terça-feira, 27 de setembro de 2011

Diogo de Souza – leitor digital antes de ser autor de e-books

Aumentar Letra Diminuir Letra

Diogo de Souza lançou seu primeiro livro em 2008 e apenas este primeiro – Fuga de Rigel – não tem (ainda?) versão digital. Mas, além de escritor, Diogo é também um leitor convicto e sua experiência com os livros digitais veio bem antes dos tablets e e-readers ocuparem o espaço que hoje ocupam em nosso cotidiano. “O primeiro livro digital que eu li foi “Harry Potter e a pedra filosofal” (em inglês), que eu comprei por uma loja no estrangeiro e li no meu micro mesmo.” Mas, mesmo tendo sido receptivo à possibilidade de leitura no micro ele não foge à regra e, naturalmente, destaca a vantagem em termos de conforto da leitura em e-ink.

Cada um dos livros teve uma história distinta, e ele os compara à criação de filhos: “em geral todos passam pelos mesmos estágios, mas a forma como cada um passa por estes estágios é única e singular”. Isso se aplica tanto ao processo de escrita como de publicação. Vale comentar que o começo da carreira de escritor foi marcado por decisões importantes, que denotam seriedade e autocrítica. Antes de começar a batalha pela publicação, Diogo decidiu submeter o material a uma leitura crítica que, segundo ele, foi muito acertada e permitiu um melhor entendimento sobre como estruturar a obra, pensando no efeito que desejava causar a seu leitor.

Todos os seus livros estão mergulhados na atmosfera do fantástico, gênero que Diogo sempre gostou de ler, e que é a direção natural para ele quando nasce o desejo de contar uma história. Mas como leitor, ele não restringe e, inclusive, partilhamos o gosto por Clarice Lispector – para ele a melhor escritora em língua portuguesa até agora. E concordamos também com a lógica de que um bom escritor, obrigatoriamente é um leitor voraz.

Ao invés de lamentar a dificuldade em encontrar uma editora disposta a publicar seu segundo livro - Abascanto, a sombra dos caídos – a resposta de Diogo foi buscar uma estratégia que lhe permitisse alcançar seus leitores. Para isso ele disponibilizou o livro para dowload gratuito num site que criou com o propósito de difundir o texto e também apostou na publicação sob demanda, pela AgBooks. E foi neste processo que Diogo descobriu a possibilidade de publicação pela Amazon. “Converter e disponibilizar o livro na loja da Amazon foi mais do que fácil, e em algumas horas ele estava pronto (e disponível depois de alguns dias de análise que a Amazon faz de cada obra publicada)”. Confira aqui e aqui. A Editora Dracaena, que editou o segundo e terceiro livros de Diogo também os disponibilizou para venda, no site www.grioti.com.br.

Diogo não foge à regra das publicações brasileiras, onde as vendas da versão impressa em geral superam as vendas do e-book. Seus números na Kindle Store não o surpreendem nem decepcionam, pois Diogo sabe que um autor autopublicado em portuguese edition, sem investimentos em marketing, neste nosso mercado ainda pouco receptivo à nova tecnologia, não pode esperar um boom de vendas do seu e-book.

“Nêmesis, seu livro mais recente (e seu preferido, conforme confessou) já estava martelando na sua cabeça, enquanto o anterior estava sendo concluído. Por isso, ele começou a escrevê-lo assim que “Abascanto” foi concluído. Diogo destaca, sobre o processo de criação de Nêmesis, o apoio da treinadora literária Adriana de Oliveira Silva que, segundo ele, foi quem realmente abriu seus os olhos para muitos aspectos da arte literária. Não vou repetir aqui a sinopse do livro, pois aqui está o link para a página dele na Amazon, e não posso fazer uma resenha porque ainda não o li, o que digo é que a forma como Diogo encara a literatura – a sua e de maneira geral – faz querer conhecer sua ficção. E se você quiser conhecer mais e entrar em contato com ele, siga-o no twitter: @DiogoDeSouza. E fica uma dica: sempre que provar ou comprar algo na Kindle Store, registre lá a sua customer review.



Escrito por Maurem Kayna

Um comentário:

  1. Mentira descarada essa do primeiro livro ser Harry Potter, hein? Só se comprou pdf pirata, porque só com Pottermore que essa saga será lançada oficialmente no formato digital.

    ResponderExcluir