sábado, 19 de novembro de 2011

Escritor independente "best-seller" não recomenda plataforma da Penguin

Aumentar Letra Diminuir Letra

Esta semana, a editora Penguin anunciou em seu site de rede social dedicado a escritores que estava lançando uma plataforma de auto-publicação, a Book County. Porém, nem todo o mundo está recomendando a novidade.

J.A. Konrath, escritor independente "best-seller" nos EUA, aconselhou no seu blog que os novos escritores que estão pensando na auto-publicação deveriam procurar outros meios alternativos. Dentre os motivos, ele mencionou as taxas do Book Country para a formatação de livros eletrônicos e o custo associado à disponibilização dos títulos em livrarias.

"Para que pagar a Penguin para fazer o upload dos seus livros?", ele pergunta no blog. "Essa é a parte mais fácil do processo de auto-publicação. Ah, tem mais: a Penguin fica com 30% dos seus direitos autorais. Então, além de pagar uma vez, você precisa continuar pagando..."

Ele também disse aos jovens escritores que existem plataformas mais baratas ou até completamente gratuitas para formatar e colocar um livro à venda nas livrarias virtuais. Konrath entra em detalhes até o último centavo: "Tem gente que cobra uma única taxa e você retém todos os seus direitos. Isso significa que quando você disponibiliza o livro eletrônico no Amazon.com e vende cada cópia por US$ 2,99, você fica com US$ 2,05 da venda, em vez dos US$ 1,47 que o Book Country lhe dá. Confia em mim, isso faz muita diferença."

Trocando em miúdos, o escritor vendeu 500 mil livros eletrônicos. Se tivesse publicado pela plataforma Book Country, a editora Penguin teria ficado com US$ 290 mil dos seus direitos autorais.

Mais informações no site eBookNewser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário