terça-feira, 23 de novembro de 2010

Tela transflexível promete ser revolucionária.

Aumentar Letra Diminuir Letra


O site da Info Exame trouxe no último dia 17 a notícia do lançamento do primeiro Tablet nacional.
A empresa paulista (start-up) Triboo apresentou no Infolab o seu Tablet de mesmo nome (Triboo). O protótipo roda o sistema Android e trás como grande inovação o uso de uma tela transflexível.  Segundo o site,  tela de 10.1 polegadas se adapta à iluminação do ambiente e ajusta o brilho e contraste automaticamente. A tela transflexível usa um espelho por trás do vidro, o que permite refletir a luz ambiente para iluminar o gadget.
“A principal vantagem dessa tecnologia é permitir a leitura de textos e livros eletrônicos com o mesmo conforto oferecido por um e-reader como o Kindle. Na prática, a tela resolve o dilema de ter um tablet com aplicações multimídia, porém ruim para leitura de textos longos ou um e-reader, que é ótimo para ler, mas não permite executar aplicações de mídia”, conta Francisco Coelho, diretor de tecnologia da Triboo.
Com 380 gramas, o tablet da Triboo executa funções similares às de seus competidores no mercado, como navegar na web e rodar aplicações multimídia (vídeo e música) e programas de produtividade, como editor de planilhas e texto. 
Desenhado pela empresa nacional, o tablet será produzido com componentes importados, como acontece com quase a totalidade dos eletrônicos produzidos no Brasil. Uma integradora será contratada para montar os equipamentos em larga escala no Brasil.
“Os primeiros protótipos fizemos usando o case produzido em uma impressora 3D e montamos os circuitos, tela e processador manualmente”, diz Coelho.
O atual protótipo roda Android 2.2, tem tela capacitiva multitoque (1024 x 600), acelerômetro e processador Samsung de 1 GHz. A capacidade de armazenamento é de 16 GB, mas o tablet suporta a conexão de discos externos e pen drive, leitor de cartão de leitor SD e entrada HDMI.

“Você pode baixar vídeos em alta definição na web e plugar o tablet na TV. Também é possível conectar mouse e teclado e usar o tablet de modo similar a um computador de mesa”, explica o diretor da Triboo.
O gadget deve chegar ao varejo no primeiro trimestre de 2011 com preço estimado de 1299 reais. Um dos focos da Triboo é vendê-lo no mercado educacional.
Como suporta conexão 3G e possui câmera para vídeo conferência (1.3 MP), os desenvolvedores acreditam que poderão vender o equipamento também em parceria com operadoras telefônicas, o que pode reduzir o custo final para o consumidor.
Como não é classificado como um smartphone (não possui câmera na parte de trás, nem faz telefonemas), o tablet não tem autorização do Google para suportar o Android Market.
A alternativa criada pela Tribo foi abrir uma loja própria para distribuir livros e conteúdos educacionais.

2 comentários:

  1. Essa tipo de tela é semelhante aos LCDs antigos que possuíam iluminação traseira fraca(backligth). Foi muito utilizado nos PDA´s. Melhora a capacidade de visualização sob a luz, mas ainda cansa a vista.

    Todavia, parabéns a empresa Brasileira pera inciativa. Espero que vá adiante.

    ResponderExcluir
  2. Parece ser bem bacana, o preço ainda está meio salgado... mas poxa, é feio pra caramba!!!
    Podiam ter caprichado um pouco mais no design...
    De resto achei muito bacana!!

    ResponderExcluir