segunda-feira, 14 de novembro de 2011

É caro ler?

Aumentar Letra Diminuir Letra


Hoje vou brincar um pouco com números, fazendo continhas bem mequetrefes para ver como está o acesso dos brasileiros à leitura. O salário mínimo por aqui gira em torno de R$550,00 e consta que mais de 50% da população sobrevive com esta remuneração, o salário mínimo americano seria de U$7,5 por hora o que daria cerca de U$1.200,00 por mês, mas o índice de pobreza lá é U$20.000,00 ano, o que dá U$1.666,00 dólares ao mês, consta que cerca de 13% da população ganha nesta faixa. Assim, convertendo em reais, o salário mínimo americano seria de R$2.750,00. Este será nosso ponto de comparação para ver quanto pesa o livro no salário mínimo americano ( que apenas 13% recebem), contra o mínimo brasileiro que é mais da metade da população, eu sei, é meio grosseiro, mas já dá uma boa idéia, se erramos estamos sendo condescendentes, uma vez que o salário nos EUA é muito maior pois apenas 13% ganham no limite estabelecido de pobreza.

Nos EUA encontra-se boa seleção de livros em papel por U$6,00, acha-se livros mais baratos, mas para comparação acredito que está bom; também encontra-se a maioria dos livros a U$12,00, há mais caros, mas grande parte da literatura mais popular estará nesta faixa. Se considerarmos o preço do livro em relação ao salário mínimo, o livro que para o americano custa U$6,00 (R$10,00), para o brasileiro deveria custar R$2,00 para termos o mesmo acesso à literatura; o livro de U$12,00(R$20,00) custaria a nós R$4,00. Lá se estima que 70% da população seja leitora, aqui estima-se que apenas 25% saibam ler com fluência para encarar um livro.

Quem tem maior acesso ao livro, americanos ou brasileiros? Podemos ainda brincar um pouco mais com os números, tomando a mesma comparação, há livros “baratos” no Brasil por R$30,00, muito poucos abaixo disto, com a maioria da seleção girando em torno dos R$50,00. Gritem se eu estiver enganado e minha livraria for careira, mas é difícil fugir destes preços. Pela mesma proporção, o livro de R$30,00 deveria custar ao americano U$90,00(R$150,00) para que ele tenha o mesmo acesso que nós à literatura, e o livro de R$50,00 custaria a bagatela de U$150,00(R$250,00). Outra coisa interessante é que aqui livro não tem imposto, como explicar?

Estão espantados? Revoltados? Calma, tem mais um pouco, eles compram um e-reader por U$80,00(R$132,00); para o e-reader ter o mesmo acesso no Brasil, novamente tomando como base o salário mínimo, deveria custar R$27,00. O mesmo e-reader importado pelo brasileiro custa cerca de R$400,00, graças ao imposto criminoso cobrado sobre o aparelho. Para os americanos terem proporcionalmente o mesmo acesso ao e-reader que importamos de sua terra, o aparelho deveria custar U$1.210,00(R$2000,00)!

Como seria o acesso dos brasileiros à literatura com os livros custando entre R$2,00 e R$4,00? Teríamos mais leitores? Proporcionalmente é isto que paga o americano. O que nossos colegas do norte achariam de pagar U$90 a U$150 nos seus livros? Seria um preço justo ou estariam sendo roubados? Ainda devemos levar em conta que eles têm livros circulando a mais de duzentos anos antes de nós e que a literatura lá já foi muito mais acessível do que é hoje.

Não adianta apenas educar, letrar, a fluência da leitura só vem com o exercício da mesma, e para isto precisamos livros. Com esta distorção o Brasil continuará a ser um país de iletrados; o e-reader é a primeira oportunidade real de inverter esta equação nefasta. Quem coloca barreiras em seu caminho é por querer um país de ignorantes.

Alex

14 comentários:

  1. Temos, claro, o Submarino e outras lojas virtuais que hoje vendem livros a R$ 10,00, facilmente. Claro, na sua maioria os livros "populares", especialmente entre os jovens, mas lá estão (quase morri ao ver o Guia do Mochileiro das Galáxias por R$ 39,90 o set com os 5 livros, quando eu paguei R$ 22,00 por cada um)...
    Se vocês lêem em inglês, sugiro fortemente o Book Depository - www.bookdepository.com - que vende livros aos preços americanos, um pouco menos até, com frete grátis para o mundo todo. Demora uns 40 dias para chegar, mas chega certinho, sempre. Eu recomendo.

    ResponderExcluir
  2. Sinto muito May, mas vou te deixar mais triste: Paguei 9,90 (a coleção toda esses dias atrás) no submarino, na verdade paguei 7 e uns quebrados (e frete grátis) com um outro desconto comprado pelo shopping uol, claro comprando mais coisas...

    ResponderExcluir
  3. Complementando o que a May disse, acredito realmente que hoje a melhor opção para os amantes da leitura é a compra via lojas virtuais, valendo o destaque (entre os trancos e barrancos) para o Submarino que tem preços bem mais acessíveis se comparados a maioria das livrarias, só pegando o exemplo dela comprei a serie o Guia do Mochileiro das Galáxias completa por 9,90 no submarino.
    Aguardo ansiosamente o momento em que os ebooks se tornem uma alternativa economicamente viável em nosso país.

    ResponderExcluir
  4. Estranho, May. Meus livros do bookdepository sempre chegaram no máximo em 16, 17 dias...

    ResponderExcluir
  5. Anônimo (do Guia...) - sim, mas vc nunca terá a capa antiga (é o que digo a mim mesma XD)

    Anônimo 2 - Na verdade a última vez recebi em 30 dias, uns 25 dias úteis. Se vc mora em SP a probabilidade de receber bem antes de mim é grande. Pra mim tem trânsito até POA e depois pra cá onde moro - mas mesmo assim...

    ResponderExcluir
  6. Verdade May, rss... Não sou muito fan de capas (no quesito gráfico), mas confesso que não posso ver um livro de capa dura... Verdadeira tara, rsss..

    ResponderExcluir
  7. May citou o caso do Submarino. Eu realmente não entendo como lojas físicas tem a cara-de-pau de vender os mesmos livros por preços até 5 vezes maiores que o dessas promoções.
    Tudo bem que possuem custo maior com aluguel (principalmente de shopping) e outras despesas para manter a loja bonitinha, mas é sempre uma facada! Eu acabo só "passeando" nas livrarias, vendo as novidades para depois comprar pela internet, e duvido que muita gente não faz o mesmo.

    Parece que só agora alguns comerciantes acordaram, como a Americanas (na verdade, mesma empresa B2W), vendendo os blockbusters literários a preços menos salgados.

    E só para te deixar mais triste, vira e mexe o kit dos Mochileiros sai a 19,90! (quase 4 reais cada livro)

    ResponderExcluir
  8. Paulo, acredito que a B2W tenha justamente a vantagem do grupo, do volume. No volume que eles compram, é possível conseguir os livros MUITO mais barato... Sendo que eles também trabalham com margens de lucro baixíssimas (às vezes levando prejuízo para arrastar mais gente pra loja), acaba saindo assim, mais barato.
    Ouvi editora falando que a B2W faz mega chantagem para que elas também baixem os custos e a margem, vendendo mais barato ou ocasionando a produção daquelas edições barateadas, sem orelha, etc.
    E sim, eu já vi o Kit do Mochileiros por isso também... Dá quase vontade de comprar de novo só porque está barato hehehe

    ResponderExcluir
  9. O Mochileiro é sem orelhas e a capa parece se mais fina. Eu comprei tempo antes o lançamento da capa nova, por 50 reais todos livros :(

    ResponderExcluir
  10. Estes livros colhidos da bacia das almas não podem ser usados como parâmetro, veja, um colega voltou dos EUA, estava no supermercado e viu na gôndola próxima ao caixa um pocket do Duna por U$1,89, foi vasculhando todas as gôndolas dos caixas, e saiu com mais de uma dezena de livros. Fui procurar o Duna no submarino, só tem o segundo a R$30,00, encontrei o Duna na Cultura a quase R$60,00!

    Devemos perguntar o motivo de uma editora imprimir um livro com custo de R$5,00 e uma editora pequena ter que pagar R$25,00 para um livro igual e de mesma tiragem, como esta distorção de preço ocorre em um mercado supostamente aberto?

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  11. Alex, também há de se pensar como algumas editoras (de mesmo porte) conseguem vender os livros no próprio Submarino a R$ 9,90 enquanto outras apenas "conseguem" fazer a R$ 39,90?
    E sim, estou falando de você ROCCO. A Rocco é a rainha de segurar lançamentos, lançar bem depois do esperado, demorar e ainda lançar por muito mais do que deveria.
    A primeira oferta que vi deles era da coleção Anne Rice e foi toda feita com material de baixa qualidade...
    Quando vejo um livro caro demais sempre vou ver a editora. Nunca me surpreendo quando é a Rocco.

    ResponderExcluir
  12. May,
    Está reclamando da Rocco? Baixa qualidade a alto preço, mas e a Cossac Naify? Pode ter qualidade gráfica, mas ninguém ganha deles quando o assunto é preço. São livros ideais para decorar mesinhas de café; para nunca serem lidos.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  13. Alex, não tenho familiaridade com a Cossac Naify, já que minha praia é mais nos populares e YA, mas uma amiga minha reclamou muitíssimo de uma edição de Guerra e Paz, se não me engano...
    Concordo, tem várias editoras que abusam da boa vontade dos compradores.
    Mas o que mais me irrita é a demora nos lançamentos, especialmente quando se fala de séries, quanto mais se demora em traduzir e lançar, mais provável de ser pirateado. E depois a culpa é de quem? Dos consumidores é que não é.

    ResponderExcluir
  14. May,
    O Guerra e Paz é o exemplo perfeito, um livro que quase todos já leram, agora em nova tradução feita pelo Rubens Figueiredo, por mais que tenha curiosidade, não penso em gastar R$200,00 só pela releitura, além disso, é um livro para carregar contigo e ler um capítulo por vez, o tal só servirá de decoração. A garotada provavelmente não leu, mas não irá gastar esta fortuna em um livro difícil de carregar por aí, o que parece ser uma tradução cuidada vai ficar sem leitores, restrita a objeto de decoração. Existe uma excelente tradução para o inglês por U$14,00. Incomoda-me que certos livros só tem edições caríssimas, ao contrário dos EUA que além da hardcover, tem o paperback e até o pocket.

    Quanto às séries, só posso achar estrema estupidez ou incompetência, eu sei que tem editoras que ficam dosando lançamentos para não sobrecarregar a “vitrine das livrarias”, evitando que logo as obras percam visibilidade, mas no caso de séries de sucesso, a espera é pura estupidez.

    Não vejo a hora dos e-readers serem vendidos a preços honestos por aqui para acabar com esta palhaçada.

    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir