quarta-feira, 8 de junho de 2011

Quem prejudica mais o meio ambiente: livros de papel ou livros eletrônicos?

Aumentar Letra Diminuir Letra

Encontrei este cartaz interessante que compara a emissão de gás carbono dos livros convencionais de papel e dos livros eletrônicos (clique para ampliar).


Aqui vai a tradução:

EMISSÕES DE GÁS CARBÔNICO POR LIVROS

Qual usa menos carbono: os livros eletrônicos ou os livros de papel?

CO2 usado para produzir, transportar e fazer reciclagem/descarte:

Livro de papel: 7,5 kg de CO2

iPad: 130 kg de CO2*

Kindle: 168 kg de CO2*

* Excluindo a energia necessária para carregar o aparelho.

Concluindo: Ler aproximadamente 20 livros eletrônicos gera uma emissão de gás carbono inferior à quantidade emitida pelos mesmos 20 livros de papel comprados novinhos em folha na livraria, considerando que eles nunca serão doados, vendidos ou reciclados.

Moral da história: Se você usar um Kindle para ler todos os livros que você deixou de comprar na livraria em formato impresso, você ajuda o meio ambiente!

10 comentários:

  1. Bem legal.
    Tem esse cartaz também que fala sobre a economia verde dos eBooks
    http://c1.cleantechnica.com/files/2011/03/Ebooks-infographic.png

    Gustavo Fiorante

    ResponderExcluir
  2. Adoro o kindle, mas esse argumento não me convence.
    Falta considerar a durabilidade do livro x a durabilidade de um dispositivo eletrônico. Não espero que meu kindle dure mais que 3 ou 4 anos.
    Já um livro comprado hoje daqui a 20 anos pode estar em perfeito estado. Nesse tempo quantos e-readers terei comprado?

    ResponderExcluir
  3. Será que em 3 ou 4 anos consegue ler 20 livros no kindle? a comparação principal é essa. A questão da durabilidade é relativa, pois é possível armazenar os livros em pc, em nuvem e no próprio manager kindle.

    ResponderExcluir
  4. Pessoalmente, espero que meu Kindle dure muito, mas muito mais do que 5 anos... Não gosto nem um pouco dessa ideia de que eletrônicos hoje em dia são concebidos e fabricados para serem produtos descartáveis. Já basta o celular dar problema o tempo todo e precisar ser "reciclado" a cada três anos! :-)

    Dito isso, espero ter lido uns 200 livros em 5 anos no meu Kindle e faz bem saber que várias árvores deixaram de ser derrubadas para ter o papel necessário para as versões impressas.

    Aliás, estou pensando em doar para a biblioteca muitos dos livros que tenho e comprar a versão Kindle daqueles que gostaria de reler ou guardar para os filhos lerem um dia. Pelo menos dá para "passar adiante" os livros convencionais para alguém aproveitar, em vez de deixar os coitadinhos dos livros empoeirados na estante.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o cartaz, Soneca! Posso traduzi-lo e colocá-lo aqui também em breve, assim a gente tem material para consulta sobre esse assunto ;-)

    ResponderExcluir
  6. Rafa parabéns pelo artigo.

    E se possível traduz logo esse cartaz que o Soneca indicou, quanta informação bacana que eu só imaginava de longe.

    Essa semana, só poderei dar uma de leitor aqui no blog. :)

    Mas semana que vem, muitas informações.

    Abraço,

    ResponderExcluir
  7. Pode deixar que vou traduzir o infográfico para a semana que vem.

    Até mais!
    Rafa

    ResponderExcluir
  8. É incrivel como a questão da sustentabilidade é profunda, há uma necessidade muito grande de um aprofundamento no tema.

    ResponderExcluir
  9. Realmente... Mesmo que o processo industrial seja complexo na hora de fabricar aparelhos eletrônicos como o Kindle e afins, acredito que compensa bastante no final economizar em papel e árvores, não é?

    ResponderExcluir
  10. Michel, Pen Drive ta ai pra isso :)

    ResponderExcluir