sábado, 2 de outubro de 2010

Catálogo do Ponto Frio avança

Aumentar Letra Diminuir Letra


[Extraido do blog PublishNews]

Desde o dia 9 de setembro quando se lançou na venda de livros digitais, a Pontofrio.com.br tem no catálogo 71 títulos ativos, todos do grupo Ediouro. Na semana que vem o site ganhará outros 200 livros com a entrada da Zahar e da Freitas Bastos. Em outubro, serão 500. E quem sabe no fim do ano algo entre dois e cinco mil títulos. Essa é a expectativa de Cláudio Campos, gestor da área de distribuição digital da empresa. Para isso, precisa da colaboração das editoras.

Dois fatos chamam a atenção neste primeiro momento. Todos os e-books disponíveis não têm DRM – e Campos considera isso mais confortável para o usuário, que poderá ler o seu livro onde quiser. “Olhamos o lado do cliente, mas respeitamos a estratégia de cada editora”. Portanto, quem quiser proteger o livro com o DRM vai poder, claro. A outra é que estão apostando nos tablets e já fizeram parceria com a Samsung para vender o Galaxy.

Para chamar mais atenção para o novo negócio, o Ponto Frio começou ontem a pré-venda de Elite da tropa 2 (Nova Fronteira). Assim, na primeira hora do dia 8, data de estreia do filme, seus clientes poderão começcar a ler antes dos outros. Uma outra ideia é repetir a venda do kit “livro impresso + e-book” feita com o 1822, de Laurentino Gomes, primeiríssimo livro da loja virtual.

Para Cláudio Campos, os desafios são a massificação do e-reader, a formação de um catálogo nacional e a aceitação dessa nova forma de leitura pelo brasileiro. A empresa está em contato com as editoras, algumas delas já parceiras na venda de livro impresso, mas sabe que cada uma tem um timing. Sabe também que a hora é de aprender juntos. A única coisa que pedem é que os livros digitais custem entre 20% e 30% menos do que a versão tradicional.

Ponto Frio e seu irmão Extra, o maior vendedor de informática, têm a seu favor o nome, o número de clientes e a oferta de produtos, sobretudo os eletrônicos. Por isso Claudio Campos não se vê concorrendo com livrarias. “Nosso único competidor é o Submarino, que se juntou à Gato Sabido para vender e-book”.

Hoje, os e-books ainda ocupam o pé do menu lateral da página dedicada a livros no site da varejista, mas isso deve melhorar.

Por Maria Fernanda Rodrigues | Publicado em PublishNews | 01/10/2010

Um comentário:

  1. Tem que ser mais barato que a versão impressa... Senão me recuso a comprar!!!
    Acho que 30% mais barato é o mínimo mesmo. Lembrando que um livro impresso podemos emprestar, dar e inclusive vender em sebos.

    ResponderExcluir