terça-feira, 10 de abril de 2012

Testando Livrarias Online IV

Aumentar Letra Diminuir Letra

Agora é a vez de partilhar com vocês a experiência de compra na Livraria Travessa, que não tem apenas a loja online, mas uma rede de lojas no Rio de Janeiro (são sete endereços) que vende livros, CD's e DVD's e, desde janeiro deste ano, também e-books.


O site é bem convencional, tanto em termos de estrutura como de visual (isso, para mim, não é demérito, vale frisar), e funciona bastante bem. Nenhum drama ou demora para preencher o cadastro. Não há como saber o tamanho do catálogo, pois o mecanismo de pesquisa é por ISBN, editora ou nome do autor e só informa o número de resultados encontrados para cada busca, ou seja, não há como pesquisar todos os e-books para saber quantos títulos estão disponíveis na loja. Tentei usar a busca refinada, sem indicar qualquer título, na esperança de que viesse a lista com todas as obras disponíveis, ordenadas por preço, mas não deu certo.

Quase todos os títulos que pesquisei estavam no formato ePub, mas também há obras em PDF . O simples fato de não ter que baixar um aplicativo de leitura exclusivo da loja (depois da experiência lamenável com a Iba) foi ponto positivo, mas o que merece mesmo destaque é que imediatamente após a compra o cliente é direcionado para uma pesquisa de satisfação onde o processo de compra pode ser avaliado. Ah sim, naturalmente os e-books são vendidos com o DRM da Adobe, portanto é necessário possuir uma ID do Adobe Digital Editions para poder fazer o download do livro que você comprar.

Há um botão com razoável destaque no menu à direita para tirar as dúvidas sobre e-books cujas respostas são curtas e claras e abrangem a maior parte das questões relevantes para um leitor de e-books de primeira clicada. E eles não ignoram os e-readers - gostei.

Vi preços entre de R$9,90 e R$ 139,00, mas isso dentre as seções que pesquisei, pode ser que haja títulos de maior ou menor valor.

Agora falando do teste propriamente, escolhi um e-book do Ondjaki, autor que ainda não li e o preço era 40% mais baixo que o valor da versão impressa. Paguei R$19,00 (3 vezes no visa, risos) e o processo todo de compra não levou 2 minutos entre adicionar ao carrinho e fazer o download (depois mais 2 minutos para a devida conversão no calibre e transferência para o Kindle.


O ponto positivo é que a facilidade / rapidez para comprar sem precisar de aplicativo específico. Como ponto negativo, sinalizo o mecanismo de busca de títulos, que é bem engessadinho, sem a lista de todas as editoras ou autores disponíveis ou mesmo a informação do número de obras. Há, ainda uma seção chamada "Minha Biblioteca"onde fica armazenado o seu histórico de compras, mas não há clareza quanto ao limite de downloads que você pode fazer de cada arquivo.
Resumindo, a Travessa não perde para as grandes, mas também não traz nada de inovador, seja em preço, promoções ou qualquer outro atrativo que seduza algum não leitor de e-books a passar para o outro lado.

5 comentários:

  1. Em comparação com as experiências anteriores, achei a Travessa muito melhor. Mas realmente ainda falta os dois pontos principais para o livro digital deslanchar (e que, com certeza, a Amazon irá abordar!). Retirar o DRM e baixar os preços. Fica a dica para a Travessa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felipe Guedes, é porque talvez você não conheça www.clubedeautores.com.br, também. Lá existe livros ao seu gosto, em impresso e e-book. Aproveite datas comemorativas e compre com 25% de desconto para os livros impresso. Te dou uma dica de um título: SUPLÍCIO DE UMA VIAGEM.

      Excluir
  2. Felipe,

    Pode não ser aparente ao consumidor, mas a Amazon também tem DRM, se você comprar na Kobo a partir do próprio aparelho, você terá o Adobe DRM sem perceber, da mesma maneira que a Amazon. O grande problema é que esta implementação nas livrarias brasileiras não é invisível e atrapalha muito a compra. Nós aqui no site não acreditamos em DRM, é caro, onera o livro, ineficiente e penaliza o consumidor, tratando-o como um bandido em potencial.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  3. já comprei livros impressos na Travessa, pela internet e no Rio. É uma excelente livraria. Agora, os preços dos livros digitais lá ainda continuam salgados. Um absurdo, por tudo que já foi discutido e continua sendo discutido por aqueles que, como eu, defendem um preço bem menor do livro digital em relação ao impresso. É simpĺesmente ridículo os preços no Brasil. E me desculpem, não é questão de governo, de lei ou qualquer coisa parecida. A questão é de cultura empresarial. A nossa é abusiva.

    Diante de obstáculos, desafios, drms e outros muros criados, vão surgindo opções e alternativas para quem pretende seguir usando arquivos digitais.
    Hoje, tomei conhecimento de um site (http://1dollarscan.com/index.php) com um tipo de serviço muito interessante de digitalização de livros e documentos. Eles cobram 1 dólar para scanear 100 páginas de livros. O serviço funciona mais ou menos assim: a pessoa envia o livro para eles. Eles scaneiam o livro e envia o arquivo digitalizado, em pdf, na formatação ideal para o seus dispositivo (kindle, nook, celular com androide, etc).
    A ideia é que as pessoas tenham os seus livros e documentos digitalizados para acessar em seu dispositivo favorito onde e quando quiser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi zezekindle os livros neste site:www.clubedeautores.com.br há livros maravilhosos por lá, e com precinhos que cabe no seu bolço, dê uma navegada por lá. Te indico um Título SUPLÍCIO DE UMA VIAGEM.

      Excluir