segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Vídeo:E-books estão acabando com as livrarias?

Aumentar Letra Diminuir Letra

Será que os e-books estão acabando com as livrarias? é este o assunto desta reportagem da band, retransmitida pela Uol TV.

7 comentários:

  1. Não acho que vão acabar. Mas creio que as que não migrarem para o livro eletrônico de qualidade vão ter um grande prejuízo. Como o Eduardo Spohr disse, ainda tem muita gente que gosta de colecionar os livros e acho que isso não vai acabar. Eu, por exemplo, comprei tanto as crônicas de gelo e fogo no formato digital quanto o box para ter em casa.

    ResponderExcluir
  2. Paulo, eu não acho que as livrarias irão acabar, mas terão que inovar. Eu gosto de passear em livrarias e colher títulos, depois navego na internet e compro em e-book na Amazon porque os preços realmente são imbatíveis. Sempre fui uma compradora fiel da Submarino, Saraiva, Fnac e Cultura mas faz mais de um ano desde que tenho o kindle que passei dos livros físicos para os ebooks e posso dizer que não me arrependo, além da praticidade, tem a leveza e o prazer é o mesmo. Marta.

    ResponderExcluir
  3. Reportagem brasileira é foda, a maioria esmagadora dos leitores mostrados com pessoas na matéria são e-readers com e-ink mas na hora de eles falarem eles falam de tablets e não dos e-ink...

    Quanto a acabar com as livrarias eu também duvido acredito que os dois mundos podem conviver e se completar, sempre tem que goste da copia física e queira ter pra guardar/colecionar (mesmo eu não vendo sentido nisto)

    ResponderExcluir
  4. Não acredito que as livrarias continuarão a existir como são hoje. Acho que chegará o dia em que elas serão poucas e venderão artigos de luxo, antiguidades, que terão o seu charme, mas que serão para poucos. Já o livro eletrônico é a grande tendência. Os donos de livrarias e editoras perceberão que vender o objeto físico ou vender o arquivo digital é quase a mesma coisa, no sentido mercantil, com a vantagem de que o comércio do digital dispensa o custo do espaço físico para os estoques, a logística, etc. Essa é a paisagem na minha bola de cristal. Quanto ao fechamento de livrarias de bairro, isto já vinha acontecendo, não em função dos livros digitais, mas pela impossibilidade da concorrência com as megastores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Cara, olha a amazon. Olha a facilidade que tem de comprar com ela.
      E vamos sair dos livros, em todos os setores você combate a pirataria com preço justo e serviço de qualidade.
      Nos filmes está crescendo o Netflix.
      Em jogos temos o steam. Cara o Steam vende muito jogo. Você compra online e mais barato. Caso você formate o pc, só fazer o download de novo.

      Excluir
  5. O repórter foi infeliz ao dizer que os e-books estão "matando" as livrarias. O equívoco do seu texto fica claro quando, ao final, mostrando a Barnes & Noble, diz que a livraria "ironicamente" faz anúncio de um e-reader em sua vitrine. Será que ele não percebeu que essa livraria está apenas indo pelo caminho óbvio, se adaptando às novidades e continuando a negociar com livros como sempre fez? Será que as gravadoras e produtores de conteúdo artístico/cultural não percebem que têm que mudar rapidamente o modelo de comercialização de de suas obras em lugar de prender um ou outro como exemplo? Será que só eu estou vendo isso? Não, os Deuses não fariam isso comigo.

    ResponderExcluir
  6. O problema é que a os produtores de conteúdo estão em constante processo de negação. Os dois formatos podem coexistir, basta que o produto chegue ao consumidor com a devida qualidade.

    ResponderExcluir