer com que o aparelho seja competitivo. O problema do Kobo de 5" é que a Amazon cortou o preço do K4, e vai fazer o K4 concorrer com o pequeno. E muita gente vai preferir o K4 por causa da tela maior... sabe como é. O Kobo de 5" terá apenas 2GB e não terá slot de expansão. Já o K4 tem mais espaço, tela maior, etc...

    Já em relação aos outros aparelhos, em termos de hardware o tablet da amazon bate o da Kobo. Porém eu acho que os e-readers perderam um aspecto que eu acho genial no meu Kindle 3 ou "Keyboard". Os speakers, e a possibilidade de usar um fone. Isso praticamente inviabiliza o uso do aparelho para pessoas com alguma deficiência visual.

    Quanto a conferência... a Amazon disse que não quer ganhar dinheiro com os aparelhos, quer ganhar dinheiro com o conteúdo consumido nos aparelhos. Nesse ponto, o golpe deles atingiu toda a concorrência. Apple, Samsung, B&N e Kobo. É briga de cachorro grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mobile,

      O K4 tem os mesmos 2 Gb de storage que o Kobo mini, ambos não tem expansão SD, o Mini é touch o K4 não, é uma briga apertada, mas o ponto é que para quem quer portabilidade o Kobo mini é muito melhor. O atual Kindle paperwhite, a despeito da iluminação, tem 2 Gb de storage contra 4Gb do antigo touch, ambos Kobos de 6” tem entrada para SD, coisa que nenhum kindle tem. O meu kindle touch tem som e a função read to me, o novo paperwhite não tem, involução em relação ao antigo K touch.

      A grande joga foi o preço dos tablets, nos e-readers foi trocar seis por meia dúzia, a Kobo foi mais inovadora no quesito leitura.

      Alex

      Excluir
  4. Fui olhar nos sites da Amazon (.com, .fr, .jp, .co.uk, .de etc) e tenho duas observações a fazer.

    A primeira é que segundo as especificações do novo Kindle paperwhite a Amazon ainda se recusa a dar suporte ao formato ePub, que hoje já é mais popular até que o próprio .mobi.

    A segunda observação é que o Kindle Paperwhite só está disponível na Amazon.com, enquanto que o K4 preto já pode ser adquirido em todas as outras lojas.

    Me lembro que o Kindle Touch levou quase um ano a para começar a ser vendido na Inglaterra e mais um pouco para chegar à Europa Continental, sendo que alguns modelos nunca saíram dos Estados Unidos.

    Se essa história se repetir por aqui, podemos esperar que a Amazon entre no nosso mercado só com o K4 básico, deixando o Paperwhite para quem se dispor a importar por outros meios.

    ResponderExcluir
  5. Agora podemos realmente falar de isenção de imposto sobre o e-reader já que eles não tem mais a entrada de áudio e como antes alguns falavam que podia ser usada para outra coisa além da leitura agora não tem como. O e-reader é somente e tão somente para leitura, vamos ver se agora o governo retira esta taxa vergonhosa sobre um aparelho que como o livro é para leitura. Vamos torcer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda tem o acesso a internet... e tem também o argumento deles de que o aparelho não é o livro e sim uma ferramenta, e que por causa disso deve ser taxada.

      O problema são os interesses. E os interesses das editoras é que tudo continue da forma que está. Talvez com a aliança entre Kobo e Cultura e com a Cultura tomando a dianteira no mercado digital entre as editoras, a coisa mude de figura.

      Na Inglaterra uma das editoras se aliou a Amazon, completamente a contra gosto, mas viu nisso o único meio de não ser tirada dos negócios. Talvez no futuro possamos ver uma das grandes redes se aliando a Amazon para não ser varrida do mercado quando o segmento digital começar a crescer mais do que o tradicional.

      Infelizmente isso ainda vai demorar, e como sempre nós estaremos 2 ou 3 anos atrás do que acontece no resto do mundo.

      Excluir
    2. Mobile, sim tem o acesso a internet, mas é ate engraçado, comprar um e-reader para navegar na internet como também era engraçado para mim ouvir que pessoas usavam para ouvir mp3 em e-reader já que tem o ipod muito menor e mais conveniente para isso, assim como tem tablets as vezes mais baratos que o e-reader que são coloridos e são para navegar na internet, mas cada um com sua mania. Para mim desde que tenho um e-reader e já faz 3 anos é só para leitura, concordo com vc quando disse que tem interesses atrás disso, porque o e-reader abre um leque de possibilidades na leitura e educação nunca visto no Brasil. Mais com a mentalidade do nosso governo é para ganhar dinheiro e não educar, infelizmente a educação e o prazer da leitura são passados por quem gosta disso e sabe o valor deste prazer que faz toda diferença no mundo e em nossas vidas. Ficamos na espera de pessoas que realmente na política queiram entrar com o intuito de mudar a realidade brasileira, a educação, porque por enquanto os que estão no poder não fazem nada.
      Aguardemos...

      Excluir
    3. Oi Marta,

      A estória de bloquear o e-reader por conta do som é só uma desculpa, a verdade é que livrarias e editoras não querem a entrada do ebook por protecionismo comercial, e o governo do PT não quer pois vai contra sua intenção de manter o povo ignorante, só assim para o povo ser tão facilmente enganado e roubado.

      Você vê como nós que temos o aparelho estamos muito à frente do público em geral, pois lemos mais, esta distancia ficará ainda maior.

      O pior é que justo nós, que queremos os e-readers nas mãos de todos para popularizar a leitura, viramos elite.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  6. estou feliz com meu iriver Story com tela e-ink de primeira geração e inclusive lendo ebooks do Kindle. Mas quando esses desembarcarem aqui, vai ser difícil segurar a carteira...

    ResponderExcluir