quarta-feira, 9 de maio de 2012

Quais as vantagens de se negociar com a Amazon?

Aumentar Letra Diminuir Letra

Nós conversamos com a Nogla Skar que já colaborou conosco aqui no blog, inclusive participou do ReaderCast de debate sobre pirataria, ela é dona da KBR editora e foi uma das primeiras editoras a fechar negócio com a Amazon.
Abaixo seguem uma série de perguntas sobre como foi esta negociação e quais as vantagens de ter um contrato profissional com a empresa americana.


Ebookbr - Foi noticiado a algumas semanas que vocês negociaram diretamente com a Amazon, poderia descrever como foi todo o processo, quem fez o contato inicial, durante quanto tempo ele aconteceu, se houve alguma abordagem exclusiva para a KBR?

Noga - Nós temos um relacionamento antigo com a Amazon. Enquanto estávamos na KDP, como fomos os primeiros, e éramos muito ativos, estabelecemos laços próximos com pessoas da equipe em Seattle. Por isso, a negociação direta foi um passo natural. Já tinhamos trocado emails com Pedro Huerta quando o conhecemos pessoalmente, e ao David Naggar, na Bienal do Rio, em agosto de 2011. Aliás, fomos lá para encontrá-los. As conversas sobre contrato começaram com o Pedro ainda em 2011, ele nos disse que deveríamos nos transferir para a Plataforma Profissional devido à quantidade de títulos. Trocamos alguns telefonemas e emails e, em janeiro, recebemos a primeira minuta, discutimos alguns detalhes. Assinamos em março, já assistidos pelo Mauro Widman, gerente da Amazon no Brasil, que é nosso amigo desde que juntos participamos dos testes com a loja de ebooks da Livraria Cultura, em 2010. Há cerca de um mês recebemos o contrato assinado por eles e também estabelecemos contato com o nosso TAM, “Technical Assistant Manager”, que nos explicou os procedimentos para subir os livros, tudo em português! Como os livros da KBR já eram de alta qualidade, não tivemos problemas técnicos nessa transição. É tudo muito rápido e fácil.

Ebookbr -Antes vocês já vendiam via KDP o resultado após a mudança para contrato profissional foi perceptível em termos de vendas?.

Noga - Paulo, isso está crescendo aos poucos. Veja, ainda não existe a loja no Brasil. Nós vendemos na Amazon.com e nas outras filiais mundiais. Estamos negociando as primeiras promoções para aumentar nossa visibilidade nas lojas e pelo que eu saiba ainda somos a única editora brasileira lá, a solidão atrapalha a força, rsrs. Também estamos trabalhando para reativar os vínculos que estabelecemos com leitores em quase 3 anos de KDP, pois as colocações no ranking recomeçaram do zero e os links de venda mudaram. A transição teve seu custo natural em termos de marketing, mas temos certeza de que isso será em breve superado com inúmeras vantagens. Uma delas já é poder conversar diretamente sobre as vendas e ações, algo que inexiste na KDP.

Ebookbr - Sabemos que via KDP temos dificuldade de receber no Brasil, ou precisamos ter uma conta em um banco americano ou europeu, ou recebemos via cheque pelos correios a cada US$100,00 com o contrato isso foi facilitado?

Noga - Com o contrato, digamos, isso foi profissionalizado. As remessas são por cabo para a conta da empresa no Banco Itau.

Ebookbr - E você pode falar sobre as taxas da Amazon? No KDP para vendas realizadas no Brasil recebemos 35% no contrato direto com a Amazon há algo diferente?

Noga - Claro, é diferente. Não estamos autorizados a discutir taxas, mas a KBR conseguiu uma negociação de empresa média, o que para nós foi muito vantajoso e, por isso, estamos oferecendo a outras pequenas editoras a possibilidade de distribuirem seus títulos em nossa conta, sem necessidade de negociação ou contratos elaborados. Nosso contrato é simples e direto, a gente vende, e a gente paga a eles o que recebemos descontando uma taxa de 10% do preço de capa, o que em termos práticos sai até vantajoso financeiramente (em termos de percentuais) para a editora que distribuir conosco. E em breve estaremos recebendo em reais, o que vai melhorar ainda mais.

Ebookbr - Você tem alguma dica para as pequenas editoras que têm interesse em entrar em contato com a Amazon para realizar a mesma negociação que vocês, há algum e-mail para os editores entrarem em contato?

Noga - Opa. Respondi acima, sem ler esta pergunta! Mas, sim, acredito que podem entrar em contato direto com o Mauro Widman pelo e-mail dwidman@amazon.com. Para quem quiser falar conosco: editor@kbrdigital.com.br.

Ebookbr - Por fim tem alguma novidade que você gostaria de partilhar com a gente?

Noga - Olha, eu tenho uma novidade grande vindo por aí na semana que vem, algo que vai mexer bastante com o mercado de ebooks na área de smartphones, mas não estou autorizada a divulgar! Neste nosso meio o sigilo é fundamental! O que posso assegurar é que a KBR continua à frente nas negociações com os grandes players do mercado de ebooks. Aguardem.

Um comentário:

  1. Deixo aqui meus parabéns a Noga, que está dando um passo, na minha opinião, muito correto e promissor em direção ao futuro do comércio editorial.

    ResponderExcluir