quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Pareceres sobre o Kindle Fire

Aumentar Letra Diminuir Letra

A May encontrou esta avaliação do Kindle Fire e eu trago aqui uma tradução / adaptação não rigorosa do conteúdo.

A opinião de Lance Ullanof lá no Mashable Tech é de que o Kindle Fire pode vir a ser o primeiro blockbuster dos tablets Android, mesmo que ninguém vá perceber o uso deste sistema operacional.

A aparência externa do dispositivo, todo preto, é exatamente a mesma do PlayBook da RIM, o que não causa surpresa, pois parece que o fabricante é o mesmo. Há um único botão na face frontal do aparelho e na posterior estão os alto-falantes estéreo. A espessura de 11,5 milímetros não comporta uma câmera.

Note-se ainda que ele não é 3G e possui apenas 8GB de memória interna, mas a Amazon salienta a capacidade de armazenamento ilimitado no Kindle Cloud.

Avaliando as entranhas do Kindle Fire, destaque-se o processador Texas Instruments dual core e o Sistema Operacional Android 2.3. Aparentemente, porém, este equipamento não tem semelhança alguma com outros dispositivos Android, sejam tablets ou smartphones.

A tela inicial se parece com uma estante de livros, onde aparecerão os conteúdos acessados mais ​​recentemente e no topo da tela há um box para pesquisas o menu de acesso às diferentes categorias de conteúdo – revistas, livros, música, filmes, aplicativos e documentos.

O Kindle Fire, que chegará em 21 de novembro, virá pré-registrado e abastecido com todo o seu conteúdo Amazon, muitos dos quais podem estar no Kindle Cloud. Ao contrário do serviço da Apple iCloud, não há limite para a quantidade de conteúdo armazenado ou no tempo que é possível armazená-los. Isso, provavelmente porque você acessará o seu conteúdo a partir da nuvem da Amazon (biblioteca de ebooks, filmes, programas de TV e música) sem a necessidade de copiar o item no equipamento do usuário.

Porém, como o aparelho não é 3G, o acesso à Amazon Cloud no Kindle Fire está condicionado à disponibilidade de uma rede Wi-Fi. Esta limitação certamente se justifica dentro da estratégia da Amazon de oferecer um dispositivo de preço realmente baixo.

A tela de 7 polegadas do Kindle Fire suporta 16 milhões de cores e, segundo Lance Ullanof, parece ótima e responde bem, suportando inclusive multi-touch, mas só até dois dedos. A duração da bateria é de até oito horas.

Como não há câmera ou microfone externo, então esqueça o uso de Skype e assemelhados, mas o objetivo dele é realmente o consumo de conteúdo da Amazon – e a disponibilidade é grande.

Na apresentação de suas novidades, a Amazon não gastou muito tempo mostrando aplicativos Android mas mostrou as alterações da loja, que foi completamente redesenhada para Android. O parecer de Ullanof lá no Mashable Tech é positivo. Ele diz que a aparência é de boa organização.

A maior inovação de todas, entretanto, pode ser o Amazon Silk, o navegador da companhia mas o nosso avaliador não se sentiu seguro para afirmar se o Silk é realmente capaz das proezas alardeadas. Mas o parecer final é de que o Kindle Fire seria um tablet atraente a um preço imbatível que oferece acesso instantâneo a todo o seu conteúdo.

Ao comparar com o tablete da Apple, Lance Ullanof não crê que ele possa superá-lo, mas por ser menor, não limitar o armazenamento de conteúdo e considerando que ele não se destina a capturar e manipular mídia pessoal, pode ser a melhor alternativa de tablet para aqueles com necessidades mais simples, como: leitura de livros, assistir TV e filmes.



Escrito por Maurem Kayna

Nenhum comentário:

Postar um comentário