quinta-feira, 29 de março de 2012

DRM Social: Porque isso é uma má idéia?

Aumentar Letra Diminuir Letra


Recentemente o site Potermore lançou a versão digital dos livros da série Harry Potter para todos os dispositivos, e ao invés de usar DRM ela optou por imprimir uma marca d'água com dados do comprador em todas as páginas.
Peter Cox do site futurebook fez uma lista com 7 motivos de porque isso é uma má idéia e finalmente nossos amigos do Revolução E-book comentaram as observações de Cox.
Um ponto específico do artigo do Eduardo melo me chamou a atenção: 

"O que o Peter Cox não entendeu ainda, aparentemente, é que eBooks são feitos e vendidos, em última instância, por pessoas. E estas pessoas, autores, editores, entre outros, ainda não estão preparados, intelectual e emocionalmente, para vender cópias digitais sem qualquer proteção. A grande maioria, pelo menos. Muitos não entendem o digital, e querem se agarrar a uma (falsa) sensação de controle ao entrar em um mercado que não compreendem. Ok, estou parecendo meio psicologista com esse argumento, mas vejo isso diariamente quando converso com editores e troco emails com clientes… pelo menos no Brasil, a coisa está nesse nível."

O que quero discutir aqui é que os leitores também são pessoas, pessoas bem informadas, que sabem das possibilidades dos livros digitais e não estão dispostos a aceitar o DRM porque os editores não estão psicológicamente preparados para "confiar" nos leitores.
É claro que a pirataria é um problema, e não é fácil de ser barrada, entretanto tratar a todos como criminosos em potenciais não é a solução.
O que o editor deve levar em consideração é que não conseguirá acabar com a pirataria através de estratagemas legais ou recursos restritivos, os editores devem encarar a pirataria como um concorrente, desleal é verdade, mas ainda assim um concorrente, e ele só conseguirá vencer a pirataria com excelente serviço e preço justo.
Fora isso vamos analisar a situação:
Você compara um livro com DRM Social e este livro tem seu Nome CPF e RG em todas as páginas, ou na folha de rosto. Você coloca o livro em seu e-reader ou tablet.
E se você for roubado, seus dados estarão nas mãos de ladrões?
Eu não gostaria de andar por aí com meus dados expostos todos já devem ter ouvido histórias terríveis de golpes dados com posse de CPF de terceiros.
Sabendo disso, você andaria tranqüilo com seus dados expostos em um e-book? Nem eu.
Não adianta dar murro em ponta de faca, é preciso se adaptar para sobreviver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário