segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Visão do livreiro brasileiro sobre Amazon e o e-book

Aumentar Letra Diminuir Letra

Esta entrevista foi publicada no dia 16 de Dezembro na TV Folha e mostra como vai ser difícil termos livros eletrônicos de baixo preço com a mentalidade dos atuais líderes do mercado em livrarias.
A esperança é que a Amazon consiga mudar isso e que os escritores vejam que é muito melhor vender 100 mil cópias a R$ 1,00 que mil cópias a R$ 35,00 como é hoje...

Um comentário:

  1. oLÁ a todos

    Olha, o que achei dessa entrevista é que:
    1)esse "modelo" amazon, em que ele mesmo coloca que a Amazon se torna "dona" do livro, me pergunto: já não é o que ocorre com as editoras? acho que isso pode preocupar às editoras tradicionais, mas não vai influir pro consumidor final.

    2) o mercado interno é irreal e fechado, a tendência é que se abra como qualquer mercado hoje em dia

    3) eu sinto que as editoras oferecem os ebooks, mas não tem interesse no modelo, oferecem pra não parecerem obsoletas, mas o interesse é vender livro físico, pois o ebook deixa transparecer muito mais como o livro brasileiro é caro (é caro sim, essa história de que o Brasil é caro não funciona aqui, opondo o valor normal do livro à renda média brasileira o livro é caro aqui sim)

    3)as editoras se quisessem realmente teriam u poder até empresarial, econômico, maior de cobrar do congresso o barateamento do ebook reader sim, ao lado do consumidor final (nada como poder econômico para influir no nosso congresso democratíssimo) mas pra quê? é melhor vender livro físico caro...

    4) uma coisa que nunca se discute no Brasil: por que as editoras não oferecem formatos mais variados de impressão do mesmo livro (paperback, etc)?

    bom no momento é isso
    e a Amazon acho que vem comn certeza, no meu app android do kindle já aparecem inclusive propagandas da amazon em português!

    ResponderExcluir