segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Barnes & Nobles lê Kindle Blog Brasil

Aumentar Letra Diminuir Letra

Foi só anúnciar aqui no nosso Blog que a Amazon e a AppleBookStore estavam à frente das livrarias (principalmente as nacionais)  por permitir que autores novos publiquem seus livros diretamente, sem a intervenção de uma editora, que a a Barnes & Noble - maior livraria americana e fabricante do e-reader Nook anunciou hoje a sua plataforma para publicação de livros: o PubIt!.

Com esta ferramenta, qualquer um pode escrever, desenhar a capa e publicar seu livro na Barnes & Noble e passar a ser também um autor.  Infelizmente, o livro não vai ficar no formato do Kindle, pois a B&N só tem seu leitor portado para o próprio Nook, para o iPhone e para o iPad. Mas, é fácil converter usando o Calibre.

Vamos acordar livrarias brasileiras......

OBS: já tenho em mãos um Nook e um Cool-ER (emprestados) e o Kindle 3 (3G - 6") - este meu mesmo e que chegou hoje - e nos próximos dias estarei postando alguns reviews sobre eles. Aguardem...

8 comentários:

  1. Confesso que sou meio desconfiado dessa historia toda de autopublicação... o que me preocupa é a quantidade de "ruido" gerada no "mercado editorial". Onde "mercado editorial = livros disponíveis em sites e lojas" e "ruido = publicações das mais loucas e variadas criadas por oportunistas, ou bem intencionados sem talento", que acabam dificultando em MUITO você encontrar algo REALMENTE bom nessa busca por livros independentes.

    É claro que esse é O problema da internet desde que ela nasceu: organização das informações. Mas vamos ver no que dá.

    Tema polêmico, eu sei, mas real.

    ResponderExcluir
  2. Saiu um post bem interessante sobre esse assunto no "The Digital Reader". Dêem uma olhada:

    http://www.the-digital-reader.com/2010/10/05/the-seven-secrets-to-ebook-publishing-success/

    Abs,

    ResponderExcluir
  3. Faltou só um "segredo", importantíssimo: Tenha um bom editor. Um dos problemas da auto-publicação é que existem algumas pessoas que acham que um editor não faz falta ou, pior, que é inútil.

    ResponderExcluir
  4. Eu quase esqueci:Tenha bons críticos (difícil) e ouça-os (mais difícil ainda). Isso exclui mães, namoradas, irmãs e parentes de modo geral.

    Uma das coisas mais patéticas que um aspirante a escritor pode dizer é algo do tipo: "Meus amigos do trabalho, minha mãe e a minha esposa adoraram o meu livro. O meu cachorro também balançou o rabo pra ele".

    ResponderExcluir
  5. Xará, concordo plenamente. Se um escritor "wannabe" tiver essas duas coisas (que se resumem basicamente a senso critico), a internet está salva :-)

    ResponderExcluir
  6. Eu já sou da opinião que devem dar oportunidade a todos, bastando que coloquem um "probation time" onde, se o livro não vender x unidades durante tanto tempo, sai fora da livraria para evitar poluir e encher o catálogo com inutillidades. O que seria de Paulo Coelho se todos só gostassem de autores realmente aceitos pela crítica ?

    ResponderExcluir
  7. Edson, essa também é uma boa forma de colocar "ordem na casa". Aliás, existem várias. Se os livros fossem simplesmente classificados de forma diferente, como algumas livrarias e editoras já fazem (chamam os livros independentes de "indies", que é de fato uma redução de "independent"). O problema é que na Amazon por exemplo você não consegue separar "indies" de edições "tradicionais". E aí é obrigado a caçar seus livros "mainstream" no meio de milhares de "indies", muitos que inclusive usam nomes de livros famosos só pra se projetar em buscas...

    ResponderExcluir
  8. Edson,
    Nós temos uma "versão" Brasileira de site pra lançamento de livros independentes é no site da Simplíssimo (http://www.simplissimo.com.br/autores/).

    Vale lembrar que o serviço é pago.

    ResponderExcluir