quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Comprando um e-book no Brasil: A Peregrinação - Parte 1

Aumentar Letra Diminuir Letra

Essa semana passei por uma situação bem irritante, comprei meu primeiro e-livro no Brasil.

Um experiência na qual acreditava ser simples, rápida e indolor, mas que se mostrou um poço de frustração e imensa perda de tempo.

Tudo começou na procura do livro A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr, na rede. Googlei diversas sequências de palavras correlatas e todos resultados apontavam para o livro físico ou formas digitais não legalizadas.
Então desisti, e busquei diretamente nas livrarias digitais nacionais, obtendo sucesso em duas delas, Livraria Cultura e Saraiva.com, ambas oferecendo a versão ePub com DRM pelo preço de R$28,00. Optei por fazer a compra com a segunda, em virtude do preço do livro físico ser menor.

Mesmo considerando desproporcional que a versão digital seja mais cara que a versão física (R$ 27,9), prossegui com a compra porque estava decidido adquirir o e-livro em função da minha urgência em ter o material para ler. Seria prático, rápido e indolor, seria...

Então, coloquei o produto no carrinho de compras e iniciei os procedimentos para concluir a compra, ou melhor dizendo, iniciei a peregrinação virtual.

Primeiro, necessitei fazer um cadastro no site da livraria, preenchendo um formulário não muito extenso.  Em seguida, esperei que eles enviassem um email de confirmação para ativar minha conta. Enquanto isso, o e-livro esperava no carrinho de compras...

Até esse procedimento, eu estava certo de ter feito a escolha certa: prática, rápida e indolor. Afinal, todos os sites de e-commerce obrigam o futuro cliente a identificar-se  para melhoria do atendimento e da segurança de ambos.

Conclusa essa etapa, seguiu-se com o processo de pagamento. Meu desejo inicial era pagar via débito em conta, mas a empresa só oferece pagamento via crédito. Mesmo contrariado, digitei os dados do cartão e cliquei para finalizar a compra. Bem..., por alguma razão o site  falhou no processo três vezes, e obstinado pelo desejo de ler o livro de forma prática, rápida e indolor,  fui redigitando meus dados até que na quarta tentativa o pedido foi finalizado.

Oba, agora vamos a leitura!
Não, não, para baixar o arquivo é necessário fazer o download do programa Saraiva Digital Reader, e com o nome de usuário e senha da Saraiva.com, acessar sua biblioteca virtual (Saraiva Cloud). Bem, eu tinha o costume de ler e-livros no formato ePub em meu computador por meio do programa Adobe Digital Editions, para que eu precisaria de mais um?

Na tentativa de evitar que meu senso de urgência se dissolvesse, e apoiado pela tecnologia de banda larga (thanks God!), resolvi encarar o download dos 59 Megabytes do programa obrigatório (como assim!?), afinal seria rápido e indolor...
Porém, o mar não estava para livros, algum problema no servidor da Saraiva fez o impossível, o download durou 37 minutos para completar-se, e outros sete para instalação. Para salientar como minha paciência foi testada nesse ocorrido, basta saber que minha conexão é ADSL2 de 15M, o que me possibilita baixar arquivos muito maiores em bem menos tempo.

Contudo, já que o programa estava instalado na máquina, por que não relaxar as tensões lendo o desejado livro? Agora seria rápido e indolor, não é?
Não!
Que tela é essa?
O quê? Preciso fazer o login do AdobeID para fazer o Saraiva Digital Reader funcionar? Qual é a senha mesmo?
Por favor senhor Adobe envie-me um email para que eu possa criar uma nova senha.

E assim eu fiz, numa via cruzes que já durava quase três horas, de posse da senha do AdobeID, loguei-me no Digital Reader. Só restava fazer o login da Saraiva para desfrutar de um pouco de leitura antes de desfalecer na cama. Epa! Cadê meu livro?!

Qual foi minha surpresa ao ver que na minha prateleira virtual o e-livro que havia acabado de adquirir não estava presente. Tentei de tudo para resolver a situação: reiniciei o programa, cliquei no ícone composto de duas setas em círculo (similar ao Sincronizar do Kindle app), conferi email para ver se a compra tinha sido aprovada, liguei para operadora do cartão também para confirmar, voltei ao sítio da livraria para verificar se o arquivo poderia ser baixado (similar ao que ocorre na Kindle Store), reiniciei o programa. Nada surtiu efeito.

Quando olhei para o relógio passava das 23:00, três horas e meia se passaram desde o momento que resolvi comprar um e-livro no Brasil. Fiquei chocado, pois isso não era a minha realidade, na qual ligo meu e-reader, acesso a Kindle Store, escolho o livro, baixo um exemplar (algumas páginas, ou alguns capítulos) e se for de meu agrado, após um clique, em menos de 20 segundos já estou lendo confortavelmente. Prático, rápido e indolor. Como os e-livros devem ser.

Tomado por uma revolta compassiva, tentei entrar em contato com o SAC do sítio Saraiva para tentar solucionar o problema: a Ajuda Online mostrou-se indisponível para o horário, enquanto a Central de Atendimento só aceitava ligação originada de telefone fixo, e eu só dispunha de um celular no momento. E para completar, não encontrei um email de contato.

Resoluto, chateado e cansado, desliguei o computador e fui dormir com o pensamento de que teria sido mais prático, rápido e indolor ter comprado a versão em papel em uma livraria física, e ainda sobraria tempo para um capuccino, quente, cremoso e forte.

______________Atenção________________
Os links  que direcionam as livrarias citadas existem para enriquecer o texto. Qualquer comprar realizada nesses sítios é uma discricionariedade do comprador, eximindo o KBB e seus colaboradores de responsabilidade.

12 comentários:

  1. Eu também passei por essa mesma peregrinação e foi muito irritante. O que me deixou mais fulo foi o fato de não poder converter para MOBI. Fui atrás de um programa que quebrasse DRM, e achei aqui mesmo! Aliás, foi assim que descobri o KBB.

    ResponderExcluir
  2. Converter esses livros comprados em ePub para MOBI altera a qualidade? Fica bom de ler?

    ResponderExcluir
  3. eu tinha um e-reader sony e passava sempre por isso na saraiva. e ainda há o risco do livro vir com uma configuração impossível de ler.

    []'s

    ResponderExcluir
  4. é por essas e de outras que eu sou adepto da pirataria, em 2 cliques vc estaria com o livro no seu kindle para ler e nem seria obrigado a ler no pc em um programa tosco da saraiva.

    Depois pra quem ficar com a consciência pesada (eu não) seria só comprar o livro físico para pagar pelo conteúdo que vc teve acesso...

    ResponderExcluir
  5. A solução é comprar títulos de uma editora profissional, com boa edição e ampla distribuição. Cada um compra onde quiser, para ler no aparelho que quiser, a escolha é de cada um. A KBR é assim, ah, e vende barato também. Isso posto, o futuro dos ebooks está provavelmente na nuvem, onde já flutuam na Amazon (Kindle Cloud). Só não concordo com essa política de matar o mensageiro. A dificuldade não é dos ebooks, mas de alguns players envolvidos.

    ResponderExcluir
  6. Gabriel,

    Essa situação foi muito estressante sim,e com certeza obter o livro pela forma não oficial era ainda mais prática, rápida e indolor, mas seria para mim, e não para a cadeia produtiva.

    Esses problemas relatados não podem ser justificativa para acomodação. Não fazer nada e buscar a forma não legal não contribuiria para mudar essa realidade.

    Não podemos viver só no nosso mundinho, se queremos ser tratados com respeito pelas editoras e livrarias precisamos mostrar que temos voz ativa, que somos consumidores conscientes dos nosso direitos, bem como, do nosso potencial de consumo. Podemos dar lucro a essa cadeia produtiva, desde que nos proporcione um material de qualidade, de fácil utilização e a preços justos.

    Amanhã, a segunda parte dessa peregrinação.

    Abraço,

    ResponderExcluir
  7. Eu tive um problema semelhante, porém um pouco pior. Veja bem eu uso Linux (kubuntu pra ser exato), pois bem, comprei os livros e esperei receber um email com o link pra fazer o download. Recebi o email, mas... fui informado que só poderia lê-lo no SDR. Viram meu problema né? No dia seguinte fui trabalho preparado para ligar pra Saraivae e pedir reembolso.

    Só que eu resolvi arriscar. Baixei o programa e instalei. Digitei as senhas necessárias e consegui baixar os livros. Só que não dá pra ler os livros no trabalho, né? Então perguntei pro Pai dos Burros (Google, "former" dicionário) e encontrei um plugin pro calibre pra retirar o DRM.

    Baixei o calibre, o plugin e então removi o DRM. Agora posso ler onde eu quiser.

    O link pro artigo que mostra como é esse: http://meiradarocha.jor.br/news/2011/12/17/como-ler-e-converter-livros-com-drm-no-calibre/

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nos já lançamos este tutorial a algum tempo aqui: http://www.ebookbr.com/2011/10/e-books-formatos-drm-e-vida-de-um-e.html

      Excluir
  8. Como o colega ali acima, queria saber se não fica prejudicada a qualidade dos livros epub cujo DRM é removido e cujo formato é transformado para ser lido no Kindle. Vou comprar o kindle em uma viagem em fevereiro próximo, mas tenho medo que os livros jurídicos, que são a minha principal leitura, fiquem desconfigurados. Os preços dos ebooks não são lá grandes coisas (há ebooks jurídicos que custam 100 reais, quando o livro físico custa 120), mas deixar de carregar 10 kg de livro faria toda a diferença na minha vida! Só que desembolsar 100 reais para o livro não funcionar, aí não dá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em geral a conversão de epub para mobi fica perfeita.
      E tirar o DRM não prejudica o texto.

      Excluir
  9. Também passei "quase" pelas mesmas coisas que a tua Paulo Carvalho, ao comprar meu primeiro ePub na Saraiva. Mas, entusiasmado com a possibilidade de ler meu primeiro livro digital no PC, nem me dei conta do tempo.
    Depois que adquiri meu Kindle e comprei livros na Amazon, também pude constatar a monstruosa diferença.

    ---------------------------------
    Recentemente comprei 4 livros digitais na Saraiva, e já tentei 'quebrar a tranca' com alguns programas, inclusive um que paguei pela licença, mas ainda não me dei bem nessa coisa. Os tais livros só consigo acessar com eReader Saraiva, mas preciso, e muito, lê-los no meu Kindle.

    Sei que é "pouco ético" e "mal visto" pedir isso, mas pedirei: alguém pode me ajudar a converter os livros para ler no Kindle, que comprei na Saraiva?
    Deve existir uma "forma" mais fácil, isto é, para usuários "normais", de fazer tais conversões.
    Alguém pode me quebrar essa lança, com "trava" e tudo?......rs

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade este Texto é do Emanuel, quando Mudamos o nome do blog isto ficou bagunçado.
      Mas para o seu problema veja este post.
      http://www.ebookbr.com/2012/01/video-tutorial-retirando-drm-com-o.html

      Excluir