sexta-feira, 23 de março de 2012

ReaderCast13 - Ebooks na Educação

Aumentar Letra Diminuir Letra




Nesta Edição Paulo Carvalho, May Arend e Alex Bubel. Conversam sobre a questão dos e-books como instrumento de ensino.

Duração: 52:12












Comentados nos recadinhos:
Pague quanto quiser!

Comentados nesta edição:
Tiago Mattos da Perestroika no TEDxPortoAlegre.
Bebê tenta usar revista como Ipad.

Músicas tocadas nesta edição: 

Baixadas do Jamendo

Artista - Música


Bayou Trio - Woodstock Blues
Dario - Ma déesse
Dario - Suppositoire
Mark Finnan - The Wait is Over


Assine nosso feed:

Receba o ReaderCast diretamente no seu agregador de podcasts preferido.
Rss: http://feeds.podtrac.com/CwI261GDOmc$
Itunes: itpc://feeds.podtrac.com/CwI261GDOmc$

E-mail:

Mande suas dúvidas, mensagens, elogios, críticas e sugestões para
readercast@ebookbr.com



12 comentários:

  1. Achei o cast interessante, ainda não tenho opinião formada sobre o tema, só acho que um grande problema na utilização da tecnologia na educação está na diferença de visão entre os professores e os alunos.

    Meus professores tiveram que aprender a usar os computadores depois de "velhos", mas eu não tenho lembranças do mundo sem eles, assim como meu irmão mais novo nasceu com internet em casa, isso acaba gerando diferentes visões sobre as mesmas coisas, o que pode causar conflitos na hora dessas diferentes gerações se relacionarem com esses objetos.

    Acho que a educação do Brasil bem mal estruturada, e a educação pública ainda mais abandonada. O problema da educação brasileira é maior do que meus olhos conseguem ver...

    Ultima coisa: sou estudante de licenciatura em Matemática, e meu maior conflito sobre esse tema é: até que ponto da matemática deve ser ensinado? Porque chega um momento da vida escolar, que a matemática perde qualquer ligação com o mundo real, o que a torna muito menos interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo,

      Malba Taham responde esse seu anseio. :)

      Excluir
    2. Gustavo,
      Aqui encontrará umas respostas:
      http://www.ebookbr.com/2012/02/tablets-e-alfafa-para-alimentar.html

      Você mais do que nós sabe que toda matemática é apenas um constructo intelectual, pode ter uso prático, dependendo da situação, perguntas mais complexas exigem pensamentos e matemática mais complexa. O que se ensina no colégio é o mínimo, e para quase tudo achei uso prático, independente da faculdade. O que você acha que não deveria figurar no currículo?

      Alex

      Excluir
  2. Me desculpem por fazer mais de um comentário, mas estou escutando o cast novamente e surgiu novas observações.

    Eu, como futuro professor passo por um dilema: Minha obrigação é permitir que os alunos aprendam ou fazê-los aprender? Porque há alunos que literalmente não querem saber, talvez a culpa seja da educação pregressa dele, mas como eu, um futuro professor do ensino médio, devo agir? Devo exigir que meus alunos saibam aquele conteúdo, ou devo garantir-lhes uma estrutura de aula que os permita aprender se possuírem vontade?

    E há também um outro problema: A educação precisa ser avaliada, e precisa-se se manter um padrão de aprendizagem para que os diplomas e formações signifiquem um conhecimento mínimo(ou não), mas as pessoas não são iguai, e a sala de aula e a formação de cada um fica prejudicada porque precisa acompanhar o progresso do todo. Ora o aluno possui mais dificuldade e aos poucos fica para trás sem ter como escapar ou o aluno possui mais facilidade e fica refém de aulas chatas e "bobas" que não favorecem seu desenvolvimento. Lembrando que em uma sala de aula, esse cenário é especifico para cada uma das matérias ministradas.

    Por agora é o que eu tenho a dizer, talvez ainda volte com mais uma observação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo,
      Não tem como ajudar quem não quer, o professor não ensina, é o aluno que aprende. Infelizmente a escola é obrigatória, assim como o currículo, com uma exigência temporal específica, o que não ajuda a diversidade de seres humanos em sala. O máximo que dá para fazer é seduzir com as maravilhas do conhecimento.

      Infelizmente o professor além de facilitar o conhecimento, deve julgar o aluno e auferir-lhe uma grau social na forma de um título idêntico para todo aluno. Deixe claro a exigência para ganhar tal título e mais claro ainda que você pode ajudar.

      Alex

      Excluir
    2. Me vi nesse seu aluno que tem facilidade e fica refém das aulas chatas e bobas.
      Passei meu ensino médio e, agora, minha faculdade, procurando algo para fazer durante as aulas, por achar o conteúdo fácil. Desde o primeiro ano do ensino médio li durante as aulas (Senhor dos Anéis, Brumas de Avalon...) e no segundo ano quase rodei por faltas, ainda assim mantendo uma média 8,5 ou 9, invejável.
      O nossos sistema desprivilegia o aluno inteligente. Nesse caso, eu vejo os EUA como uma solução: em diversas escolas os alunos com facilidade são separados e levados para uma turma avançada, onde são estimulados e exigido um maior esforço e um conhecimento maior.

      Excluir
  3. Gostei muito desse cast, principalmente quando destaca a importância dos livros para o contínuo progresso da humanidade.

    Sobre o conteúdo que os alunos poderão acessar na internet pelos tablets, isso é até fácil de resolver, basta fazer algumas restrições no servidor de internet e bloquear sites como orkut, sites comuns de jogos, youtube etc. Então o aluno não poderá acessar pelo menos os sites mais comuns... mas claro, qualquer coisa pode virar distração quando a aula é chata.

    Em minha opinião o papel do professor nos primeiros anos é mostrar os assuntos mais importantes e básicos e, mais tarde, um guia para que o aluno por si descubra seu próprio caminho. Fazer ele sentir vontade de ir atrás e querer mais daquilo que ele gosta.

    Concordo que a idéia de comprar tablets foi péssima.

    ResponderExcluir
  4. Daniel Monteiro,

    Como não tenho facebook minha resposta vai aqui:
    Se os argumentos existem não sou drástico, apenas prático. Não tenho complacência para discursos que não resolvem nada, adiam e ainda pioram. Se educação não é uma causa urgente, não imagino o que seria.

    Alex

    ResponderExcluir
  5. Esse infográfico do portal R7 reproduzido no Revolução cai bem ao assunto do podcast http://www.ebookbr.com/2012/03/extra-extra-kindle-touch-3g-em.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu fiquei curioso, que infográfico é esse que você mencionou?

      Excluir
    2. http://revolucaoebook.zippykidcdn.com/wp-content/uploads/2012/03/20120228-compraTablets-comparacao-682x1024.jpg

      Excluir
    3. obrigado, achei a comparação interessante, mas talvez um pouco simplista. Mas realmente acho que esses tablets não são solução para nada.

      Excluir