quinta-feira, 17 de maio de 2012

Ignorância, burrice ou má-fé contra o e-reader?

Aumentar Letra Diminuir Letra



Tenho ouvido esta ladainha há algum tempo, mas uma pulga de mais de um kilo mordeu minha orelha no último sábado ao ler a reportagem da folha intitulada: “Tributação faz livreiros de Portugal mirarem o Brasil”, na reportagem ao falar do ebook o jornalista cita o preço do kindle fire de R$390,00 nos EUA, mas não fala do kindle e-ink a R$150,00, muito mais barato! Pode ser só ignorância de um jornalista incompetente que não sabe a diferença entre e-reader e tablet, mas escolheu o mais caro para ilustrar sua matéria.

Hoje vejo notícias tendenciosas falando que a e-ink teve perdas no primeiro trimestre, mas não levam em conta que a Foxconn que fabrica o ipad e a Panasonic que fabrica telas, assim como quase todas as grandes empresas registraram perdas...  ou é uma visão tendenciosa ou pura burrice, ainda tentam afirmar que como a Sony, pioneira dos e-readers teve prejuízo, inferem que irão cortar a produção do e-reader, assim como o fechamento da Plastic Logic significaria que e-readers não dão dinheiro.

Sabotar o e-reader e-ink é a melhor forma de acabar com o livro digital, mas este trabalho de propaganda negativa vem apenas das editoras ou seus esbirros. Leitores são amplamente favoráveis aos e-readers, eu não substituiria o livro de papel pelo tablet, e não é só questão de conforto, percebi que mesmo ao ler um texto curto a relação com o texto é diferente, não peço que confiem na minha palavra, façam a prova por si mesmos: peguem um conto da Virgínia Woolf ou qualquer outro autor mais denso que exija concentração, leiam no tablet e leiam no e-reader, há diferença?

Uma grande realidade é que em países onde não existe e-reader, não houve aumento significativo na venda de livros digitais, outro dado que lhes ofereço é que as vendas de ebooks nos EUA só cresceram depois de junho de 2010, quando os e-readers caíram de U$300, para a metade; a venda de e-readers coincide com o crescimento da venda e ebooks.

Para variar, vamos usar a inteligência e fazer umas análises: quem vende mais, e-reader ou tablet? Resposta óbvia, tablet! O e-reader só serve para ler, e faz isto muito bem, mais confortável e a bateria dura mais de mês, mas o tablet faz tudo que o usuário de computador leigo precisa, acessa o banco, a rede social, o mail e um monte de outras coisas, pode-se até ler com ele, mas o usuário não necessariamente vai ler, o usuário de e-reader é leitor, nada mais, é a pessoa que consome livros.

Como vimos, os únicos países que começaram a substituir o papel foram os que tinham e-reader para vender a preços razoáveis e isto pode acontecer no Brasil com a entrada da Amazon e da kobo, sem e-reader o papel não corre risco, a quem interessa pichar o aparelho?

Amazon, Barnes & Noble e Kobo tem seus tablets, para alguns este seria um indicativo de que o e-reader está condenado, pensem comigo: Se você fosse um vendedor de conteúdo, limitaria suas vendas a um único tipo de dispositivo? Óbvio que não!

Agora vejam esta página: http://www.creditdonkey.com/ebooks.html , vocês não esperariam o domínio dos tablets? Afinal, há mais deles, mas vejam lá os dados. Impressionante, não?

O e-reader faz muita diferença para o leitor, para o leitor que lê, não o possuidor de bibliotecas, ou os que dizem ler e usam o tablet para as redes sociais. Só o leitor de livros que teve contato com o e-reader sabe a enorme diferença, quem não colocou as mãos sobre o aparelho para ler não faz idéia como é diferente do tablet, ou igual ao papel, e com vantagens.

Infelizmente não é só o setor privado que quer sabotar o e-reader, o governo também está nessa, pois nega a isenção do livro que é preconizada na constituição, não se deixe enganar, não é uma questão técnica de tribunal, ou necessidade de novas leis, o governo, o PT escolheu a interpretação da lei que vai contra o leitor, já não só interpretou leis de forma diferente como agiu contra a lei no caso da fusão das empresas telefônicas, pois era de seu interesse, eram as mesmas empresas sócias do filho do Lula. Não interessa ao governo incentivar a leitura, pois assim o brasileiro pode ter acesso à educação, gastam, não para incentivar, mas para fracassar, nos últimos anos o brasileiro tornou-se menos leitor, e o governo gastou, da mesma maneira que estas novas medidas de estímulo à leitura que já tem por objetivo fracassar. Acabar com a tributação sobre o e-reader e o ebook seria medida ínfima e muito mais efetiva. Não fazem, são contra o livro, são contra a educação. Eu já tenho e-reader a quase dois anos, leio mais, e neste período o brasileiro tornou-se menos leitor.

Amigos leitores, estamos sendo atacados, os que querem menos leitores estão fazendo todos os esforços para sabotar o e-reader, fiquem atentos, ler é ter liberdade, independência de pensamento e autonomia intelectual. O e-reader barateia, populariza a leitura, se vocês ainda não pegaram um e-reader na mão, experimentem por si mesmos, garanto, para o leitor é um leve "estranhamento" e depois paixão!

Alex

68 comentários:

  1. No Brasil, parece ser ainda pior, basta olhar sites como Submarino e Iba. O foco agora é blindar o tablet de vez, pois os livros (e revistas) só são visíveis em apps próprios, no sistema Android e iOS.
    Ou seja, quem tem um Kindle ou e-reader de ePub, não compra mais nessas lojas.

    ResponderExcluir
  2. Paulo,

    Infelizmente você está certo, querem boicotar o e-reader de qualquer maneira, o pior é que com estes apps, se a empresa for para o vinagre, tudo que você comprou será perdido, pois não será portado para novos aparelhos, o grande problema é que só no e-reader dá para ler com o conforto do papel.

    Alex

    ResponderExcluir
  3. Carola Rodrigues

    Álbuns de figurinha gozam de isenção... se os e-readers tocam MP3 ou falam o texto em voz alta, é necessário, acessibilidade! Ou tirem os elevadores e caminhos para cegos do metrô. Wifi para baixar livros e o browser rudimentar é só para baixar livros mesmo. E o K4 nem tem som... é só livro mesmo. E-reader é específico para livro. O espírito da carta magna é difundir a cultura e permitir a liberdade de expressão, ou privilegiar os vendedores e papel? Qual o espírito da carta?

    Alex

    ResponderExcluir
  4. E volta o cão arrependido com a historinha de que o PT é contra o livro, contra a educação e pretende manter os brasileiros na ignorância para a implantação de seus planos maléficos.

    Meu caro, entenda uma coisa: o STF, órgão supremo do Poder Judiciário, a quem cabe a guarda da Constituição, entende ser incabível a imunidade tributária se não for papel. Confira:

    "Tributário. Imunidade conferida pelo art. 150, VI, "d" da Constituição. Impossibilidade de ser estendida a outros insumos não compreendidos no significado da expressão ‘papel destinado à sua impressão’. Precedentes do Tribunal. (RE nº 324.600/SP-AgR, Primeira Turma, Relatora a Ministra Ellen Gracie, DJ de 25/10/02)."

    Poderia colocar aqui outros julgados no mesmo sentido.

    Eu concordo? Não. Acho uma interpretação errada do espírito desse dispositivo constitucional? Acho. Mas é a posição consolidada do STF. Você agora vai me dizer que o PT comprou o STF?

    Faça-me o favor. Ê discursinho rasteiro de tucano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel Banho,

      Novamente você vem tentando tirar meu direito de cidadão, aliás não só o meu, mas de todo cidadão, nos classificando de tucanos, pois na sua idéia torta só os partidos de oposição são contra o governo, o que não é verdade somos cidadãos, com direitos e independentes de partido que acham o trabalho do governo do PT de uma incompetência imensurável. Somos cidadãos, independentes e ainda com direitos, diferente de ti, preso às cordas de seus títeres.

      O meu argumento é simples: vocês usam o STF como desculpa, pois violaram a lei em casos do seu interesse como a fusão das teles, proibida pela lei, foi financiada com dinheiro público, além do filho do Lula ser sócio das telefônicas, quer mais uma? tem dúzias, vocês violaram a lei para proteger o Batisti, um terrorista assassino quádruplo condenado por um país democrático, No caso do ebook não estamos nem falando em violar a lei como vocês fizeram, apenas tomar a interpretação natural da constituição, que não protege papel, mas sim a liberdade de expressão e o direito à cultura. Tente ler o Link que já lhe forneci antes do senhor Félix Soibelman: http://www.conjur.com.br/2010-mar-16/incoerencia-isentar-tributo-livro-papel-taxar-livro-eletronico
      Mais um: http://jus.com.br/revista/texto/5977/a-imunidade-tributaria-dos-e-books

      Lembre que foi a receita federal sob o comando da Dilma que foi contra as atuais liminares que liberam o e-reader. Portanto, não se faça de desentendido! Este governo, o governo do PT não quer imunidade para o livro, não quer facilitar a compra de aparelhos que barateiam a leitura do cidadão e vão melhorar a educação, o PT é contra a educação, mas é favorável a um assassino quádruplo! Privilegia assassinos e põe obstáculos para o brasileiro leitor, isto é ser contra a educação. Quem em sã consciência vota em alguém que se mostra de maneira tão clara contra a educação do brasileiro pobre?

      Alex

      Excluir
    2. Alex,

      O título desse post lhe cai muito bem, porque o que você fala só pode ser burrice, ignorância ou má-fé.

      Primeiro de tudo, eu não quero negar-lhe direito algum. Você é que quer me negar o direito ao contraditório. Se você pode vir aqui e escrever um monte de bobagens jurídicas/políticas, eu também posso vir aqui e criticar sua opinião. Ou então que se feche a área de comentários. Quer fazer críticas e não quer ouvir críticas? Aliás, "somos cidadãos (...) que acham o trabalho do governo do PT de uma incompetência imensurável". Aqui você está falando por quem? Por toda a equipe do Ebook BR? Pois você é o único que eu vejo fazendo esse tipo de afirmação.

      Segundo, eu não sou do PT, não adianta você vir querer falar em "vocês fizeram isso aquilo". Não me atinge. Aliás, o que tem a ver Batisti, filhos do Lula etc, com o assunto dos e-readers? Desvirtuando a discussão pra outras áreas, quem é que demonstra claramente o viés partidário de suas opiniões? Se eu te chamei de tucano e você não o é, então desconsidere a expressão, mas a mantenho no conteúdo, na lógica tosca dos seus argumentos.

      Leia o próprio link que você passa. Nele o autor deixa claro logo no início que a imunidade tributária vem sendo negada há muito pelo STF. E não é só nos e-readers. É nos Cd-Roms e em todo e qualquer insumo que não seja papel. Até na tinta usada pra se imprimir periódicos! Isso é a posição do órgão máximo do Judiciário brasileiro desde a década de 90, pelo menos. A corte que tem autoridade pra interpretar e decidir sobre os dispositivos constitucionais e que está acima de qualquer outra na pirâmide do Judiciário. A sua opinião no caso da imunidade tributária dos e-readers (que é igual à minha, note) vai de encontro ao entendimento desse tribunal. O que você quer, simplesmente, é que o Executivo passe por cima do entendimento do ógão máximo do Judiciário. Só isso. Muito republicano, não? Como se vê, burrice, ignorância ou má-fé.

      Isso sem falar nesse seu discurso pedreste, pueril, onde parece que se fosse concedida imunidade tributária aos e-readers, cada criancinha pobre e faminta desse país teria um Kindle na mão, leria milhares de livros baixados via whispernet por ano e se tornaria um cidadão consciente e não manipulado pelo PT. Vai me desculpar, mas não soa ridículo na sua cabeça? O buraco é muito mais embaixo. Achar que o e-reader é a solução dos males pedagógicos do Brasil, novamente, é burrice, ignorância ou má-fé. Ou melhor, é um discurso raso, sem aprofundamento, como todos os seus argumentos.

      Excluir
    3. Daniel Banho,

      Todas minhas afirmações estão embasadas, se quer apenas falar que digo bobagens políticas ou jurídicas, tenha no mínimo a decência de argumentar, pois apesar de se auto-intitular advogado, não se deu ao trabalho de ler os links que postei, você só preocupa-se com política, eu com o e-reader, literatura e com os leitores, gosto de lógica e não me atenho a falácias.

      O refúgio ao terrorista quádruplo assassino italiano foi um ato do executivo, contra a lei, a fusão das teles que são sócias do filho do Lula foi uma ato executivo, também contra a lei, e financiado com dinheiro público. A decisão da Receita federal é um ato do executivo, e nem é fora da lei. O argumento aqui é simples o governo não se preocupa com estar contra a lei quando o assunto é de seu interesse, mas dá a desculpa de um assunto que não é contra a lei, para escapar da verdade dos seus atos. Perpetram um ato executivo contra a lei para dar salvaguarda a um assassino, mas não fazem um ato executivo de correto entendimento da lei para beneficiar o leitor brasileiro. O argumento está aí! Claro e cristalino. Contra argumente, não me venha com falácias, ou tente tergiversar.

      Bem vê que não se deu ao trabalho de ler o Link, foi o Toffoli, o ex advogado do PT, que deu a tal decisão sobre o CD, pior ainda, de um livro com dezenas de entendimentos em contrário teve a cara de pau de pegar os únicos três em favor de sua má tese, desconsiderando dezenas de outros, a isto chama-se ser tendencioso, e nem de maneira sutil, uma tese grosseira em favor de seus antigos patronos. Mas nada disso importa para um governo que já violou a lei, como no caso da fusão das teles. Lembre que há juízo colegiado do STF dizendo que a imunidade se estende a tudo referente ao livro, incluindo a tinta, e no mesmo diz qual o espírito da carta, além de outro que diz a mesma coisa sobre álbuns de figurinha, volte lá e leia o link, pois os leitores podem ler e ver que você como o Toffoli fizeram uma leitura rasa e parcial, desconsiderando argumentos que opõe-se a sua tese.

      Bem se vê que no seu discurso há apenas má-fé, nunca disse que a liberação do e-reader é uma atitude mágica, é apenas a mínima, a mais ínfima, que se não é tomada, é prova mais que cabal que o governo da Dilma e do PT são contra o livro, contra o leitor e contra a educação do brasileiro. Preciso ser mais claro? Argumente! Não me venha com falácias políticas do seu partido, eu venho aqui cobrar o governo como cidadão, em favor dos leitores, você vem em favor do governo a prejuízo dos leitores.

      Alex

      Excluir
    4. Eu não tenho argumento? Eu falo de jurisprudência de décadas do STF (e não só da decisão do Toffoli) sobre a Constituição, falo de repartição de competência tributária. Você fala de Batisti e filhos do Lula. E eu que não tenho argumentos?
      Numa boa, tô começando a achar que você é doido. E eu não vou ficar aqui batendo palma pra maluco dançar.

      Excluir
    5. Daneil Banho,

      Olha que estupidez que você disse, não tem como existir jurisprudência de décadas, pois o e-reader só existe a menos tempo, e o entendimento hermenêutico do que é livro mudou nos últimos cinco anos. Portanto, olha aí a besteira! E mesmo assim você não fez o trabalho de casa, pois álbum de figurinha, também é isento, leia qual o espírito do entendimento da lei. Ela existe para proteger o papel? Não! A lei existe para garantir a liberdade de expressão, o acesso a cultura, que por conta do governo é obstaculizado, contra o espírito legítimo da constituição. A proteção do Batisti é uma decisão executiva contra a lei, a violação da lei das teles uma decisão executiva contra a lei, mas o governo não toma uma decisão executiva em favor do brasileiro, deixe de ser vigarista, não consegue nem contestar o agumento no texto, para de ser um chato, contra argumente ou cale a boca, conheço todas as falácias, desista da farsa ou venha com argumentos.

      Alex

      Excluir
    6. Vou comentar só porque você me chamou de vigarista.

      A jurisprudência de décadas é contra a imunidade de qualquer insumo que não seja papel. Não interessa se CD-Rom e Ebook (mais recentes), ou tinta e outros materiais ancestrais. Álbum de figurinha, até onde me consta é feito de papel. Acho isso de acordo com o espírito da Constituição? Não! Ou seja, nesse ponto eu concordo com você. Ninguém está discutindo o mérito da interpretação do artigo da Constituição. Apenas estou mostrando o entendimento do STF e a posição de todas as esferas do Poder Executivo, que arrecadam tributos em cima de todo e qualquer insumo que não seja papel. Entre no site do STF, vá em Jurisprudência e veja recursos do governo de SP, RS, RJ etc.

      Quanto ao que o governo fez ou deixou de fazer em relação a procedimento de extradição, a fusão de teles ou outros assuntos, não me interessa quando eu estou discutindo sobre e-books. Uma coisa não tem nada a ver com a outra e 2 errados não fazem 1 certo. Se errou ou acertou nessas questões, passando por cima de lei, é outro assunto. Portanto, me limito a discutir a atuação do Executivo no assunto em que eu estou tratando (leitura, imunidade tributária, e-readers, e-books...). Eu acho que tanto os governos estaduais quanto o governo federal não deveriam arrecadar imposto em cima de ebooks/e-readers. Mas daí pra dizer que é um projeto de manipulação da população por meio da sua manutenção na ignorância por partido A ou B, ou que partido A ou B é contra o livro ou a educação, vai uma distância enorme. O Poder Executivo, seja ele municipal, estadual ou federal, quer arrecadar o máximo possível de imposto. É daí que vem seu sustento. E pra isso eles têm (infelizmente) a jurisprudência do STF eu seu favor. Não tem nada a ver com essa sua teoria da conspiração da época da Guerra Fria.

      Você quer porque quer partidarizar a discussão. Eu não sou filiado do PT, não sou dirigente do PT, não sou "robô" criado pelo PT. Sou cidadão, entendo relativamente de Direito e dou opinião de acordo com a meus conhecimentos e minha consciência.

      E pra fechar: VIGARISTA É A MÃE!

      Excluir
    7. Daniel Banho,

      O que o governo fez ao proteger um terrorista quádruplo assassino, vem ao caso, como a atitude de ir frontalmente contra a lei para fundir empresas que a lei proibia, e pior, onde o filho do presidente era sócio, infelizmente vem ao caso, pois ambas são atitudes do executivo, eles escolheram esta linha de ação mesmo sendo contra a lei e contra o povo brasileiro, não há decisão final colegiada em relação ao ebook, o governo pode escolher em favor do brasileiro, não o fez, pois ao contrário dos crimes acima, o povo, o leitor não é do interesse do governo, e esta nem seria uma atitude ilegal, como foram os afrontes acima, a diferença é que agora estariam a favor do povo e não de seus interesses escusos.

      Eu denuncio esta prática, coloco ela à luz para que o governo tome a decisão em favor do povo, e não tomam, são contra o livro, contra a educação do qual livro é matéria prima básica. Com meu direito de cidadão cobro o governo, para que tome uma medida ínfima que vai beneficiar mais do que tudo que o governo já fez. Se não o fazem, verdade seja dita: Dilma e o PT são contra o livro e contra a educação, que o e-leitor saiba na hora de votar, quem vota no PT vota contra a educação.

      Muito claro, sem tergiversar e fugir do argumento ou usar de falácias.

      Alex

      Excluir
    8. O que que tem a ver uma atitude de ir "frontalmente contra a lei" em casos de extradição e fusão de teles com a imunidade tributária dos e-books?! Meu deus do céu! É a mesma coisa que falar agricultura pra debater física quântica!

      Não é porque o governo teria errado em outras questões que isso tenha a ver com a tributação de e-readers. São coisas absolutamente distintas, que você tenta jogar no mesmo balaio porque o seu intuito é partidário, é discutir o governo do PT, é discutir em quem votar nas próximas eleições. O meu não é.

      Se você quer alguém pra debater isso, procure em outro lugar. O meu intuito aqui é discutir o que envolva leitura e os aspectos legais nesse caso concreto.
      Você já deixou claro o que quer discutir o PT e supostas afrontas legais em qualquer assunto. Então eu não tenho mais o que fazer nesse blog voltado para leitura.

      Minha opinião sobre a atuação de todos os entes federativos na tributação de e-readers/e-books já ficou clara. Sou contra.

      Agora se você quer viver suas teorias de manipualção por meio da manutenção do povo na ignorância, fique à vontade. E vote em quem quiser.

      Excluir
    9. Daniel Banho,

      O problema é que você não gosta de dar nome aos bois, quer culpar uma entidade fantasma, um sujeito oculto para esconder a real responsabilidade do governo, eu não tenho problemas em indicar os culpados, pois sou cidadão e tenho responsabilidade de fiscalizar o governo. O problema é que se os bois não tem nome eles não aparecem no pasto, faço questão de colocar a coisa às claras para que os responsáveis tomem atitudes em vez de esconder-se no sujeito indeterminado. Sim, eles tem responsabilidade, Dilma e o PT são culpados, devem ser responsabilizados e cobrados, levar o ônus de sua ações, devemos deixar claro suas intenções e sua índole, violando a lei para seus desígnios ideológicos escusos e escondendo-se para não dar ao cidadão o que lhe é de direito.
      Eu faço pressão, na única moeda que os vagabundos entendem, o picho eleitoral. Que fique claro, se não pararem com este imposto da ignorância, todo eleitor deve saber que se votar no PT, votam em alguém que quer sabotar a educação do brasileiro.

      Alex

      Excluir
  5. Complementando o meu comentário, me parece óbvio que é apenas uma questão de tempo, discussão, debate, para que se mude a concepção sobre os e-readers. Mal ou bem é um assunto novo, poucas pessoas no Brasil o possuem. Com o tempo, com a chegada da Amazon e outras grandes empresas, a tendência é o e-reader se popularizar mais, o assunto se tornar mais relevante na pauta dos tribunais, do Congresso, do Executivo, da doutrina jurídica...
    Mas a síndrome de perseguição e a sanha de demonizar um partido político parece que cegam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel Banho,

      Eu sou amador, amante de livros, mas o povo do governo é profissional, são regiamente pagos com o meu dinheiro, eles devem ser pontas de lança nas questões educacionais e não final do intestino grosso. Isso não é desculpa, eles são pagos para isto, não tem desculpa! Além disso, como disse acima, qual o motivo da receita que está sob o comando direto da Dilma, do PT, tentar barrar as liminares já concedidas isentando o imposto?

      Um partido que tem medo do cidadão leitor, livre e crítico não quer nada de bom, um partido que não respeita o direito do cidadão de discordar não quer democracia, quer ditadura, e isto não mais permitiremos.

      Alex

      Excluir
    2. Nota-se claramente que você é um amador, pela "profundidade" dos seus argumentos. Você acha que o Executivo é independente do Judiciário e deve passar por cima do órgão máximo desse. Além de achar que vive na Rússia stalinista ou na Alemanha de Hitler, onde manter o povo na ignorância é um projeto de governo. Pelo amor de deus, acorda pra realidade. A gente está em 2012, a Guerra Fria já acabou faz tempo, a Segunda Guerra Mundial então... Discurso de pré-escolar. Francamente.
      Quem não respeita o direito de discordar aqui é você, que não aceita ter sua opinião criticada e fica posando de vítima.

      Excluir
    3. Daniel Banho,

      Meus argumentos são tão rasos que você precisa fugir de medo deles e evita contra argumentar, explique-me: por que o governo violou a lei, afrontou o judiciário financiando uma fusão de teles contra a lei? Novamente, explique-me por que o governo deu abrigo a um criminoso comum condenado por um país democrático por não um, não dois ou três, mas quatro assassinatos? Por que o governo não tem o entendimento correto de um assunto dentro do espírito da lei para beneficiar o brasileiro? Não é prova de que o governo é contra o e-reader, o barateamento da literatura e contra o benefício que isto pode trazer na educação? Meus argumentos são embasados, venha, explique! Por enquanto a realidade prevalece, o PT é favorável a Teles contra a lei que prestam serviço ruim a preço dos maiores do mundo, mas são sócios do filho do Lula, o PT é favorável a um quádruplo assassino Italiano, mas é contra o livro e contra o leitor?

      Alex

      Excluir
    4. Meu último comentário aqui. Vamos por partes.

      1) Por que o governo violou a lei, afrontou o judiciário financiando uma fusão de teles contra a lei? Novamente, explique-me por que o governo deu abrigo a um criminoso comum condenado por um país democrático por não um, não dois ou três, mas quatro assassinatos?
      R: Pra ser bem claro, DANE-SE. Eu estou falando de leitura, e-readers, ebooks. O que tem a ver uma coisa com a outra?

      2) Por que o governo não tem o entendimento correto de um assunto dentro do espírito da lei para beneficiar o brasileiro? Não é prova de que o governo é contra o e-reader, o barateamento da literatura e contra o benefício que isto pode trazer na educação?
      R: Todos os governos, estaduais, municipais e federal têm esse entendimento porque é um assunto não suficientemente debatido ainda no Brasil. Porque pouquíssimas pessoas sabem o que é um e-reader. Porque o STF tem um posicionamento definido há decadas sobre o tema. E a partir do momento que o assunto se popularizar, a tendência é o entendimento mudar. Simples assim.

      Mais do que isso eu não posso fazer por você.

      Excluir
    5. Daniel Banho,

      O seu argumento de “DANE-SE” casa bem contigo, pois se o governo viola a lei para proteger um terrorista quádruplo assassino, é uma decisão executiva que diz “dane-se” para a lei, “eu quero proteger um assassino”. Se vai contra a lei e faz uma fusão ilegal, de empresas que são sócias do filho do presidente, é uma decisão executiva que diz: “dane-se a lei, dane-se a moralidade, eu quero a fusão e faço, e dane-se a lei, mesmo que o brasileiro seja prejudicado. Quando o governo diz que não vai entender a constituição em seu espírito correto, mesmo sendo a favor da lei e a favor o povo, é uma decisão executiva que diz dane-se o povo, eu sou contra o livro, e mostro com isso que sou contra a educação.

      Quem entrou contra as liminares que liberam o imposto foi a receita federal, onde a superior hierárquica é a Dilma, portanto: é a Dilma e o PT que são contra a popularização do livro, contra a educação, está mais que demonstrado, e você em vez de vir com arguentos nada tem de melhor a dizer que “DANE-SE”. Assim fica fácil, meu argumento prevalece. Dilma e o PT são contra o e-reader e contra a educação, quem vota em quem é contra a educação. Tirem o imposto imoral ou fiquem com a pecha.

      Alex

      Excluir
    6. Repito: você só pode ser maluco. O "DANE-SE" é pra qualquer coisa que fuja à discussão sobre leitura. Isso aqui não é um blog sobre procedimento de extradição, não é um blog sobre fusão de teles. É um blog sobre e-books. Por isso o "DANE-SE". Pra quem se diz um leitor você me parece bem burro.

      Seu argumento prevalece na sua cabeça. Se você vai dormir melhor assim, fique com ele.

      Mas o fato é que todas as esferas do Poder Executivo recorrem ao STF para poderem arrecadar imposto sobre insumos que não sejam papel. Não é exclusividade de partido nenhum.
      Trate de se informar melhor.

      Excluir
    7. Daniel Banho,

      Meu amigo, a diferença de um leitor é que ele lê tudo, é culto, não compartimentaliza quando a questão é ampla, bem se vê que de leitor não tem nada, mas tem muito de MAV; os trolls do PT que querem nos intimidar na internet, não sou fácil de intimidar e nem cansar, gosto de debates lógicos e tergiversar ou restringir um tópico para excluir argumentos são falácias meio velhinhas, e o recurso último é o que você faz: “Argumentum ad hominem”. O governo tem a decisão e depois se vai ao supremo, no caso é o contrário, o governo é contra o e-reader e o ebook e coloca um imposto que já sofreu derrotas nos tribunais. O entendimento do governo é contra o cidadão, contra o leitor e contra a educação, ele toma o caminho mais danoso à população, quando em casos de seu interesse escuso preferiu violar a lei. É um indicativo claro da má índole.

      Trate de limpar a ideologia cegante dos olhos, e quem sabe verá como cidadão e não como petista.

      Alex

      Excluir
    8. Cara, vai me desculpar, mas pra quem lê tudo e é culto, você escreve muito mal.
      Mantenha sua teoria da conspiração e seja feliz.

      Excluir
    9. Daniel Banho,

      Teu espelhinho está meio sujo não? Ou será sua ideologia?

      Alex

      Excluir
  6. Bom texto Alex, concordo com vc que ler no e-reader é sensacional, as vezes lia no meu netbook e não gostava muito quando conheci o e-reader e usei realmente não o troco por nada, tem um tablet para trabalho mas ler nele muito tempo é totalmente desconfortável. Eu não entendo muito de política porque infelizmente quando não temos políticos honestos a gente acaba deixando um pouco de lado estas questões, mas concordo com vc que o PT não faz nada para popularizar a educação muito menos a leitura, sendo que a presidente Dilma se diz adepta aos livros digitais, mas para eles tudo bem os livros serem caros já que ganham muito. O que fazer? Dificil de se dizer, fazemos a nossa parte tentando popularizar a leitura entre nossos amigos e familiares e torcendo para que a Amazon e a Kobo venham aqui para mudar algumas coisas em relações a preços e a e-reader mais baratos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marta,

      Mesmo que diga não entender de política, você como eu, vê o óbvio, o livro é muito caro para o brasileiro e o governo não fez nada para mudar, fez para piorar. Gostamos de livro, tanto que queremos compartilha-los, nos dói ver que a condição econômica exclui a maioria dos brasileiros da leitura, não só pela baixa renda, mas pelo altíssimo preço do livro. Eu, como você, vi no e-reader uma possibilidade verdadeira de mudar esta situação que vem desde a colônia, há ainda muito trabalho, mas sem este mínimo, nada pode ser feito. Condenar o brasileiro à ignorância, no momento que mais precisamos de qualificação para a vida social é nos segurar na miséria. Nenhum país cresceu sem investir pesado em educação!

      Abraço,
      Alex

      Excluir
  7. Ótimo texto e comentários. O cerne da questão é o atraso do país em um assunto, que se bem conduzido, poderia adiantar e qualificar a educação de todo nosso povo. No entanto, nos falta tecnologia em programas e hardware. Duvido que a Dilma ou alguém do PT saiba qual as possibilidades que decorrem do uso de um leitor digital, caso contrário não veríamos a má vontade com que o mesmo é tratado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Orlando Loro,

      Você é bonzinho, dá ao governo o benefício da ignorância, eu não dou, pois eles são pagos com o meu, com o seu, com o nosso dinheiro, eles não podem ter o luxo da ignorância, e não tem, pois a receita federal( sob o comando da Dilma) está contestando ativamente as liminares concedidas em favor do e-reader! A verdade é que não podem se dizer contra a educação, pois nunca mais se elegeriam para nada, assim tentam sabota-la com medidas inócuas que mantém o brasileiro na trilha da ignorância. Estou errado? Gastou-se dinheiro público para educação e para incentivar a leitura, resultado (segundo estatística do próprio governo): Nossa educação piorou, somos menos leitores.

      Alex

      Excluir
  8. Alex, eu acho errado acusar apenas a atual presidente. Todos os políticos são responsáveis. Tanto a situação, que não faz nada, quanto a oposição, que também cala e não faz nada a respeito. E nós sabemos qual o motivo. Não é que eles sejam contra a educação. Provavelmente eles são financiados pelas mesmas empresas que não querem ver os livros eletrônicos darem certo aqui. Muitos deles provavelmente tem contatos ou familiares entre os donos de editoras. O mau do Brasil são os políticos, independente de partidos, que manipulam as leis em causa própria. Os livros sempre foram caros, mesmo no tempo do FHC, Sarney, Collor e militares. E hoje ele continua caro, e se algo não acontecer e o cenário não mudar, irão continuar caros com Dilma ou sem Dilma. Com Tucanos ou com Petistas. Eu espero que a chegada da Amazon mude o panorama. Espero que a chegada deles force uma mudança que os políticos (todos... governo e oposição) não querem, mas que a população anseia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mobile,

      Você engana-se, a Dilma é responsável direta, culpada, pois a Receita Federal está hierarquicamente ligada a ela, ela é a chefe, se a receita cobra o imposto entendendo a constituição contra o leitor, é culpa da Dilma, se a Receita Federal entra com representação contra as liminares judiciais que acabam com o imposto indecente e inconstitucional é culpa e responsabilidade da Dilma, ela é a superiora da Receita Federal! É uma questão de responsabilidade, ela quer as benesses, mas foge das responsabilidades do cargo, sempre que acontece uma desgraça foge, não aparece como seria sua obrigação para não ser responsabilizada por o que é da sua responsabilidade.
      Como a receita está sob a responsabilidade direta da Dilma como comandante do executivo, é ela e o PT que mostram de maneira clara que sabotam o livro e a educação do brasileiro, isto deve ficar claro. Não há sujeito oculto, há um sujeito evidente com responsabilidade hierárquica que é responsável pelo entendimento enviesado da constituição que é contra o livro e contra a educação. Isso ficando claro, devemos fazer pressão para divulgar a verdade para que isto doa no único lugar que o PT importa, a eleição, é o modo justo e legítimo e nos manifestarmos! Quem vota em quem é contra a educação? Que esta pecha pegue, é verdadeira e legítima, o brasileiro tem direito a leitura mais barata e educação, já está na constituição. Se a Dilma e o PT são contra, são contra a educação.

      Alex

      Excluir
    2. Mobile,

      Não adianta. O rapaz está cego. Pra ele todos os males do mundo vêm do PT. É incapaz de enxergar a dois centímetros da superfície.

      Excluir
    3. Já Conversei bastante com o Alex e não é assim Daniel.
      Antes de tudo digo que votei no PT e acredito que o Lula foi o melhor presidente que tivemos.
      Mas a questão é que o melhor aqui é nivelado por baixo.
      Agora os outros partidos tem culpa? Têm a culpa da omissão, com exessão de alguns que querem aprovar leis para a isenção do e-reader os políticos de maneira geral evitam o assunto como se ele não fosse de prioridade máxima.
      Mas a Dilma é culpada diretamente porque ela tem o poder de mudar agora, basta uma simples ordem dizendo que os e-readers de uso exclusivo para leitura sejam equiparados ao papel e pronto, aí poderíamos ter a ordem questionada pelo STJ e pelos demais políticos, mas sim ela teria feito algo e levantado a questão com seriedade, mas não temos nenhuma palavra sobre sua posição em relação aos e-reades.

      Excluir
    4. Paulo,

      Como eu já disse anteriormente, você há de convir que o e-reader é assunto extremamente incipiente no Brasil. Novamente, é questão de debate, de mover a sociedade em torno do tema. Ou será que existe uma demanda de milhões de pessoas ansiando pelos e-readers? Meu deus, eu converso com pessoas do meu meio social que não sabem nem o que é um Kindle. E estou falando de classe média do Rio de Janeiro.

      A questão é muito simples: não é uma pauta muito relevante hoje no Executivo/Legislativo/Judiciário. Eu queria muito que fosse. Mas não é. Somado a isso, o STF tem uma posição de décadas a respeito do tema.

      A partir do momento que o assunto se populariza, tudo muda. Aí a gente vai poder avaliar bem se partido X ou Y é contra a educação.

      O que o Alex faz é se precipitar, levado obviamente por uma opinião partidária. É só ver como ele mistura as bolas falando de Batisti e filhos do Lula e ignorando que a tributação é repartida entre todas as esferas de poder da federação.

      Abraços

      Excluir
    5. Daniel Banho,

      O entendimento do imposto do e-reader vem da Receita Federal, hierarquicamente sob o comando de Dilma e do PT, são eles que cobram imposto não só sobre o aparelho como sobre o frete quando a constituição diz que livro é imune a tributação, já são dez anos de governo, já são dois anos que o e-reader baixou de preço e muito mais da sua existência. O governo é pago, não nos cabe ser condescendente com vagabundo que não faz o seu trabalho, se uma empresa não faz algo eu reclamo, se o governo não faz, também reclamo, com muito mais propriedade, pois a empresa é privada o governo é público, eu escolho usar um serviço privado, mas não escolho usar o governo, sou obrigado, assim, vou cobrar, é a atitude do cidadão consciente, não tem “deixa disso”, pois nunca fiz diferente para outros governos, só o PT quer o direito de não ser culpado pelas imbecilidades que faz. São governo, estão com o poder na mão, são os culpados e precisam ser responsabilizados. Não podem se fingir de oposição quando estão com o governo na mão! É vigarista, o brasileiro tem direito de reclamar do mau serviço, da mentira, do roubo e do logro, é função do cidadão fiscalizar o governo! Por isso responsabilizo quem tem o poder na mão. É culpa da Dilma e do PT o imposto indecente sobre o e-reader, eles querem o brasileiro menos leitor e sabotam a educação, este é meu mecanismo de pressão, legítimo, quem vai votar no PT sabendo que ele é contra a educação. Querem perder a pecha? Acabem com o imposto imoral!

      Alex

      Excluir
    6. O entendimento do imposto SOB COMPETÊNCIA FEDERAL vem União, consequentemente é arrecadado pela Receita Federal. Você está falando especificamente sobre o imposto de importação. Só que existem diversos outros impostos, e de competência dos outros entes federativos. Entenda de uma vez por todas: o governo federal não tem autoridade pra se intrometer na arrecadação de impostos estaduais, por exemplo. Então não existe isso de hierarquicamente superior. Um e-reader fabricado no Brasil não paga imposto de importação (federal), mas paga impostos estaduais, por exemplo. E aí? Culpa do PT também?

      Meu deus, é difícil. Agora sim, encerro.

      Excluir
    7. Daniel Banho,

      Volto ao mesmo ponto, mais uma vez, pois não soube contra-argumentar: a constituição veda cobrança de imposto para o livro, é para proteger o papel? Não! É para proteger a liberdade de expressão e a difusão da cultura, independente do governo, é um direito, é uma garantia. O governo já escolheu violar a lei em favor de seus interesses escusos, violou a lei para proteger um terrorista assassino quádruplo e violou a lei para permitir uma fusão ilegal entre teles onde o filho do presidente era sócio das empresas, o entendimento do e-book é mais condizente com a constituição, mas o governo insiste em cobrar o imposto mesmo sendo contra o cidadão, pois é do seu interesse que o brasileiro seja menos leitor e menos educado, foi a receita federal, onde a superior hierárquica é a Dilma que entrou contra as liminares que cancelam o imposto imoral, portanto, não me venha com besteira, o governo é frontalmente contra o e-reader e contra a educação. Dilma e o PT são contra a educação do brasileiro. Querem perder a pecha? Parem com a cobrança deste imposto imoral!

      Alex

      Excluir
  9. Paula Mendes,

    A matéria que mencionei era sobre livros, ebooks, material para o e-reader, acho difícil tolerar a ignorância de um jornalista, pois se for este o caso, ele não se deu ao trabalho de pesquisar antes de escrever uma matéria. Infelizmente o STF não mais é o guardião do texto constitucional, pois agora, por mais de uma vez violou a letra e o espírito da lei em entendimentos vexaminosos, é hoje mais uma corte política do que técnica jurídica e podemos ver ao vivo a má qualidade dos argumentos, que só prestam a justificar ajuizamento tendencioso, em bases fáticas e lógicas tênues ou inexistentes.

    Alex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Infelizmente o STF não mais é o guardião do texto constitucional".

      Como se vê, um republicano, que ama a democracia.

      E que se danem as instituições do país se elas são contrárias à minha opinião! Passemos por cima delas. Lamentável. Lamentável.

      Excluir
    2. Daniel Banho,

      Quem avacalha a instituição é o PT, e devo lembrar que os juizes do supremo estão abaixo da constituição, como todos os juízes estão abaixo da lei, se eles escolhem violar o texto legal, eles estão violando a instituição, a mesma que lhes dá legitimidade. A instituições baseadas em pessoas e não em princípio dá-se o nome de fascismo...

      Alex

      Excluir
  10. Acho que é um pouco complicado dar nomes aos bois nessa questão. Todos sabemos que no Brasil, situação e oposição 'brigam', mas eles cedem de um lado e de outro em favor de interesses. Todos os políticos tem culpa nessa questão, pois sempre haverá uma empresa com interesses por trás, e neste caso não seria diferente. Você acha de coração que quem manda no país são políticos? Sem as empresas que financiam suas eleições, eles não são nada. Um político sempre terá rabo preso com uma determinada empresa ou setor. Os deputados poderiam fazer barulho para o e-reader ter isenção? Sim! Olha o tanto de coisa que eles fazem barulho aí na Globo e etc. A questão, é que e-reader não beneficia as empresas daqui. Como não as beneficia, e ainda vai beneficiar empresas estrangeiras (concorrentes delas), sinceramente você acha que um político com o rabo preso até o último fio vai pensar no benefício da população? Muitos políticos são responsáveis por esse problema específico que estamos lidando, dos e-readers. Dar nome a alguns bois, seria ingênuo, pois iniciaria uma discussão infinita sobre política (assim como acontece com religião ou futebol), e ao invés de unir pessoas interessadas no e-reader, independente de credo político, estamos caindo nessa discussão, e assim a causa do e-reader sem imposto, sua fomentação e uso no Brasil seria posta quase que de lado.

    Tenho um kindle, gosto muito do modelo de negócio da Amazon, que possibilita um acesso muito barato e rápido a leitura, além do conforto do e-ink. É de meu interesse que essa causa circule, que mais gente fale a respeito, que haja mobilização para que o assunto seja discutido e fique possível a cada vez mais gente ter acesso a esse novo viés da leitura.

    Por que não, ao invés de dar nomes a alguns bois de um determinado curral, de uma boiada inteira de responsáveis pelo silêncio na discussão de alguns assuntos, não apontemos algum parlamentar ou outra autoridade mais séria, que possa ajudar a causa a ir pra frente? Reclamar de partido A e partido B, gera cisão. PT, PSDB, PMDB, entre outros, todos tem méritos e deméritos. O meu alerta nessa mensagem imensa, é para que a discussão passe a ser mais neutra, pelo bem da causa. Todos temos direitos de ter opinião, mas sempre que se cita partido A ou partido B, vai haver cisão. Torcer pra partidos, a favor ou contra, sempre vai levar a isso, e felizmente para os políticos, a discussão bacana vai se perder no meio das espadas voando discutindo qual partido é mais bonito e belo.

    Eu achei neste site uma referência fantástica de discussão sobre e-books. Para mim, já os tenho como referência principal aqui no Brasil. Sei que sou apenas um visitante, um follower no Twitter, um fã no Facebook e um ouvinte do ReaderCast, mas fica minha sugestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sahb,

      Dou nome aos bois, pois há responsabilidade direta hierárquica, fato! Dilma e o PT são os responsáveis diretos hierarquicamente pela receita federal, seus entendimentos e seus atos, eles tem o poder, eles são os culpados do entendimento enviesado da constituição, eles são os responsáveis diretos pela receita contestar as liminares concedidas em favor da isenção de imposto do e-reader.

      Só apontando os culpados com fatos, que é o caso da hierarquia do executivo, é que podemos mudar as coisas e auferir a verdadeira responsabilidade, responsabilidade de atos que a presidente quer escapar, mas é sua responsabilidade. É Dilma e o PT os responsáveis por obstaculizar a leitura mais barata do brasileiro, e assim são eles contra a educação, pois não há educação sem livros.

      Entendeu que há aqui uma linha lógica? Dilma é a superior da Receita Federal, portanto a responsável pelo entendimento da constituição que prejudica o leitor brasileiro pobre, e também responsável pelos atos da receita, e um deles é a receita contestar as liminares já concedidas por tribunais que consideram o imposto inconstitucional. Portanto, pela lógica: Dilma e seu partido, o PT, são responsáveis por privar o brasileiro de leitura mais barata que iria se incrivelmente benéfica na educação, mais que qualquer outra medida, assim são contra a educação. Dilma e o PT são contra a educação do brasileiro e tem que responder por isso, como podemos cobrar? Dando nome aos bois, responsabilizando quem é responsável e fazendo eles prestarem contas à população, ao eleitor, que não vai votar em quem é frontalmente contra a educação.

      Alex

      Excluir
    2. Parte 1/2:
      Políticos são 'frontalmente contra a educação', meu caro. A máquina política tem muitas engrenagens. Você já acompanhou a luta para adoção de software livre para vários setores do governo? Independente do partido da situação, os softwares proprietários faziam lobby (e ainda o fazem), para barrar a difusão do software livre. Seja por lobby, seja por ignorância dos políticos, o software livre não alcançou a inserção que se esperava. Uma pena para a sociedade.

      Creio que a chave seja atacar acima de Dilma e PT. O problema é bem mais complicado. Se ela se omite, pode saber que não é só ela. O interesse econômico de corporações daqui e o desconhecimento dos políticos de assuntos tão importantes apesar de soarem tão técnicos e distantes para eles (e-reader ou software livre), fazem com que tenhamos o dever de buscarmos meios de isso chegar a eles.

      Atacar, citando nomes não é eficiente a meu ver. Vamos aos fatos.

      - Atacar uma personalidade política X ganha automaticamente a antipatia dos partidários de X, além da própria personalidade X (eles são todos muito rancorosos e vaidosos). Bang, você perdeu esses que concordam com a causa, mas ficaram cegos por terem atacado a figura que tanto admiram.
      - Atacar a personalidade X vai ainda impossibilitar a causa de ser defendida por políticos eventualmente sérios que abracem a causa, mas sejam 'vassalos' de X. O partido dele iria o repreender se ele tomasse uma causa que toma força atacando ele próprio.
      - A máquina política é muito chata e complicada. Tem muitos interesses envolvidos, e assim citar a desatenção de X ou Y para um determinado assunto é um pouco imprudente, pois dá a impressão que políticos no Brasil leem e se inteiram sobre todos os assuntos (apesar de que na teoria, deveriam sim!). No feijão com arroz, até vai. Mas todas as vezes que participei de discussões com políticos sobre Software livre (sim, já participei desse tipo de discussão com eles), eles (como qualquer pessoa comum, que não é profundo conhecedor de informática) se mostraram ignorantes e cheios de opiniões fundadas em achismos de seus assessores igualmente ignorantes. Não se sinta como se a Dilma tivesse conhecimento de todo o potencial dos e-readers, ela devia saber, mas ela muito provavelmente tem uma opinião rasa baseada no que um assessor soprou no ouvido dela.

      Fazer o assunto vir a tona e ser cada vez mais discutido é o caminho. Eu estou interessado em apoiar essa causa, mas não tinha conhecimento de onde encontraria pessoas com ideias parecidas sobre a fantástica revolução que os e-readers pode trazer a nós. Meus pensamentos e sugestões compartilhados aqui, tem a intenção de fazer com que o assunto seja levado aos governantes de maneira que eles se sensibilizem e fiquem sem saída quando a sociedade conseguir pressioná-los mais que as corporações por trás deles. Pra mim, é o único jeito que a sociedade tem pra fazer suas opiniões serem levadas em conta nos dias de hoje. Não devia ser assim, eu concordo, pois fomos nós que os colocamos lá, mas todos sabemos que não vai funcionar do jeito 'certo'. Se quisermos fazer as coisas acontecerem de verdade, infelizmente temos que levar em conta as sugestões que citei, por já ter visto a história antes.

      Hoje em dia, o software livre tem uma inserção razoável nas esferas públicas, eu já acompanhei a implementação em algumas instituições inclusive. Não está como idealizávamos, mas o cenário só melhorou de 15 anos pra cá. No começo havia essa colocação de nomes aos bois por algumas pessoas chave, e esse processo poderia ter sido melhor a meu ver, se fossemos numa estratégia mais neutra, mobilizando população em geral a discutir a causa e fazer pressão no governo, mídia, empresas, etc. Hoje em dia, temos mídias sociais e outros meios de nos mobilizarmos para favorecer causas que achamos justas.

      Excluir
    3. Parte 2/2:
      Fica de novo minha opinião e meu esclarecimento com essa resposta. Estando num caminho que já vi antes e sei que pode não ser muito bom, faço o alerta. Podem contar comigo para ajudar a fazer a revolução do e-reader acontecer, pois acima de visão política, penso que é uma oportunidade ímpar para democratizarmos ainda mais a leitura e o conhecimento, além de criarmos mais oportunidades para brasileiros prosperarem. Eu vim de uma família pobre, tive oportunidades e as aproveitei para melhorar minha vida e a de minha família. Tudo graças ao conhecimento que pude ter acesso via internet. Se mais gente tiver acesso a leitura em dispositivos como e-readers, com certeza a difusão de conhecimento será cada vez maior e mais pessoas terão a oportunidade de ter um futuro melhor.

      Posso discordar de como você se colocou, mas, diferente da maioria que irá ficar brigando com você por rancor político, me coloco a disposição. Me procure, e no que puder ajudar com meus conhecimentos, estarei a disposição.

      Rafael Sahb

      Excluir
    4. Rafael Sahb,

      O governo é nosso representante, devemos exigir que nos representem, você está tratando os políticos como monarcas, pedindo favor ao rei em vez de exigir altivo o que é do seu direito. Não é estratégia, é princípio, somos cidadãos, não estamos pedindo um favor, é o nosso direito! Os bois tem nome! Os crimes tem culpados, os reis tinham cabeça para ser decapitada. O PT não está fazendo um favor, uma benesse, pois o governo é nosso! São eles que negam nosso direito, não o contrário, não adianta nada este discurso, e veja que o PT é sempre o primeiro a atacar, mas não quer ser cobrado das suas responsabilidades. Veja o Daniel, é o exemplo típico do comportamento do MAV que foi denunciado esta semana. Nós temos direito como cidadãos, não estamos pedindo favor! Eles querem cancelar nosso direito de cidadão, não devemos permitir. O risco da sua “estratégia” é virarmos um povo como o Cubano, sem direitos, pedindo de joelhos favores enquanto seus governantes vivem do povo no mais alto luxo. Para mim já chega uma ditadura, não vou esquecer os meus direitos.

      Alex

      Excluir
  11. E quanto a "dar nome aos bois", o brilhante autor do texto, em sua "ignorância, burrice ou má-fé", omite o fato de que a competência tributária é repartida entre municípios, estados e União. Portanto, assim como existe por exemplo o Imposto de Importação, arrecadado pela Receita Federal, sob o "comando da Dilma", existe o ICMS, que é arrecadado pelas receitas estaduais, portanto, sob o comando dos governadores de todos os estados. E o que mais existe é recurso de governos estaduais ao STF, contra a imunidade tributária concedida por tribunais regionais.
    Como se vê, é um problema geral, a ser debatido em todas as esferas do Executivo, do Legislativo e do Judiciário.
    Mas o rapaz já encontrou seu alvo.

    Novamente, "ignorância, burrice ou má-fé".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel Banho,

      Já ficou claro que do título você representa a má-fé, quem sabe mais um dos MAVs que andam por aí a tentar intimidar o cidadão, mas aqui não tem vez, aqui tem leitores, os mesmos que vocês temem, os mesmos que tem argumentos dos quais você precisa fugir, tergiversar. O imposto cobrado sobre os e-readers é da Receita Federal, sob comando hierárquico da Dilma, alguns estados cobram ainda o ICMS, mas não todos, a receita federal é quem entrou contra as liminares que já foram concedidas contra o imposto imoral, é a Dilma e o PT que se mostram francamente contra o e-reader, contra o leitor e contra a educação. Eu sou favorável ao leitor, ao cidadão. Por que vocês não param com a palhaçada e acabam com este imposto imoral, em vez de vir aqui defender o indefensável?

      Alex

      Excluir
  12. Já que o Ebook BR se tornou um blog onde a finalidade é discutir extradição, fusão de teles, filhos do Lula, "MAV's", regime cubano, dentre outros, sugiro que a equipe do site convide o Reinaldo Azevedo pra escrever aqui. Pelo menos ele escreve bem.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel Banho,

      “O peixe more pela boca e logo começa a feder, é só dar-lhe linha suficiente.” Parabéns, com esta sua fala deixou bem claro quem você é e quais os seus objetivos, e mais ainda, deixou claro que não é um leitor, e nem ao menos entende o motivo dos que aqui congregam serem tão entusiastas do e-reader.

      O e-reader representa a liberdade ao qual você nos quer privar, a fuga das pautas, das agendas e das mentiras protocolares de um governo vigarista, um governo que teme o cidadão leitor educado, pois ele não cai nas mentiras e tem a ousadia de dizer a verdade, reclamar seus direitos, que vocês querem cancelar. Direito não é um favor a ser mendigado, é o que não nos deveria ser tirado. Você e seus títeres, Dilma e o PT querem sabotar o brasileiro, não lhes dando o direito já descrito na carta, nós queremos liberdade, o e-reader sem o seu imposto vergonhoso que venha trazer liberdade para leitores, direito de escolha através do radical barateamento da leitura.

      Você não entende que é nos livros que lemos Thoreau, Emerson, Platão, kant. Nos livros também tem a história e por isto sabemos quem são os “camisas pretas” e como eles são semelhantes a ti e outros membros do MAV.

      Temos consciência, argumentos, tudo que te falta, e falta pois não lê, e por não ler cai nas mentiras ideológicas dos vagabundos que te puxam os cordões como titereiros. Aqui não vai encontrar bonecos, apenas cidadãos, leitores, conscientes dos seus direitos.

      Alex

      Excluir
  13. Daniel Monteiro,

    Você me entendeu, “se o PT quisesse, os e-readers deixavam de ser taxados amanhã mesmo”. É isso mesmo, o fato é que tentam esconder esta vergonha pois ela mostra mais, mostra que são contra a educação, pois liberar o imposto seria medida ínfima, se eles quisessem, com maior efeito que tudo que gastaram em vão.

    Alex

    ResponderExcluir
  14. Daniel Banho, parabéns pelas suas exposições, sempre pertinentes e inteligentes. Já não posso dizer o mesmo do articulista. Acho que no fundo ou no raso tudo o que ele quer é criar polêmicas para levantar o ibope. Não precisava de tanto. Mais uma vez, ele usa um assunto para simplesmente desenvolver um discurso político sub-reptício.
    Já passei por esse tipo de discussão aqui e cheguei à conclusão que não vale a pena. Ele não quer discutir e-reader, ebook, talvez tudo isso seja apenas um truque. Como essa minha rima pobre. Apenas isso.
    abs
    Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *** MAV IP DETECTED***


      Carlos,

      Já denunciaram o golpe dos MAVs na imprensa, não venha aqui, em um ambiente de leitores cultos com o seu tipo rasteiro de vigarice. O seu comportamento só mostra como vocês não tem vergonha do ridículo que fazem na internet, ao tentar colocar de forma autoritária as pautas do seu partido. Aqui não é o seu lugar, aqui é local de leitores, não ditadores sem argumento ou razão. E já vi dois perfis com seu mesmo IP, deixa de ser rasteiro e vá procurar sua turma onde não existem leitores, aqui esta palhaçada não cola!

      Alex

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  15. hahahahahahahahahaa, estou rindo aqui até agora, porque não tem outro jeito. O único MAV que conheço é MALFORMAÇÃO ARTERIOVENOSA CEREBRAL. Pode ser isso o seu problema. Hahahahahaha. Eu tenho nome, moço! Me chamo Carlos, uso Zezekindle porque criei essa conta no gmail com único intuito de deixar lá as dicas de livros e outras relacionadas ao mundo da leitura e sobre o kindle. Já entrei aqui também como Programa Linux, porque tenho um blog sobre Linux, atualmente desativado. A culpa se tenho dois perfis não é minha, mas do sistema de vcs que me permite isso. Por outro lado sei muito bem que o meu ip é fixo. Não sou ignorante em tecnologia. Sempre que entrei aqui para falar alguma coisa fiz questão de deixar meu nome no final, para deixar claro quem era.
    Eu sou um leitor de livros, tenho kindle, há muito tempo. Tenho conta na Amazon e compro na Amazon. Agora mesmo comprei um livro lá sobre saúde: The Magnesium Miracle, da médica Carolyne Dean. Muito bom, diga-se de passagem. Talvez vc devesse ler, quem sabe não descubra a cura para o seu problema de perseguição. Talvez seja falta de mineral, uma questão química.

    Vc viajou na sua maionese. Agora se vê o quanto desequilibrado vc é. Uma pena tudo isso. Quem não está de acordo com as suas baboseiras é do outro lado...Uma pena. O blog parecia ir bem, mas percebe-se que vc não tem a mínima condição de escrever um artigo e debatê-lo sem agredir os que pensam diferente. Aí eu pergunto, quem é o ditador? sem argumento? sem razão?
    O seu diagnóstico é simples.
    Cara, vc precisa se tratar.
    Outra coisa, a minha turma é de leitores. E bons leitores.
    E quanto a vir ou não aqui, eu continuarei vindo, porque acredito que este espaço é democrático, em que pese a sua falta de educação e bom senso.

    abs
    Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos,

      Vai tentando MAV, aqui só quem acredita em ti são seus “camaradas”, os fantasmas e os “robots”. Má tentativa. Quer entrar na conversa, use uma coisinha antiga chamada argumento, falácia aqui não cola, nem truque de internet.

      Alex

      Excluir
  16. Gente vamos evitar os ataques diretos de ambos os lados, aqui discutimos idéias atacar a moral do interlocutor não ajuda na discussão ok?

    ResponderExcluir
  17. De onde vem essa informação de que nos últimos anos o brasileiro se tornou menos leitor? É algum dado real ou uma percepção sua?

    Achei surreal essa afirmação e fui checar, houve um aumento de 150% no índice de leitura nos últimos 10 anos, o brasileiro lia em média 1,8 livro/ano em 2000 para 4,7 em 2010, um número ainda baixa, mas mostra evolução. Segue o link:

    http://www.blogeducacao.org.br/indice-de-leitura-no-brasil-cresce-mais-de-150-em-dez-anos/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiros hits do google:

      Brasileiro lê, em média, quatro livros por ano, revela pesquisa

      BRASÍLIA - A média de leitura do brasileiro é de 4 livros por ano, sendo apenas 2,1 livros até o fim, segundo a 3ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada nesta quarta-feira. O número é menor do que o registrado em 2007, quando foi feita a 2ª edição da pesquisa. Na época, a média de livros lidos por ano era de 4,7.
      O levantamento foi feito pelo Ibope Inteligência com 5 mil entrevistados em 315 municípios entre junho e julho de 2011. A pesquisa, encomendada pelo Instituto Pró-Livro, mostra ainda que metade da população - cerca de 88,2 milhões de pessoas - é considerada leitora, ou seja, leu ao menos um livro nos últimos três meses. O índice é menor do que o registrado em 2007, quando 55% da população havia declarado ter lido ao menos um livro nos três meses que antecederam a pesquisa. O Centro-Oeste é a região com melhor média de livros lidos, seguido pelo Nordeste, Sudeste, Sul e Norte.
      Fonte:
      http://oglobo.globo.com/educacao/brasileiro-le-em-media-quatro-livros-por-ano-revela-pesquisa-4436899


      http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2012/03/numero-de-leitores-caiu-91-no-pais-em-quatro-anos-segundo-pesquisa.html


      Alex

      Excluir
  18. Nota de esclarecimento sobre o MAV

    Infelizmente ainda é necessário esclarecer nossos leitores do que é o tal MAV, pois a presença deles será cada vez maior, tentando acabar com a liberdade de expressão na Internet. A tal sigla refere-se a um movimento organizado pelo PT (Núcleo de Militância em Ambientes Virtuais do PT), eles tentam combater o cidadão que manifesta-se de forma livre na internet contra o governo, é um grupo pago, muitas vezes com dinheiro do próprio governo ou de estatais, e que não mede esforços para interpor-se aos que tem objeções ao governo; muitas vezes utilizam-se de expedientes sujos para fazer esta violência, eles tem vários perfis para simular várias pessoas, nunca se dizem petistas, usam de “robots”: programas para fazer postagens em massa com o intuito de fraudar a representatividade eletrônica.

    A estratégia deste grupo é única e pode ser facilmente identificada, pois eles sempre fogem ao debate de idéias e tentam vencer não pela pertinência dos seus argumentos, mas pela força, postanto de maneira incessante até que o opositor desista. Se eles não tem argumentos a interpor uma afirmação, usam do que na técnica dialética é chamado falácia, não é só uma mentira, vejam a referência da wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fal%C3%A1cia

    A tática mais comum e baixa deste grupo é classificar qualquer cidadão que tenha objeções ao governo como membros da oposição, é proibir o cidadão comum de manifestar-se, pois assim qualquer manifestação vira um assunto de partido, o que não é verdade, o que importa é a pertinência do argumento; ainda pior, um governo, mesmo que eleito de um partido, governa para todos os brasileiros, se faz diferente, é crime.

    O PT tenta comportar-se como se não fosse governo, escondendo-se quando os problemas que competem ao governo aparecem, fingem-se de oposição, colocando a culpa “no sistema” para não assumir suas responsabilidades. E aparecem em qualquer causa que funcione, mesmo que o mérito não seja seu para colher os louros sem o suor do trabalho.

    A este ganha-pão de semear a mentira interpõe-se o cidadão independente, de posse de fatos e argumentos, que precisam ser calados. Já mencionei a insistência agressiva e a falácia, eles usam de perfis falsos ou da cumplicidade de colegas para apoiar suas mentiras tentando enganar o leitor: um fala uma mentira e logo entram outros dois perfis diferentes concordando, como se a mentira fosse verdade, e até apontando dados de blogs oficialistas quando uma rápida pesquisa google mostra a verdade.

    Quando eles vêem que não tem como vencer o argumento (depois de muita insistência), colocam a coisa como cada um tendo a sua opinião e dizem que todos tem direito a uma opinião, e todas as opiniões são igualmente válidas, isto é uma modalidade de falácia, vou explicar o porquê: Todos temos direito a uma opinião, mas no momento que verbalizamos esta opinião, ela pode ser contestada, pois este é o direito de opinião da outra pessoa. Se duas opiniões colidem cabe à lógica dizer qual é a mais válida, elas não tem pesos iguais e ambas não são verdadeiras. Veja um exemplo: eu sou da opinião que beber um litro de ácido clorídrico puro mata, o outro é da opinião que não, ele bebe, morre, a lógica provou que o meu argumento é melhor, não são opiniões iguais. O direito justo à opinião é usado de forma errada para que os de opiniões erradas não sejam contestados, é uma ditadura, ninguém está lhes tolhendo o direito de opinar, eles é que querem cancelar o direito do outro de manifestar-se contra, com melhores argumentos.

    Acredito que este pequeno esclarecimento sirva de vacina para acabar com este comportamento irritante do MAV, e além disso, sirva de guia para nós cidadãos conscientes, cientes dos nossos direitos, lutarmos para que eles não sejam revogados por vigaristas que querem implantar uma ditadura no Brasil, violar nossa constituição e os princípios que a nortearam.

    Alex

    ResponderExcluir
  19. Eu já havia prometido a mim mesmo não entrar mais nesse enredo maluco. Mas vamos lá.
    Eu, Carlos Gomes, não tenho problema algum com perfil falso.
    Ás vezes usava o perfil Programa Para Linux porque na hora de postar a mensagem era necessário ter uma conta aqui ou ali. E por comodidade mesmo, eu entrava com o perfil citado acima.
    Quem quiser poder comprovar o que estou dizendo. O perfil existe e o meu blog sobre linux também existe. Foi criado em 2010. Quem quiser pode vistá-lo:

    http://programasparalinux.blogspot.com.br/

    Ou seja, eu existo e sou dono do blog acima, que tinha como único objetivo passar informações sobre Linux, pois sou usuário também do linux, em especial do Ubuntu.

    O outro perfil meu aqui é o do meu email: zezekindle@gmail.com
    Uso esse email apenas para assuntos de livros digitais.
    Mas quem quiser enviar mensagens para ele fique à vontade. O email acima é verdadeiro e pertence a Carlos Gomes, eu mesmo.

    Portanto, não estou usando de dois perfis para enganar.
    Não preciso disso.

    É só isso. Apenas um esclarecimento.
    Abs
    Carlos

    ResponderExcluir
  20. Alexandre Affonso No Blogger desde abril de 2012, já usou mesmo IP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que você quer dizer com isso? Já usei o mesmo IP comentando aqui como o mesmo nome, Alexandre Affonso, não entendi? Você tá falando que eu sou um robô?

      Excluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. se ele usou, então tem algo errado. Uso Net em minha casa. E meu ip, pelo que eu saiba, é fixo.
    Acho isso muito grave. Gostaria que vc me provasse que o ip usado por mim e pelo Alexandre é o mesmo. Mesmo porque eu nem conheço Alexandre. Nem sei quem é.
    Você está lançando suspeita sobre falsidade ideológica.
    Isso é caso de polícia. E estou disposto a averiguar a verdade disso.
    Vc tem como provar isso? Porque eu gostaria muito. Me sinto atingido por tal afirmação.
    Repito, sou cliente Net. Tenho assinatura Combo. Moro em São Paulo, capital.
    Acho que, se vc está levantando essa dúvida, vc tem obrigação de mostrar e apresentar a verdade.
    Eu sou o mais interessado nela.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. estou aguardando uma posição oficial do site a respeito do meu ip.
    Segundo o articulista,Alê, eu, Carlos Gomes e Alexandre Affonso, que não sei quem é, usamos o mesmo número de ip. Isso para mim é falsidade ideológica.
    Como fui acusado, estou aguardando uma posição clara e oficial do site a respeito do assunto.

    Obrigado

    Carlos Gomes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carlos. Eu não sou você, eu te garanto isso. Inclusive uso meu nome e sobrenome verdadeiro nos comentários. Sou facilmente encontrado no Google, obrigado pela visita.

      Aparentemente o autor do artigo comprou a matéria da Veja sobre robôs na internet. Da mesma forma que ele é um crítico cego do PT, ele aceita passivamente o que sai na imprensa.

      RG: 1.XXX.473 SSP-ES

      Excluir
  25. Eu acho que a coisa saiu um pouco do contexto. O Alex tem suas convicções, eu tenho as minhas, e os outros envolvidos na discussão têm as deles. A coisa estava muito legal enquanto a discussão era sadia, sem acusações ou ânimos mais exaltados. Em qualquer diálogo, entender e discordar de uma posição contrária a nossa é normal, o que não é normal é não aceitar que os outros possam ter opiniões diferentes das nossas. Discussões como essas são construtivas, mas essa em particular extrapolou o diálogo e transformou-se em uma queda de braço entre ideologias. Espero, como leitor do blog, que isso não aconteça em futuras discussões. Caso contrário não só o blog perderia, mas também seus leitores.

    ResponderExcluir
  26. Não sejam primários, o comportamento de vocês já vem sendo monitorado há algum tempo: http://www.ebookbr.com/2012/04/editores-contra-autores-e-leitores.html , usou o mesmo ip por descuido, nós vemos, só não achei que havia motivos para incomodar leitores com a palhaçada, mas parece que o governo não quer de jeito nenhum liberar o imposto, visto que seria medida simples, e por ser simples mostra a verdadeira índole de quem está no poder, contra livro, contra educação verdadeira, infelizmente nós aqui somos favoráveis à popularização do e-reader, principalmente por ser uma ferramenta de liberdade e barateamento da leitura e mais do que isso, a constituição e seu espírito de liberdade de expressão nos apóia, é um direito, que está sendo negado.

    De tudo discutido neste blog a vocês só interessa que a verdade não seja dita, pois ela mostra uma realidade feia, infelizmente o governo é o maior obstáculo ao e-reader, ao leitor, à educação. Não podemos fugir disso, mas posso combater, deixar claro, fazer pressão até que resolvam seguir a constituição e liberar o imposto imoral que ajuda a manter o brasileiro ignorante.

    Alex

    ResponderExcluir