terça-feira, 28 de agosto de 2012

Notícia ou propaganda?

Aumentar Letra Diminuir Letra



O que é notícia? O que é relevante para passarmos adiante? Tentando disfarçar propaganda de notícia, grandes empresas como Apple e Amazon usam conferencias de lançamento para manipular a mídia e conseguir propaganda gratuita, pior são os vazamentos calculados para gerar especulações e mais propaganda, que se fosse paga custaria uma fortuna. Não me importo de divulgar algo que gosto, mas ser manipulado como um idiota para divulgar as pautas de grupos privados, me parece muita estupidez, toda esta especulação é feita para criar “buzz”, e gerar uma expectativa com fins comerciais. Propaganda não permite crítica, o melhor é que se reproduza as palavras exatas, e os divulgadores virem meros distribuidores de conteúdo, sem pensar, como um programa computacional de QI zero faz ao agregar “notícias”.

Acredito que notaram que não damos relevância ao tablet como aparelho de leitura, se não uso para ler, se acho ruim para ler, não posso ser honesto com os leitores e indicar estes aparelhos, são bons para navegar na internet, ler blogs, revistas, mas para ler livros são péssimos, quem gosta de ler aprecia o conforto, só passei a ler literatura em formato digital com o e-reader e-ink, e assim um kindle fire ou qualquer outro tablet, lançado pela maior livraria, é apenas mais um tablet como todos os outros, um arremedo que não serve para ler.

Foi a Sony que lançou o primeiro e-reader, caro, exótico, mais propenso ao uso dos tecno aficionados do que do leitor comum, mas quando baixou de preço, também iniciativa da Sony, de por volta de trezentos dólares para quase a metade, detonou uma onda de popularidade do e-reader e do ebook, a Amazon veio logo em seguida, seu reader não era bom como o Sony, mas eram já a maior livraria, já tinham como seus clientes milhares de leitores, foi unir a tecnologia que permite ler com conforto em meio digital com a maior livraria, e agora o aparelho tinha preço que cabia no bolso do leitor. Antes do lançamento do ipad toda mídia o dava como um fracasso, pois muitos tentaram e afundaram, foi um sucesso, pois custava um quarto dos anteriores, não era sua tecnologia, interface, e funcionalidade, era o preço; vantagem que os competidores tem dificuldade em transpassar até agora. Já temos tablets android mais baratos em função da popularização da tecnologia, mas ainda são inferiores tecnologicamente falando e sem um desenvolvimento e suportes adequados. A Amazon lançou seu tablet, novamente, o grande diferencial foi o preço, é um tablet Android como todos os outros, mas garantido por alguém que tem como maior patrimônio o seu nome, enquanto os tablets baratos não tem qualquer suporte sério e confiável, o da Amazon tem. O Tablet é um computador atrasado e velho com capacidade de processamento dos PCs de quase vinte anos atrás, mas é menor, mais leve, gasta menos bateria graças aos processadores RISC da ARM e vem com uma tela integrada, ainda imprestável para literatura. Mas Amazon tem seu tablet, vinculado a sua loja, assim como a Kobo e a Barnes & Noble, as principais livrarias online, e isto apenas significa que eles querem atingir todas as faixas de mercado. O Kindle fire é um sucesso pois é um tablet barato garantido, nada além disso. Não significa nada a Amazon vender e desenvolver um tablet, eles vendem sapatos, cuecas, guarda-chuva, e o que tiver em sua loja virtual, apenas calhou do livro e sua livraria ser a bandeira da marca, por ser o segmento que mais se beneficia do conceito da “cauda longa”. Eles são uma loja, grande, mas apenas uma loja, como todas as outras, precisam de propaganda, e em vez de pagar, usam de lançamentos inócuos, vazamentos calculados, e renovações anuais cosméticas dos aparelhos para gerar publicidade travestida de notícia que é pura propaganda. Se jornais, revistas e blogs caem nessa e divulgam nada além de propaganda, tem seu papel diminuído e perdem o respeito de seus leitores, veiculando propaganda como se fosse notícia, sem pensar, sem qualquer crítica que o valha.

Alex

3 comentários:

  1. Oi Alex, li seu comentários e concordo com alguns, só discordo que para mim que sou fã da Amazon, este eventos são esperados com grande expectativa por minha parte. Tenho o Kindle desde 2010, e a cada ano o e-reader esta melhor, mais rápido, mais leve e mais confortável e bonito. Acho que dependendo da publicidade é bom para colocar o aparelho em evidência e outras pessoas conhecerem esta maravilhosa tecnologia e-ink. Sou grata a Amazon que através do kindle me lançou a leitura em inglês e me permite ter e-books com baixo preço. Hoje tenho um vício maravilhoso todos os dias pelo menos 30 minutos eu navego na Amazon para conhecer lançamentos, ver promoções de e-book e ler sinopses, comentários sobre livros que me interessam. Acho que a Amazon respeita seus clientes, com garantia em seus produtos, por isso é uma loja com alto índice de clientes fidelizados. Agora sobre o Kindle Fire não me interesso, já tentei ler em alguns tipos de tablets diferentes e posso dizer tablet realmente não é para leitura. Agora é esperar e ver o que a Amazon traz de novidade. Na expectativa...

    ResponderExcluir
  2. Oi Marta,

    Também sou um cliente Amazon satisfeito, desde antes dos ebooks, mas esse negócio de inventar “buzz” sem falar nada de útil, já me dá nos nervos, se tem algo para falar, fale; se não tem, calem a boca. O problema é que como toda propaganda enganosa, ela acaba por ser mais danosa para a propagação do ebook, pois cria expectativas inexistentes que não podem ser preenchidas, no caso os boatos só servem para isso, e quando a empresa usa boatos de forma calculada sem comprometer-se com o que tem a dizer, é apenas desonestidade.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  3. não entendi o ponto do post. Parece que começa um pensamento e conclui com outro. Leio na boa em um smartphone, mas encomendei meu primeiro e-reader e-ink para maior conforto e uma tela maior.

    ainda assim, bom blog

    ResponderExcluir