domingo, 4 de março de 2012

Testando mais livrarias online

Aumentar Letra Diminuir Letra

Seguindo na série de test drives de novas livrarias online como fizemos aqui, hoje é a vez de comentar a performance da Livros Ilimitados, que não vende exclusivamente e-books, mas está construindo um catálogo com suas próprias edições. Novamente, a ideia é comentar aqui aspectos como diversidade do catálogo, facilidade da compra, prazo de entrega e qualidade do e-book.

Quanto ao site em geral é menos intuitivo que o desejável e o visual não chegou a me emocionar, mas isso não interfere em funcionalidade. O caso é que quando entra no site você não vai direto para a loja, é preciso selecionar no menu. Alguns títulos estão disponíveis tanto em e-book como em versão impressa.


O foco principal da Livros Ilimitados parece ser a oferta de serviços de publicação para autores independentes, e o site mantém no menu elementos desatualizados ou subutilizados, como o blog e o fórum. Na loja, senti falta de alguma informação básica sobre e-books - o que são, como ler, os formatos disponibilizados.

A função de pesquisa funciona bem, mesmo porque o catálogo não é muito extenso ainda.
Os e-books ofertados estão em formato PDF (ao menos o que eu comprei para testar), mas não há nenhum esclarecimento prévio sobre o formato de cada título para o consumidor.

Os preços variam de R$14,00 a R$30,00. Alguns títulos estão um bocado salgados para versões e-book, como, por exemplo, a coletânea resultante de um concurso de contos promovido pela rede de lojas Cantão e pela própria Livros Ilimitados, que sai por R$19,90.

O processo de compra em si foi tranquilo (fiz o teste com essa coletânea mesmo), pelo Pag Seguro, mas levou efetuei a compra num dia à noite e só recebi o link para download (pelo serviço de armazenamento do Sendspace) no dia seguinte e, coincidência ou não, depois de ter me manifestado na fan page da loja no Facebook.

Tentei fazer o download pelo iPhone e não abriu no iBooks. No computador tudo normal, apesar de ser um PDF, ele é bem diagramado e, após a conversão no Calibre, ficou com aparência passável no Kindle. As imagens ficaram quebradas e não há navegação entre capítulos / contos. Talvez com uma edição no calibre dê para fazer uma limpeza, mas eu não tenho muita habilidade com isso, nem paciência, confesso.

De qualquer modo, é uma iniciativa a mais que está trabalhando no ramo e dando atenção à produção de e-books, o que merece nota e atenção. Os pontos que sinalizei aqui, fiz questão de enviar para a Livros Ilimitados também (tentei o formulário do site, mas não funcionou, então fui à fan page), porque acredito na participação e manifestação dos consumidores especialmente para este mercado que, no Brasil, parece ainda engatinhar.

5 comentários:

  1. Galera, eu estava pensando do preço dos ebooks no brasil, o problema é das livrarias que querem lucrar muito em um determinado livro ou o livro já vai caro para elas?
    Quanto uma livraria precisa pagar para disponibilizar um determinado livro? Ela simplesmente compra de uma editora, ganhando desconto pela quantidade? Como funciona isso?

    ResponderExcluir
  2. Olá, Maurem. Apesar de já ter te agradecido no Facebook, fizemos questão de vir aqui no seu blog deixar mais uma vez nosso agradecimento. E não somente isso, gostaríamos de lhe parabenizar pelo belo texto que você escreveu, pelo blog de vocês e pela iniciativa de ajudar/incentivar mais livrarias a darem certo!

    Todos os tópicos que você levantou aqui já estão recebendo atenção especial de nossa equipe que está cuidando de nosso futuro novo site (sim, estamos planejando lançar ainda esse semestre um site totalmente reformulado)!

    Obrigado mais uma vez e fique a vontade para expressar sua opinião sempre que desejar. Gostamos muito disso. De verdade! ;)

    Att,
    Equipe Livros Ilimitados

    ResponderExcluir
  3. Cara que demais esse comentário da livraria. O Brasileiro carece de livros em português com preços justos e boa formatação! Uma Livraria disposta a ouvir os usuários e mudar seus conceitos é sempre boa notícia.

    ResponderExcluir
  4. Verdade, Spallenza e por isso acredito que vale incentivar os consumidores a se manifestarem com esse intuito de melhorar o próprio serviço que utilizarão.

    ResponderExcluir
  5. Obrigado, Spallenza. Só uma observação: na verdade somos uma editora, e não uma livraria. Fora isso, você está certíssimo(a): estamos sempre dispostos a ouvir e mais do que isso, a melhorar. Porque SÓ ouvir também não adianta, não é mesmo? :)

    ResponderExcluir