terça-feira, 3 de julho de 2012

Sherlock Holmes: homem ou mito; lenda ou realidade; original ou cópia.

Aumentar Letra Diminuir Letra


Falarei de livros que podem cativar para a leitura, não são difíceis de ler e são deliciosos, obras para infectar o leitor iniciante com o desejo de mais. E o que é melhor, estão em domínio público, podem ser baixadas de graça. Sherlock Holmes foi um personagem criado pelo escritor britânico Sir. Arthur Conan Doyle, e muito provavelmente você já ouviu falar dele, além do Sir Doyle, muitos usaram o famoso detetive em suas obras, destaco especialmente o embate entre o grande detive e o famoso ladrão, Arsène Lupin de Maurice Leblanc que batizou nosso colega de “ Herlock Sholmes”, por motivos de direito.

Nenhuma das obras subseqüentes existiriam se o magnífico detetive não tivesse conquistado forma nas mãos de Conan Doyle, e é na obra original que você vai encontrar o melhor, o verdadeiro, primeiro e único Sherlock Holmes! Ele é um herói, mas não o herói arquetípico, do qual fala Joseph Campbell em seu “O Herói de Mil Faces”. Heróis por definição eram filhos de deuses com mortais normais, lógico, a parte heróica vinha do parental divino, eram predestinados, por sua origem. Holmes é um homem comum, tão comum como qualquer um com sua inteligência ou obstinada persistência, e mesmo assim, segundo em seu ofício, aceitando a derrota ao comparar-se com seu irmão Mycroft Holmes.

Gostamos de heróis, é bom quando triunfam e lutam pelo que é justo, enfrentam a adversidade, se colocam em perigo para fazer o que é bom triunfar, é um ótimo livro para crianças que gostem do tema, eu li ainda jovem, adorei, e o que eu mais acho chato, é que Conan Doyle não tenha deixado uma obra mais vasta. Á noite, antes de dormir, ia para cama, um beliche que eu ocupava a parte de baixo, preso no estrado da cama acima, minha luz de leitura, o quarto escuro, só a diminuta lâmpada me ajudando na leitura, em momentos eu estava em um cabriole percorrendo as ruas de Londres, sempre parando na Baker Street 221B, endereço que Watson me levava ao encontro de seu amigo peculiar, foram muitas aventuras, muita diversão.

É Watson que conta as histórias, funcionando como biógrafo de seu notável amigo, na obra existem livros maiores e contos, era publicada nos periódicos, para o deleite do público, são mais contos que livros e para ter a melhor experiência, leia na ordem cronológica dos personagens, iniciando com “Um Estudo em Vermelho”, depois o “O Signo dos Quatro” e as coleções de contos. Apesar de estar em domínio público, não consegui descobrir a data de falecimento dos tradutores, que precisariam ter passado para o além a pelo menos setenta anos para que sua tradução vire domínio público, a obra em inglês é fácil de encontrar no Projeto Gutenberg, existe uma versão da obra completa em Português por pouco mais de U$5 na Kindle Store. Se alguém souber de uma tradução em domínio público confirmada, nos avise.

Muitas vezes a ficção inspira a realidade e o método analítico de Holmes, inspirado no detetive de Poe, foi guia e inspiração para as polícias científicas, sem Holmes não teríamos os CSIs, mas como todo original é sempre melhor que a cópia, você encontrará muito mais ao aventurar-se nos casos misteriosos narrados pelo Dr Watson. Holmes não aceita casos comuns, ele procura apenas aqueles que possam lhe excitar a mente, nada de banalidades, sua mente poderosa precisa de exercício e o detetive sofre na falta de um bom mistério, aproveite, se nunca leu, é hora de começar, garanto que depois do primeiro, sofrerá você a falta de um bom mistério para decifrar.

Tem gente que prefere o Raskolnikov, mas Holmes nunca pegaria seu caso, muito trivial, melhor deixar o Dr. Watson longe e chamar o Dr. Freud.

Alex

9 comentários:

  1. Oi Alex, li os livros de Sherlock Holmes em minha infância, assim como os livros de Agaha Christie, eles agora estão em minha lista de releitura, são muito bons e realmente quando alguém começa a ler não consegue parar, para minha Sir Conan Doyle e Agatha Christie são os dois mestres do romance policial, me deparo com bons livros neste gênero mais os dois ainda são insuperavéis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta,

      Meus favoritos são o Conan Doyle, o Maurice Leblanc, e o Simenon no gênero policial, li a Agatha Christie, e apesar de algumas tiradas impagáveis da Miss Marple, sou mais afeiçoado aos outros três. O terrível de lê-los é esperar que todos os livro sejam tão bons quanto, aliás, se ainda não leu vale ver o começo de tudo em “Os Assassinatos da Rua Morgue” do Poe.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    2. Alex, outra coleção interessante é a do padre Brown de Chesterton, li anos atrás e agora encontrei na Amazon a coleção completa por menos de $4 dólares. Obrigada pela dica vou procurar este livro que indicou, já li um livro do Poe mas o que li nāo me encantou muito, mas vou dar outra chance para o autor, quem sabe eu acabe gostando.

      Excluir
    3. Oi Marta,

      Obrigado pela dica, o padre Brown que você encontrou é em português? Eu encontrei em inglês gratuito no Projeto Gutenberg, e um completo organizado por apenas U$0,99, na kindle store.

      Chesterton no Projeto Gutenberg

      Father Brown completo U$0,99

      Veja este trecho do “A Study in Scarlet”:
      ”"It is simple enough as you explain it," I said, smiling. "You remind me of Edgar Allen Poe's Dupin. I had no idea that such individuals did exist outside of stories."
      Sherlock Holmes rose and lit his pipe. "No doubt you think that you are complimenting me in comparing me to Dupin," he observed. "Now, in my opinion, Dupin was a very inferior fellow. That trick of his of breaking in on his friends' thoughts with an apropos remark after a quarter of an hour's silence is really very showy and superficial. He had some analytical genius, no doubt; but he was by no means such a phenomenon as Poe appeared to imagine."



      Abraço,
      Alex

      Excluir
    4. Sim Alex vc tem razão acabei me atrapalhando porque tem uma coleção completa que esta por 3, 99 dólares também, eu comprei em inglês, eu quando mais jovem tinha lido em português, mas agora adquiri em inglês. Muito bom, Father Brown é muito perspicaz e as tramas são boas. Chesterton eu acho um bom escritor também.

      Excluir
    5. Oi Marta,

      Advinha se eu também não comprei o Father Brown, obrigado pela dica, é um dos livros que vale ter; e completo, organizadinho por U$0,99, não dá para resistir.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  2. Em PT-Br ( http://www.gsmfans.com.br/index.php?topic=169107.0 ) é só se cadastrar que aparece o link.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haroldo,

      Muito obrigado pela indicação, agradeço em nome de todos os leitores.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  3. André Luiz,

    Também vejo Holmes como um caro amigo, quando li nem existia computador, foi em papel, economizava para comprar cada um dos livros. Ter o livro em domínio público gratuito é excelente para quem quer divertir-se sem gastar nada com seu e-reader.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir