terça-feira, 17 de julho de 2012

Boas novas para independentes: Kobo Writing Life está funcionando!

Aumentar Letra Diminuir Letra


Acabou de sair da fase de testes o Kobo Writing Life, a plataforma de auto-publicação da Kobo, agora o autor que desejar pode colocar seus ebooks à venda na loja Kobo, desde que tenha uma conta nos países aceitos, infelizmente o Brasil ainda não está na lista. Esperamos que quando e se a Kobo entrar por aqui, este detalhe esteja resolvido.

A plataforma de auto-publicação é muito interessante, você pode entrar com o livro em epub, word, txt, opf,mobi, além de outros formatos, os termos são competitivos com os da Amazon e não são restritivos, a interface é limpa e organizada, permitindo ao autor fácil acesso a todos os detalhes de preço e venda. O autor pode escolher quais os territórios de venda e definir um preço diferente para cada região.

Esta era a peça que faltava para a Kobo competir em termos de igualdade com a Amazon, com a vantagem de que a Kobo usa o padrão epub que pode ser lido em outros aparelhos que não o exclusivo da loja, se você tem um Sony, você pode comprar da Kobo, mas não da Amazon, e ainda ler seu livro onde quiser, sem ficar preso ao dispositivo.

Está aí mais uma alternativa para o autor independente comercializar seu trabalho, quem já tem livros na Amazon pode com facilidade disponibiliza-los agora na Kobo.

Alex

5 comentários:

  1. Acho que falta para concorrer com o Kindle é a sincronização de documentos pessoais. Não sei se algum outro e-reader tem isso, para mim é muito importante essa função (usava bastante no aplicativo móvel): eu capturo muitas páginas da web, e textos técnicos para ler depois, então seria uma boa ter isso num ePub.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,

      Já usei no kindle para testar, no Sony transfiro via USB, qual a grande vantagem? Acho que tem algum pulo do gato que estou perdendo.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
    2. Alex,

      A vantagem é poder enviar os arquivos pela web de forma instantânea (mando o arquivo por e-mail e pronto!), além de sincronizar posição de leitura e marcadores entre dispositivos, tipo celular x e-reader (acho que outro e-readers até fazem isso, mas só com livros comprados na própira loja). Como a bateria dura muito só uso o USB para carregar de vez em quando.

      O melhor é usar sistema de captura de página (Readability e Klip.me), por exemplo uma reportagem longa (ou uma lei no site do Planalto), para ler no e-reader. No caso de leitores de ePub, recomendo a extensão DotEpub para Chrome (usava muito para salvar página no aplicativo Stanza, mas agora mando tudo para a nuvem do Kindle), que transforma a página para download.



      [desculpe a demora, a seção de comentários poderia ter um sistema de aviso, tipo o IntenseDebate usado em outros sites]

      Excluir
    3. Paulo,

      Nós acabamos ficando com nossos hábitos, por poder riscar a página, ainda prefiro o Sony ao Kindle, e na minha rotina o cabo USB não incomoda. Não se preocupe com a demora, internet é assim, isso que é legal, ainda estamos mais rápidos que Einstein e Bohr.

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  2. Ah, sim: só é possível fazer anotações em balãozinho, que é um inferno com joystick do Kindle 4, sublinhar até que é menos ruim.

    ResponderExcluir